Náutico 1 x 3 Boa Esporte

 1 x 3 

A paralisação da Série B fez mesmo muito bem ao Boa Esporte. Com o time quase todo reformulado em relação à primeira parte da competição – foram oito contratações durante a Copa do Mundo –  o time mineiro cravou a segunda vitória consecutiva nas duas rodadas pós-Mundial. Ambas fora de casa. Depois do Vila Nova, a vítima foi o Náutico na noite deste sábado.

O placar de 3 a 1 reflete a superioridade dos visitantes, que antes dos 25 minutos do primeiro tempo já venciam por 2 a 0. O Boa Esporte fez por onde se impor diante de um adversário inoperante. Marinho Donizete, Tomas e Diego marcaram os gols do Boa. Tadeu, de pênalti, descontou. Apenas 5.498 torcedores compareceram à Arena Pernambuco, um dos 12 palcos da Copa do Mundo.

Náutico x Boa Esporte (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Marinho Donizeto abriu o placar na Arena Pernambuco (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

 

O resultado levou o time mineiro à 13ª colocação, com 14 pontos, um a menos que o Náutico, em 12º. O Timbu, porém, tem uma partida a menos devido ao adiamento do jogo contra o Vasco. Na 13ª rodada, o Boa Esporte recebe o Bragantino, sábado, às 21h, no estádio Municipal de Varginha. No mesmo dia o Timbu visita o Atlético Goianiense no Serra Dourada, às 16h20.

A passividade do Náutico chamou atenção. O Boa Esporte jogou completamente à vontade na Arena Pernambuco, desde o início do jogo. Velho conhecido da torcida alvirrubra, o meia Clébson, ex-Salgueiro, cansou de trocar passes sem ser incomodado. Inclusive próximo à arena alvirrubra. Numa dessas saiu o primeiro gol. Clébson lançou, Rafael Cruz falhou feio, e Marinho Donizete aproveitou o presente dentro da área. O lateral-esquerdo ainda driblou o goleiro Alessandro antes de marcar, logo aos cinco minutos.

Atrás do placar, o time alvirrubro continuou desarrumado, enquanto os visitantes, de posse do meio de campo, ditavam o ritmo. Aos 22 minutos, a diferença ficou mais clara. Tomas acertou um chute de fora da área e ampliou o placar: 2 a 0. Não demorou para a torcida do Náutico perder de vez a paciência. Vaias ecoaram com força pela primeira vez aos 28 minutos. Depois, repetiram-se na descida para o intervalo. O Náutico ainda perdeu dois jogadores por lesão na primeira etapa: o zagueiro William Alves e o volante Gilmak foram substituídos por Edvânio e Gustavo Henrique. Marinho e Tadeu criaram as únicas chances do Timbu. Muito pouco.

O início da segunda etapa, porém, renovou as esperanças do torcedor alvirrubro. Logo aos 2 minutos, o árbitro viu Vinícius Hess meter a mão na bola dentro da área e marcou pênalti a favor do Timbu. Tadeu cobrou com muita categoria, e o Boa Esporte sentiu o gol. Por pouco tempo. A tentativa de abafa do Náutico foi só uma tentativa.

Prevaleceu a eficiência do adversário, que mesmo sem o controle do jogo como no primeiro tempo, achou os espaços para chegar ao terceiro gol e encaminhar de vez a vitória, aos 30 minutos. Diego balançou as redes instantes depois de substituir Luiz Eduardo. Ele quase marcou mais um em seguida, mas o placar ficou no 3 a 1. No fim, os jogadores do Náutico ainda tiveram de ouvir a própria torcida gritar “olé” para o adversário.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.