Números de ontem do TV TOTAL

Isabel Vilela_Juliana Silveira

País Visualizações
Sinal BrazilBrazil 629
Sinal Estados UnidosEstados Unidos 71
Sinal SuíçaSuíça 23
Sinal PortugalPortugal 5
Sinal AngolaAngola 4
Sinal AustráliaAustrália 3
Sinal MéxicoMéxico 3
Sinal MalásiaMalásia 2
Sinal UruguaiUruguai 2
Sinal TurkeyTurkey 2
Sinal Russian FederationRussian Federation 1
Sinal GermanyGermany 1

Paraná terá pelo menos 3 desfalques para enfrentar o Ceará

Sem Lúcio Flávio, Breno e Édson Sitta, Tricolor também deve ter ausência do atacante Giancarlo

lf

Lúcio Flávio, destaque do time paranista, está fora da partida diante do Ceará.

Site oficial Paraná Clube
Se o Ceará foi a Curitiba sem 3 dos seus principais jogadores para enfrentar o Paraná, na noite desta terça (16), no Durival de Brito, pela Série B, a situação no Tricolor não muito é diferente. Na 11ª colocação na tabela e buscando uma recuperação no campeonato, a equipe parananese já tem confirmada a ausência de 3 jogadores que vinham atuando como titulares nos últimos jogos.O meia Lúcio Flávio e o volante Édson Sita estão suspensos pelo 3º cartão amarelo, enquanto o lateral-esquerdo Breno está sendo negociado pelo clube. Além do trio, o atacante Giancarlo, cuja negociação com o Coritiba fracassou, também pode desfalcar o time paranista nesta noite.

Com isso, o provável time que o técnico Ricardinho deve mandar a campo é: Marcos; Chiquinho, Anderson Rosa, Alisson e Paulinho; Jean, Marcos Serrato, Lucas Otávio e Thiago Humberto; Tiago Alves e Adaílton.

 

Diário do Nordeste – Jogada – 16/09/2014

Com direito a gol de mão, Ceará e Paraná duelam pela 14ª vez nesta terça-feira

Paraná venceu o Vovô 4 vezes; alvinegro tem duas vitórias

cearaparana

Este ano o Vovô já venceu o Paraná por 2×1, na Arena Castelão

Kid Jr
Ceará e Paraná fazem na noite desta terça-feira (16), em Curitiba, o 14º duelo entre as duas equipes em competições oficiais. Mesmo com um histórico equilibrado e repleto de empates, a vantagem no confronto é da equipe paranista.O Tricolor paranaense coleciona 4 vitórias contra o Vovô, enquanto o alvinegro venceu o confronto em apenas duas oportunidades. Em outras 7 partidas, houve empate. No total, o Paraná marcou 20 gols e o alvinegro apenas 17.

No 1º duelo entre as equipes, deu Vovô 

O primeiro confronto entre as duas equipes foi em 2001, pela Copa do Brasil, no PV. O Ceará estreava o técnico José Carlos Serrão, que substituira Arnaldo Lira, após a vexatória goleada de 7×0 para o Sergipe.

A chegada de Serrão parece ter realmente mudado os ânimos em Porangabuçu, e o Vovô venceu por 3×1, com gols de Chico Chapecó, Róbson e Zezinho. Reinaldo descontou para o time visitante.

Gol de mão do Paraná impulsionou acesso alvinegro 

Mas, sem dúvida, em se tratando de confrontos entre as duas equipes, o jogo que não sai da cabeça do torcedor alvinegro aconteceu no dia 19 de setembro de 2009, no Castelão.

Embalado pela vitória diante do Vila Nova e dentro do G-4 da Série B, o Vovô esperava vencer o time paranaense para subir ainda mais na tabela de classificação. Porém um erro grosseiro do árbitro alagoano Charles Hebert Cavalcante Ferreira decretou a derrota alvinegra dentro de casa para o Tricolor. Eram jogados 42 minutos do 1º tempo quando, após cobrnça de escanteio, Wellington Silva, com a mão, empurrou a bola para as redes do goleiro Lopes, do Ceará. O árbitro validou o gol e a confusão se generalizou em campo. No intervalo da partida, o próprio atacante paranista reconheceu ter desviado a bola com a mão, entretanto, segundo ele, sem intenção.

Após a derrota e indignado com a situação, o Ceará se disse perseguido pelas arbitragens e adotou o lema “Contra Tudo e Contra Todos, Vamos Subir”, tentando inflamar a torcida e o seu elenco. A tática deu certo. O torcedor alvinegro comprou a ideia e passou a lotar todos os jogos do time, que não mais perdeu no “Gigante da Boa Vista”. No fim daquele ano, o Vovô comemorou o acesso à elite do futebol brasileiro após 16 anos.

Alvinegro já venceu o Paraná este ano 

Voltando ao presente, o Ceará derrotou os paranaenses no último mês de maio, durante o 1º turno da Série B. Magno Alves abriu o placar para os cearenses e Giancarlo empatou para os visitantes. No último minutos de jogo, Yan marcou contra e deu a vitória ao Vovô por 2×1.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 16/09/2014

Tom Barros comenta necessidade do Ceará derrotar o Paraná hoje à noite

Ceará Sporting Club

Hora de flexibilizar

Há muito o futebol cearense não obtém vitória no Paraná. Chegou a hora. A rodada cheia de hoje, Série B, encontra o Ceará pressionado pela Ponte Preta. Basta um empate com o Paraná e vitória da Ponte sobre o ABC para o Vozão sair do G-4. Margem reduzida. O Ceará, quando líder, chegou a colocar seis pontos sobre o segundo colocado. Hoje, padece o aperto dos times em ascensão, fato que o deixa na aflitiva situação de não poder perder. Principal motivo do retrocesso: a sequência interminável de gols evitáveis que o time vem sofrendo. O equívoco é da defesa ou da falta de proteção na frente da área? As duas coisas, creio. Sérgio Soares pode não abrir mão da vocação ofensiva, mas tem de flexibilizar, dando melhor consistência à marcação. Se assim não fizer, terá problemas.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 16/09/2014

Tom Barros publica em sua coluna foto de Pelé quando tinha 15 anos

Image-1-Artigo-1700269-1

 

Recordando

Pelé aos 15 anos de idade, nesta foto batida em 1956, exatamente no dia em que foi apresentado aos dirigentes do Santos na Vila Belmiro em Santos/SP. Belo sorriso, puro, sem malícia, de um garoto que dava seu primeiro passo rumo à glória. Dois anos depois, aos 17 anos de idade, com esse jeito de menino e futebol de adulto, Pelé seria consagrado na Suécia, ganhando seu primeiro título mundial pela Seleção Brasileira.

 

Tom Barrosa – Jogada – Diário do No0rdeste – 16/09/2014

Tom Barros comenta poder ofensivo do Ceará com e sem Magno Alves

Ceará Sporting Club

 

Ataque

Outro detalhe importante: o ataque do Ceará com Magno Alves é um, mais perigoso, mais ativo; o ataque sem Magno é outro bem diferente, pois perde na qualidade dos passes e nas finalizações. Sérgio Soares tem de conseguir um meio-termo, ou seja, nem tão ofensivo, mas vulnerável atrás, nem tão retrancado, sem opções na frente.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 16/09/2014

Tom Barros comenta desempenho recente do Paraná Clube atuando no Estádio Durival de Brito

Paraná Clube

 

O adversário

O Paraná, em casa, no Estádio Durival Brito, empatou (0 x 0) com o Sampaio Correa, mas, na rodada passada, também em casa, ganhou (3 x 2) do Santa Cruz/PE. Antes fora goleado pelo Joinville (3 x 0) em Santa Catarina. O Paraná é um time oscilante. O técnico Ricardinho, ex-Ceará, estreou justo na vitória sobre o Santa. Um bom começo.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 16/09/2014