Números de ontem do TV TOTAL

Isabel Vilela_Juliana Silveira

País Visualizações
Sinal BrazilBrazil 582
Sinal Estados UnidosEstados Unidos 71
Sinal PortugalPortugal 20
Sinal AustráliaAustrália 8
Sinal United KingdomUnited Kingdom 7
Sinal ParaguayParaguay 4
Sinal CroáciaCroácia 3
Sinal ArgentinaArgentina 2
Sinal ItalyItaly 2
Sinal NoruegaNoruega 2
Sinal SuíçaSuíça 2
Sinal FranceFrance 1

Classificação da Serie B do Campeonato Brasileiro após a décima segunda rodada

Monk

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Ceará Ceará 24 12 7 3 2 21 16 +5 67 Aumento2 Zona de promoção à Série A de 2015
2 Minas Gerais América Mineiro 23 12 7 2 3 21 12 +9 64 Aumento2
3 Santa Catarina Joinville 23 12 7 2 3 16 11 +5 64 Baixa2
4 Mato Grosso Luverdense 21 12 6 3 3 16 11 +5 58 Baixa2
5 Rio Grande do Norte ABC 20 12 6 2 4 14 11 +3 55 Estável
6 Santa Catarina Avaí 20 12 6 2 4 13 12 +1 55 Estável
7 Maranhão Sampaio Corrêa 19 12 5 4 3 18 11 +7 53 Aumento3
8 Rio de Janeiro Vasco da Gama 18 11 4 6 1 17 8 +9 54 Baixa1
9 Rio Grande do Norte América de Natal 17 12 5 2 5 19 18 +1 47 Estável
10 São Paulo Ponte Preta 17 12 4 5 3 15 14 +1 47 Baixa2
11 Pernambuco Santa Cruz 16 12 3 7 2 15 14 +1 44 Estável
12 Pernambuco Náutico 15 11 4 3 4 14 14 0 45 Estável
13 Minas Gerais Boa Esporte 14 12 4 2 6 13 16 –3 39 Aumento1
14 Goiás Atlético Goianiense 13 11 3 4 4 14 14 0 39 Aumento2
15 Ceará Icasa 12 12 3 3 6 9 15 –6 33 Baixa2
16 São Paulo Portuguesa 11 12 2 5 5 13 19 –6 30 Aumento2
17 São Paulo Oeste 11 11 2 5 4 9 16 –7 33 Baixa2 Zona de rebaixamento à Série C de 2015
18 Paraná Paraná 10 12 2 4 6 13 16 –3 28 Aumento1
19 São Paulo Bragantino 10 12 2 4 6 14 21 –7 28 Baixa2
20 Goiás Vila Nova 5 12 1 2 9 5 20 –15 14 Estável

Bragantino 0 x 1 Sampaio Corrêa

 0 x 1 

12ª RODADA
CIRÚRGICO, SAMPAIO CORRÊA FAZ 1 A 0 NO BRAGA E COLA NO G-4 DA SÉRIE B
Maranhenses resistem à pressão do Bragantino, e conseguem gol aos 41 minutos do segundo tempo para subir à sétima posição na tabela
Em noite inspirada do goleiro Luiz Müller, o Sampaio Corrêa contou com um chutaço do meia Válber para vencer o Bragantino por 1 a 0, no estádio Nabi Abi Chedid, no interior paulista, pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Resistindo à pressão dos donos da casa, o Tricolor do Maranhão encontrou o gol da vitória aos 41 minutos da segunda etapa.

O triunfo faz o Sampaio Corrêa dar um salto na classificação. Com 19 pontos, a equipe sobe para o sétimo lugar, dois pontos atrás do G-4. Já o Bragantino fica em situação dramática. Com 10 pontos, despenca para a vice-lanterna do torneio.

O Massa Bruta terá a chance de reabilitação na sexta-feira, às 21h, quando visita o Boa Esporte, em Varginha. Já o Sampaio Corrêa tentará entrar na briga pelo acesso no sábado, quando recebe o Vila Nova-GO, às 21h, no Castelão, em São Luís, no Maranhão.

força física deu a tônica do primeiro tempo. Jogo pegado, com muitos chutões, faltas e pouca criatividade por parte das duas equipes. Quando Márcio Diogo, articulador de jogadas do Sampaio Corrêa dominava a bola, era parado na hora por atletas do Massa Bruta. Entregues à marcação adversária, os dois times pouco criaram. A melhor oportunidade veio em um lampejo de Césinha aos 35 minutos. O atacante do Braga driblou dois adversários, e chutou colocado, mirando o ângulo de Luiz Müller. Mas o arqueiro fez a ponte para evitar o gol.

Logo no início da segunda etapa, Márcio Diogo dominou a bola na ponta e recebeu uma joelhada de Francesco. Estava decretado: o jogo duro, com faltas visando matar jogadas, continuaria. O Sampaio Corrêa também fazia suas infrações. Léo Jaime levou uma pancada de Hiltinho logo depois e teve de ser substituído por Erick. O jovem atacante, inclusive, entrou em campo para criar a única chance de perigo do Braga no segundo tempo. Após bela troca de passes do ataque do Massa Bruta, o jogador saiu na cara de Luiz Müller, que assim como no primeiro tempo, fez grande defesa. O castigo veio aos 41 minutos, quando Válber, que tinha acabado de entrar, acertou um chutaço de fora da área, sem chances para Renan.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Náutico 1 x 3 Boa Esporte

 1 x 3 

A paralisação da Série B fez mesmo muito bem ao Boa Esporte. Com o time quase todo reformulado em relação à primeira parte da competição – foram oito contratações durante a Copa do Mundo –  o time mineiro cravou a segunda vitória consecutiva nas duas rodadas pós-Mundial. Ambas fora de casa. Depois do Vila Nova, a vítima foi o Náutico na noite deste sábado.

O placar de 3 a 1 reflete a superioridade dos visitantes, que antes dos 25 minutos do primeiro tempo já venciam por 2 a 0. O Boa Esporte fez por onde se impor diante de um adversário inoperante. Marinho Donizete, Tomas e Diego marcaram os gols do Boa. Tadeu, de pênalti, descontou. Apenas 5.498 torcedores compareceram à Arena Pernambuco, um dos 12 palcos da Copa do Mundo.

Náutico x Boa Esporte (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Marinho Donizeto abriu o placar na Arena Pernambuco (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

 

O resultado levou o time mineiro à 13ª colocação, com 14 pontos, um a menos que o Náutico, em 12º. O Timbu, porém, tem uma partida a menos devido ao adiamento do jogo contra o Vasco. Na 13ª rodada, o Boa Esporte recebe o Bragantino, sábado, às 21h, no estádio Municipal de Varginha. No mesmo dia o Timbu visita o Atlético Goianiense no Serra Dourada, às 16h20.

A passividade do Náutico chamou atenção. O Boa Esporte jogou completamente à vontade na Arena Pernambuco, desde o início do jogo. Velho conhecido da torcida alvirrubra, o meia Clébson, ex-Salgueiro, cansou de trocar passes sem ser incomodado. Inclusive próximo à arena alvirrubra. Numa dessas saiu o primeiro gol. Clébson lançou, Rafael Cruz falhou feio, e Marinho Donizete aproveitou o presente dentro da área. O lateral-esquerdo ainda driblou o goleiro Alessandro antes de marcar, logo aos cinco minutos.

Atrás do placar, o time alvirrubro continuou desarrumado, enquanto os visitantes, de posse do meio de campo, ditavam o ritmo. Aos 22 minutos, a diferença ficou mais clara. Tomas acertou um chute de fora da área e ampliou o placar: 2 a 0. Não demorou para a torcida do Náutico perder de vez a paciência. Vaias ecoaram com força pela primeira vez aos 28 minutos. Depois, repetiram-se na descida para o intervalo. O Náutico ainda perdeu dois jogadores por lesão na primeira etapa: o zagueiro William Alves e o volante Gilmak foram substituídos por Edvânio e Gustavo Henrique. Marinho e Tadeu criaram as únicas chances do Timbu. Muito pouco.

O início da segunda etapa, porém, renovou as esperanças do torcedor alvirrubro. Logo aos 2 minutos, o árbitro viu Vinícius Hess meter a mão na bola dentro da área e marcou pênalti a favor do Timbu. Tadeu cobrou com muita categoria, e o Boa Esporte sentiu o gol. Por pouco tempo. A tentativa de abafa do Náutico foi só uma tentativa.

Prevaleceu a eficiência do adversário, que mesmo sem o controle do jogo como no primeiro tempo, achou os espaços para chegar ao terceiro gol e encaminhar de vez a vitória, aos 30 minutos. Diego balançou as redes instantes depois de substituir Luiz Eduardo. Ele quase marcou mais um em seguida, mas o placar ficou no 3 a 1. No fim, os jogadores do Náutico ainda tiveram de ouvir a própria torcida gritar “olé” para o adversário.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Vila Nova 3 x 2 Santa Cruz

 3 x 2 

12ª RODADA
VILA NOVA BATE SANTA CRUZ NO SERRA DOURADA E VENCE A PRIMEIRA NA SÉRIE B
Tigre segura pressão no segundo tempo, marca no fim da partida e volta a triunfar após quatro meses. Tricolor perde a segunda seguida e cai na tabela
Alívio no Serra Dourada. Quatro meses depois, o Vila Nova voltou a vencer e sentiu o gosto de somar três pontos em uma partida de Série B pela primeira vez nesta temporada. A vítima foi o Santa Cruz, que até teve chances para ganhar no segundo tempo, mas perdeu por 3 a 2 em jogo válido pela 12ª rodada da Série B. O último triunfo colorado havia sido no dia 19 de março, no Campeonato Goiano. Já rebaixado, o Tigrão venceu o Grêmio Anápolis também por 3 a 2. Neste sábado, 1.780 pagantes assistiram ao jogo.

Sempre à frente no placar, o Vila marcou duas vezes no primeiro tempo, com Jheimy e Radamés, de pênalti, mas não conseguiu abrir boa vantagem, já que o Tricolor balançou as redes com Pingo e Danilo Pires. Na etapa final, porém, o Tigrão anotou com Paulinho quando o adversário era melhor e segurou o resultado até o fim. A vitória só não alivia a situação do Vila na tabela. A equipe soma cinco pontos e ainda está longe de deixar a lanterna. O time goiano tentará emplacar uma sequência de vitórias a partir do próximo sábado, quando visita o Sampaio Corrêa, às 21h.

O Santa Cruz, por sua vez, fica com o amargo sabor da segunda derrota consecutiva. Sem perder nas 10 primeiras rodadas, o Tricolor foi superado por Vasco e Vila Nova num intervalo de apenas cinco dias. Com 16 pontos, os pernambucanos ficam na 11ª colocação e voltam a campo no próximo sábado, às 16h20, contra o líder Ceará. O jogo será no Recife.

Jheimy vila nova gol Santa Cruz (Foto: André Costa / Agência Estado)
Jheimy festeja gol marcado contra o Santa Cruz na primeira vitória do Vila  (Foto: André Costa / Agência Estado)

Primeiro tempo agitado

Emoção não faltou no primeiro tempo. Se em 11 rodadas o Vila Nova havia feito apenas dois gols, o time goiano tratou de dobrar a marca em apenas 45 minutos. O problema para o Tigrão é que o adversário também estava disposto a balançar as redes. O Vila até fez por merecer o gol logo aos oito minutos, pois tocava melhor a bola e procurava espaços na defesa tricolor. Foi aí que Jheimy recebeu de Nenê Bonilha em profundidade e tocou na saída de Tiago Cardoso: 1 a 0 Vila. Mas mal deu tempo de comemorar. Pouco depois, a defesa colorada vacilou após cobrança de lateral e viu Pingo dominar no peito antes de fazer um golaço. O atacante do Santa soltou um voleio e acertou o ângulo de Cleber Alves: 1 a 1.

Com o gol marcado, o Tricolor tentou pressionar e se aproveitar da situação complicada do adversário na tabela. Quando era melhor, no entanto, o Santa sofreu outro duro golpe. Nininho puxou Jheimy dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. Radamés cobrou e colocou o Vila na frente outra vez: 2 a 1. Assim como fez após sofrer o primeiro gol, o Santa Cruz não se abateu e partiu para cima. Tanto é que Léo Gamalho iniciou blitz aos 30 minutos, e o lancesó terminou com bola na trave de Memo. A insistência deu certo. Tocando a bola com tranquilidade, a equipe pernambucana chegou pelo lado esquerdo novamente e empatou. Após cruzamento de Léo Gamalho, Pingo desviou e obrigou Cleber Alves a fazer grande defesa. Danilo Pires apareceu em velocidade e aproveitou o rebote para estufar as redes: 2 a 2.

Vila Nova x Santa Cruz no Serra Dourada (Foto: O Popular)
Vila Nova e Santa Cruz fazem duelo agitado no Serra Dourada (Foto: O Popular)

Santa pressiona, mas Vila Nova vence no fim

Além de ter encerrado a primeira etapa apresentando um futebol melhor, o Santa Cruz voltou dos vestiários com mais contundência e bombardeou a defesa do Vila Nova. Márcio Goiano foi obrigado a substituir João Paulo por Gabriel, que não se entendeu com Vítor na formação da nova dupla de zaga colorada. O Santa já ganhava o meio-campo e passou também a contar com trapalhadas dos jogadores do Vila. Gabriel deixou Léo Gamalho dominar dentro da área, se recuperou no lance, mas não evitou o chute. Cleber Alves fez grande defesa. No escanteio cobrado, o goleiro vilanovense precisou aparecer novamente e ainda contar com a sorte. Danilo Pires subiu sozinho e acertou a trave. No rebote, Cleber se atirou e evitou o gol de Léo Gamalho.

Apesar de jogar fora de casa, o Tricolor se lançava cada vez mais ao ataque. O único lance de perigo do Vila até então tinha sido um chute cruzado de Evandro Paulista que quase foi desviado para o fundo das redes. Era pouco. Do outro lado, o Santa continuava perigoso principalmente nas jogadas de bola parada. Aos 23, Betinho, que acabara de entrar, subiu livre e perdeu ótima chance. O Santa já tinha diminuído o ritmo, e a partida parecia caminhar para o empate. Só que aos 33 minutos o Vila Nova chegou ao gol de sua primeira vitória na Série B. Léo Rodrigues cruzou com veneno, a bola passou por Evandro Paulista e chegou até Paulinho. Livre de marcação, o meia bateu de primeira e estufou as redes: 3 a 2.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará 2 x 1 Icasa

 2 x 1 

12ª RODADA
CEARÁ DOMINA ICASA E LEVA SUSTO NO FIM, MAS VENCE E É LÍDER DA SÉRIE B
No retorno à Arena Castelão após a Copa, Vovô é absoluto no primeiro tempo emarca com Diego Ivo e Nikão. Gilberto desconta no fim .
Começou feio, mas ficou bonito. Pelo menos para a torcida do Ceará. Os chutões da defesa logo se transformaram em amplo domínio no ataque. Os gols saíram sem dificuldade, e a liderança veio como recompensa a um time que foi absoluto do início ao fim. Na volta à Arena Castelão após a Copa do Mundo, o Ceará bateu o Icasa por 2 a 1 neste sábado e assumiu a liderança da Série B do Brasileirão.

O placar foi desenhado ainda no primeiro tempo. Sempre no ataque, os donos da casa marcaram aos 15, com Diego Ivo, e aos 22, com Nikão. Gilberto ainda descontou para o Verdão no fim, aos 38, mas havia pouco tempo para uma reação. O Ceará alcançou 24 pontos e tem um a mais do que América-MG e Joinville. O Luverdense, que soma 21, poderia terminar a 12ª rodada em primeiro lugar, mas foi derrotado em casa pelo Atlético-GO. O Icasa caiu uma posição e está em 14°, com 12 pontos.

O próximo desafio do Icasa será no Romeirão, contra a Portuguesa, na terça-feira. Já o Ceará viaja para pegar o Santa Cruz, no Arruda, no sábado. Antes, na quarta-feira, recebe no Presidente Vargas a Chapecoense, pela Copa do Brasil.

Ceará vence assume liderança da Série B (Foto: Kléber Gonçalves/Agência Diário)
Ceará vence assume liderança da Série B (Foto: Kléber Gonçalves/Agência Diário)

Alvinegro imponente

Os primeiros minutos de jogo podem até ter deixado o torcedor apreensivo na arquibancada. Com a bola, João Marcos e Sandro escorregaram e por pouco não cederam contra-ataque ao Icasa. A torcida chiou. Mas foi só. A vantagem era toda alvinegra. O goleiro Jaílson apenas assistia à partida. Uma hora o gol iria sair, pensavam os torcedores. E não demorou tanto. Aos 15 minutos, saiu o primeiro, em cabeçada de Diego Ivo. Sete minutos depois, Nikão recebeu bom passe de Samuel Xavier e marcou o segundo. O Icasa, perdido em campo, sequer oferecia perigo aos donos da casa.

Susto e pressão no fim

O segundo tempo foi uma continuação do primeiro. Com a posse de bola, o Ceará criava as oportunidades, e o Icasa apenas se defendia. O goleiro Jaílson mais cobrava tiros de meta do que defendia bolas perigosas. Seguro no ataque, o Ceará cozinhou o jogo e apenas administrou o resultado para embolsar os três pontos. O Icasa ainda marcou o seu, com Gilberto, no fim da partida. Lulinha e Lima arrancaram os últimos suspiros da torcida antes do apito final. Não havia mais tempo para nada.

 

GLOBO ESPORTE.COM