Palmeiras tenta enviar Leandro como pagamento pelas cadeiras quebradas no Itaquerão

O crack não entra em campo desde a Série B de 2013 (FOTO: Wendell)

O crack não entra em campo desde a Série B de 2013
(FOTO: Wendell)

No clássico contra o Corinthians, a torcida palmeirense quebrou várias cadeiras no Itaquerão e caberá à diretoria do time pagar a conta, conforme acordo entre os dirigentes. Contudo, o Palmeiras também foi multado pelo STJD e terá de pagar R$ 50 mil. Desta forma, a diretoria do Verdão, mão de vaca que só ela, tenta transformar o problema em solução.

O presidente Paulo Nobre quer enviar o atacante Leandro ao Corinthians como pagamento pelas cadeiras quebradas e inserir no contrato uma cláusula sobre o valor de R$ 50 mil, que seria direcionado ao STJD numa futura venda. Assim, o Verdão se livraria dos salários e, principalmente, do jogador.

A procuradoria do Fluminense, digo do STJD, garante que não será possível aceitar o negócio: ”Se o STJD aceitar, quando o Leandro for vendido, o Palmeiras deverá dar a diferença, que deve ficar em R$ 49 mil  mais ou menos. Portanto, é melhor pagaragora do que esperar o jogador ser negociado com algum time da terceira divisão”, disse o procurador João Moreira, o João Fluzão.

O também Corinthians garantiu que não aceitará a proposta, já que não necessita mais de entulho do Palmeiras – como o que foi utilizado para construir o Itaquerão -, e principalmente pelo fato de o estádio já estar pronto e não precisar de mão de obra na construção.

Caso não obtenha sucesso na empreitada, o Palmeiras deve enviar Leandro à Disney para ocupar o lugar de Valdivia e parar de atrapalhar a equipe.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.