Justiça Eleitoral suspende comercial protagonizado por Tiririca

Justiça Eleitoral suspende comercial protagonizado por Tiririca

A Justiça Eleitoral de São Paulo determinou às emissoras de rádio e TV, na noite desta terça-feira (15), que retirem do ar imediatamente a propaganda do site de vendas “bomnegocio.com” protagonizada pelo deputado federal Tiririca (PR-SP).

A decisão do juiz Cauduro Padin atende a uma representação do próprio partido. O argumento do advogado do PR, Ricardo Vita Porto, é de que a peça, que também está circulando no Youtube, confere tratamento privilegiado ao parlamentar, que é candidato à reeleição neste ano. A medida busca prevenir a agremiação de uma eventual sanção da Justiça Eleitoral.

Nas últimas eleições, há quatro anos, Tiririca foi o deputado mais votado, com 1,3 milhão de votos pelo Partido da República (PR). Na propaganda, ele sugere ao personagem do comercial que deixe sua “mulher véia, nojenta, mocreia”.

Ricardo Vita Porto invoca o artigo 45 da Lei 9.504/97, que proíbe as emissoras, a partir de 1º de julho do ano eleitoral, de dar tratamento privilegiado a algum candidato ou transmitir algum programa apresentado ou comentado pelo candidato em sua programação normal e noticiário.

“Diante de tal possibilidade, e das consequências que uma eventual violação ao dispositivo legal possa acarretar não só para o candidato, mas, também, para o ora Requerente (o partido), vem o Representante perante esta Eg. Corte requerer, caso entenda que de fato a conduta questionada está em desacordo com as normas eleitorais vigentes, seja  determinada, liminarmente, a imediata suspensão da veiculação do filme publicitário”, pede o advogado.

O juiz Cauduro Padin acolheu os argumentos e deferiu a liminar. “Diante destes aspectos presentes se fazem os requisitos necessários à concessão da liminar que fica deferida devendo as emissoras de rádio e televisão serem notificadas a fim de observar a vedação e/ou suspensão de exibição da referida peça publicitária”, sentenciou o magistrado.

NaTelinha

Google omitiu textos pessimistas após derrota do Brasil por 7 a 1 na Copa

Atualizada às 17h04

gigante da Internet Google admitiu ter omitido tópicos negativos na lista de assuntos mais pesquisados no País, no serviço Google Trends, no dia da eliminação do Brasil na Copa do Mundo, ao perder por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal.

Tessa Hewson, da redação do Google, afirmou, à emissora de rádio americana NPR, que a empresa da Internet preferiu esperar por outros assuntos mais pesquisados para sobrepor os tópicos negativos da partida.

A NPR também questionou o redator Sam Clohesy, que confirmou a decisão da empresa. Segundo ele, o Google acreditou que não valia a pena “jogar sal nas feridas” e que “uma história negativa sobre o Brasil não ganharia muita atração nas mídias sociais”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

A derrota do Brasil foi considerada por muitos como um grande vexame, além de ter sido a maior goleada sofrida pela Seleção na história.

Em nota enviada à redação, o Google afirmou que “durante a Copa do Mundo, compartilhamos mais de 150 cartões informativos em 13 línguas com tendências de buscas que julgamos interessantes e relevantes”.

Ainda no comunicado, o Google informa que “o objetivo principal é, acima de tudo, compartilhar aquilo que importa para a maior parte das pessoas num determinado momento”, e que “se desejarem, os usuários sempre podem consultar o google.com/trends para ver os tópicos que estão em alta nas buscas do Google.”

 

Diário do Nordeste

Dilma Rousseff lançará o programa Mais Futebol com jogadores cubanos

A presidente Dilma Rousseff está chateada, muito chateada, hiper-mega chateada, demonstrou total insatisfação com a seleção brasileira pela derrota sofrida de 7 a 1 da Alemanha. Pensando no futuro da seleção brasileira, Dilma pretende lançar o programa Mais Futebol com a importação de jogadores de Cuba.

Se vai dar certo, não se sabe, mas é uma medida do governo brasileiro para tentar salvar o futebol do país, após o massacre dos alemães.

A presidente ainda fará um pronunciamento oficial para anunciar o programa Mais Futebol, ao lado do técnico Felipão e de dirigentes da CBF.

 

G17

Mulher que deu nome ao filho de Mário Hexa Campeão processará o Felipão

A mato-grossense Maria Mariana Moreira de Moura promete processar o técnico da seleção brasileira pelo fracasso com o time na Copa do Mundo. Segundo Maria, seu filho recém-nascido está sofrendo bullying nos quatro cantos do mundo, devido o fracasso do Brasil na Copa.

Acontece que Maria registrou o filho com o nome de Mario Hexa Campeão Moreira de Moura. Apesar do arrependimento, ela disse que a culpa é do Felipão e que buscará uma indenização pelo bullying que o filho sofrerá para o resto da vida.

 

G17

‘Não vamos aceitar imposições de Cuba’, diz Aécio sobre o Mais Médicos

Em sabatina, candidato do PSDB à Presidência afirmou que o governo brasileiro usa o programa de saúde para financiar a ditadura cubana

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves: governo brasileiro usa o Mais Médicos para financiar a ditadura cubana

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves: governo brasileiro usa o Mais Médicos para financiar a ditadura cubana (Alice Vergueiro/Futurapress)

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou que o governo brasileiro não pode se submeter às imposições da ditadura cubana e que as regras do programa Mais Médicos precisam ser revistas. “O governo brasileiro financia o governo cubano com parte da remuneração dos médicos”, afirmou durante sabatina realizada nesta quarta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, SBT, Rádio Jovem Pan e UOL. “Não vamos aceitar as regras que foram impostas por Cuba.”

O valor pago pelo governo brasileiro atualmente aos médicos estrangeiros é de 10.000 reais, mas, ao contrário dos profissionais de outras nacionalidades, que recebem individualmente, o dinheiro é repassado ao governo cubano, que acaba entregando apenas 3.000 reais aos seus bolsistas. Do total de médicos que integram o programa, 80% são procedentes da ilha dos irmãos Castro.

O tucano afirmou considerar o programa importante, mas disse que o país “não pode cometer o equívoco de circunscrever a saúde pública ao Mais Médicos”. “Não tem por que não reconhecer. Mas tratá-lo como solução para os problemas de saúde no Brasil não é justo para com os brasileiros.”

Passe livre – Questionado se sua proposta de governo incluiria o transporte gratuito para estudantes, Aécio disse que essa é uma questão de responsabilidade dos municípios. “É uma responsabilidade municipal. Se o governo federal quiser subsidiar, tem de mostrar de forma muito clara de onde vai tirar esse recurso. Eu não acho justo, não acho que seja uma prioridade brasileira, dar passe livre para estudante de uma escola privada que paga 3.000 reais de mensalidade.”

Inflação – Aécio defendeu medidas para fortalecer a economia e criticou a gestão da presidente e adversária nas eleições Dilma Rousseff no combate à inflação. “Vamos tomar as medidas necessárias para recolocar o Brasil no rumo do crescimento sustentável, com controle da inflação e com a ampliação e melhoria dos nossos indicadores sociais”, disse. “Cresceremos menos que todos os nossos vizinhos da região. Já ultrapassamos o teto da meta [da inflação] sem que o governo acene de forma absolutamente clara com as medidas que tomaria no futuro para reverter esse quadro perverso.”

Copa do Mundo – O tucano voltou a criticar a presidente-candidata por usar politicamente o mundial de futebol no país – e depois se esconder com o fiasco da seleção brasileira. “Se tivesse ganhado, mesmo que fosse o terceiro lugar na Copa, ela seria a primeira a cumprimentar a seleção. É mais uma demonstração da tentativa de utilização política da Copa”, afirmou.

 

VEJA.COM

Unión Europea critica ola de arrestos en Cuba

903d7-comunismo-7486

La Unión Europea critico los recientes arrestos realizados en Cuba como el de 100 Damas de Blanco el pasado domingo. El bloque europeo que se encuentra negociando con Cuba un acuerdo que incluya el respeto a losderechos humanos lamento profundamente el accionar de las autoridades en Cuba.

“La UE está profundamente preocupada por el arresto temporal por parte de las autoridades cubanas de cerca de cien ‘Damas de Blanco’ en La Habana, tras participar en una misa el domingo” dijeron miembros de la Unión.

“Todos los ciudadanos deberían poder ejercitar su derecho a la libertad de expresión y de asamblea” dijeron en un comunicado condenando los arrestos.

La Unión Europea mantiene con Cuba una posición común que limita los intercambios pero actualmente muchos miembros mantienen contactos con la isla de manera individual.

 

Cuba en Miami

Inside Money: Aussie funds research house closes one door on New Zealand

9:30 AM Tuesday Jul 15, 2014

00c9b-6a00d83451d75d69e2017c36c8760d970b-800wi

Australian-based retail managed funds research outfit Lonsec has bailed out of the New Zealand market citing lack of commercial viability.

However, Lonsec Research sister company, SuperRatings, (both sit under parent firm Lonsec Fiscal) will push on with its KiwiSaver project, first reported here last May.

Newly-appointed Lonsec Fiscal co-CEO, Amanda Gillespie, said the “commercial side [of Lonsec’s NZ retail fund research] has not supported the resources needed to maintain it”.

“There’s more demand and growth in the KiwiSaver market and we decided to prioritise that,” Gillespie said.

Lonsec, along with rival Australian funds research firm, van Eyk, entered New Zealand about five years ago, soon after the introduction of new legislation governing the local financial advisory industry.

In theory, the newly-regulated advice sector should’ve boosted the market for independent financial product research in New Zealand as the rules require advisers to justify their investment recommendations.

Across the Tasman, fund research houses are vital cogs in the retail financial services machine – most products require a researcher stamp of approval before advisory business will look at them.

But even in Australia, where a much larger population of financial advisers have been regulated for decades, retail managed fund researchers have never had it particularly easy.

With only about 1,900 authorised financial advisers, most of whom operate under the auspices of large institutions, New Zealand was always going to be a tough proposition for purveyors of fund research.

Lonsec’s exit from New Zealand should ease the pressure for the remaining competitors: van Eyk, which now operates the former Perpetual advisory business in NZ under its own name; the long-established global firm, Morningstar, and; the NZX-owned FundSource.
Meanwhile, Lonsec’s Gillespie said the SuperRatings KiwiSaver research will now be managed by Adam Gee following the departure of Darren Howlin, who previously was responsible for the NZ business.

Gillespie said the research would be sold direct to KiwiSaver providers at first, although it may also be offered to financial advisory firms.

 

Source : The New Zealand Herald

Laerte tem transa ‘selvagem’ com Shirley antes de se casar com Luiza

Laerte (Gabriel Braga Nunes) e Shirley (Vivianne Pasmanter) se beijam em cena de Em Família, da Globo
Por MÁRCIA PEREIRA, em 15/07/2014 · Atualizado às 05h21O público vai descobrir que Laerte (Gabriel Braga Nunes) é um canalha no último capítulo de Em Família, da Globo, que será exibido nesta sexta-feira (18). Ele vai ter uma transa selvagem com Shirley (Vivianne Pasmanter) momentos antes de subir ao altar com Luiza (Bruna Marquezine). A loira ainda revelará ao público que eles sempre foram amantes. Depois, o flautista assediará Lívia (Louise D’Tuani) e quase a beijará no Galpão Cultural. Lívia se comportará como suspeita de atirar no músico após a cerimônia, na porta da igreja.

As cenas de sexo do músico com a perua devem ser bem sensuais. Ela o surpreenderá em seu apartamento. Shirley perceberá que o flautista está nervoso, mas o atacará com beijos ardentes. “Eles vão se deixando cair no tapete, sem se desgrudarem do beijo. E partem para uma cena de amor selvagem”, escreveu o autor da trama, Manoel Carlos, no roteiro entregue aos atores.

Antes de transarem, Shirley deixará claro que eles sempre foram amantes. “Qual é o  problema, meu amor. Entro, tomo banho, me ponho debaixo dos seus lençóis, ligo a TV e te espero. Quantas vezes fizemos assim?”, dirá ela.

Depois da primeira cena de sexo, o autor quer que o telespectador também perceba que se passou bastante tempo. Para isso, usará uma garrafa de uísque, deixando claro que os dois tomaram alguns drinques entre uma cena e outra. Aí, Laerte e a mãe de Leto (Rony Kriwat) vão aparecer numa nova sequência sensual. “Estão sentados no tapete e deitam-se com o beijo. A coisa vai evoluindo até que Laerte ergue-se subitamente, cortando o clima”, indica o novelista.

“Vou embora. Hoje, pra mim não dá”, dirá Laerte, que acabará não resistindo aos encantos da loira e parte para mais uma cena de amor.

Depois, a milionária vai insistir que eles devem fugir juntos, dizendo que deixou tudo armado com o piloto do seu jatinho, mas o músico a dispensará. Shirley ficará um pouco descontrolada com o término da relação. Ela vai sair correndo com o carro pelas ruas do Rio de Janeiro, tendo flashbacks de toda a sua história com o músico.

Dom Juan

Já com Lívia a situação será diferente. Laerte vai exercitar seu lado conquistador. Ele entrará numa das salas do Galpão Cultural e a verá tocando piano. A jovem estará de costas, quando será surpreendida com ele assoprando o seu pescoço, suavemente.

Lívia sentirá um arrepio, um tremor e se levantará abraçando Laerte. “Estava te esperando, pensei que viesse”, dirá a loira. “Nós marcamos alguma coisa?”, perguntará Laerte.

“Não, mas eu te espero todos os dias. E quando você não vem eu fico um pouco sem rumo, vou pra casa, deito na cama e cubro a cabeça, querendo logo que chegue o dia seguinte”, responderá ela.

Ele se impressionará com a sinceridade da jovem e a abraçará, beijando de leve seu pescoço. Depois, o noivo de Luiza beijará a moça perto do seus lábios. “Não faça assim comigo. Eu estou sofrendo por gostar tanto de você. Por isso, queria sair daqui, mudar de cidade, desaparecer”, dirá Lívia.

Quando ele estiver prestes a beijar a pianista, Verônica (Helena Ranaldi) baterá na porta e entrará. Ela pedirá para ter uma conversa em particular com o sócio, e Lívia sairá. A musicista o colocará contra parede sobre seu flerte com Lívia. O flaustista chamará a menina de bobona, sem saber que a jovem está ouvindo tudo escondida, o que a torna suspeita de atirar em Laerte, pouco mais tarde.