Flávio Ricco começa a bajular o seriado O Rebu

e6d71-rede-globo

Os que insistem em reclamar da falta de qualidade na TV aberta, por favor, deem uma passada em “O Rebu“.
É uma novela que tem todas as condições de modificar a opinião de muita gente.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Marcelo Rezende vai fazer merchandising no “Cidade Alerta”

57366-data0002tssnapshot16162

No contrato do Marcelo Rezende com a Record, renovado recentemente, ficou assegurado ao apresentador a liberdade de fazer ações de merchandising no “Cidade Alerta”.

Nas tratativas realizadas, além do reajuste combinado, por desejo das partes, também foi incluído este adendo ao compromisso anterior. Algo que, sem dúvida alguma, também terá um significado importante nas suas retiradas mensais.
Trata-se, no entanto, de uma exceção naquilo que continua terminantemente proibido para os demais produtos do departamento de jornalismo. Isso é uma coisa.
A outra é que o Marcelo vai tirar uma semana de folga, a partir de sexta-feira e Fabíola Gadelha, confirmando o que nesta terça-feira foi colocado por aqui, irá estrear como a sua substituta nas funções.
Aliás, a Fabíola é um exemplo do bom trabalho que a Record vem realizando nas praças, para incentivar o talento local. Ela saiu de Manaus e já conseguiu o seu lugar no jornalismo de rede.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Classificação da Serie B do Campeonato Brasileiro após a décima primeira rodada

Monk

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Santa Catarina Joinville 23 11 7 2 2 15 9 +6 70 Aumento1 Zona de promoção à Série A de 2015
2 Mato Grosso Luverdense 21 11 6 3 2 16 9 +7 63 Aumento1
3 Ceará Ceará 21 11 6 3 2 19 15 +4 63 Baixa2
4 Minas Gerais América Mineiro 20 11 6 2 3 18 12 +6 60 Estável
5 Rio Grande do Norte ABC 17 11 5 2 4 12 10 +2 51 Estável
6 Santa Catarina Avaí 17 11 5 2 4 12 12 0 51 Aumento3
7 Rio de Janeiro Vasco da Gama 17 10 4 5 1 16 7 +9 57 Aumento3
8 São Paulo Ponte Preta 17 11 4 5 2 15 13 +2 51 Baixa1
9 Rio Grande do Norte América de Natal 16 11 5 1 5 18 17 +1 48 Aumento2
10 Maranhão Sampaio Corrêa 16 11 4 4 3 17 11 +6 48 Baixa4
11 Pernambuco Santa Cruz 16 11 3 7 1 13 11 +2 48 Baixa3
12 Pernambuco Náutico 15 10 4 3 3 13 11 +2 50 Estável
13 Ceará Icasa 12 11 3 3 5 8 13 –5 36 Estável
14 Minas Gerais Boa Esporte 11 11 3 2 6 10 15 –5 33 Aumento5
15 São Paulo Oeste 11 10 2 5 3 9 13 –4 37 Aumento1
16 Goiás Atlético Goianiense 10 10 2 4 4 12 14 –2 33 Baixa2
17 São Paulo Bragantino 10 11 2 4 5 14 20 –6 30 Baixa2 Zona de rebaixamento à Série C de 2015
18 São Paulo Portuguesa 10 11 2 4 5 12 18 –6 30 Estável
19 Paraná Paraná 9 11 2 3 6 12 15 –3 27 Baixa2
20 Goiás Vila Nova 2 11 0 2 9 2 18 –16 6 Estável

América de Natal 4 x 2 Bragantino

 4 x 2 

11ª RODADA
AMÉRICA-RN VENCE DE VIRADA NA ARENA DAS DUNAS E DERRUBA BRAGA PARA O Z-4
Fernando Henrique comete duas falhas no primeiro tempo, mas Max (duas vezes), Wanderson e Rodrigo Pimpão garantem triunfo do Mecão
Após 42 dias sem jogos oficiais, o América-RN começou devagar, cometeu falhas, mas melhorou ao longo da partida e venceu o Bragantino por 4 a 2 na noite desta terça-feira, na Arena das Dunas, pela 11ª rodada da Série B do Brasileiro. No estádio que recebeu quatro jogos da Copa do Mundo, os torcedores viram Fernando Henrique falhar duas vezes no primeiro tempo, nos gols de Guilherme Mattis e Geandro. Mas Max, duas vezes, Wanderson e Rodrigo Pimpão lideraram a virada.

A vitória coloca o América-RN na nona colocação, com 16 pontos. O Bragantino, que adotou o discurso de arrancar para tentar o acesso, caiu para a zona de rebaixamento, na 17ª posição, com 10 pontos.

O Mecão tenta manter o embalo no próximo sábado, quando visita o Vasco, às 16h20, em São Januário. O Massa Bruta tenta a reabilitação no mesmo dia, mas às 21h, contra o Sampaio Corrêa, no Nabi Abi Chedid.

Max - comemoração - América-RN x Bragantino (Foto: Augusto Gomes)
Max comemora um de seus gols na vitória do América-RN sobre o Bragantino (Foto: Augusto Gomes)

Levou apenas um minuto e 49 segundos para que o torcedor do Bragantino tirasse o grito de gol da garganta. Foi quando Guilherme Mattis superou a zaga no jogo aéreo e cabeceou. A testada foi fraca, mas Fernando Henrique espalmou para dentro do gol. Não deu tempo para lamentar ou comemorar. Com seis minutos, foi a vez de o Mecão matar a saudade da rede adversária. Fabinho saiu na cara do gol e tocou para Max, sem goleiro, empatar o jogo. Quando o clima em campo esfriou, Fernando Henrique cometeu nova falha. Aos 20, Geandro cobrou falta em meia altura para a área. A bola atravessou a área sem que ninguém desviasse e quicou na frente do goleiro, que novamente a espalmou para dentro do próprio gol.

Se Fernando Henrique foi o vilão da primeira etapa, na segunda foi a vez da zaga do Bragantino cochilar. Com nove minutos, Morais recebeu na área e dominou com liberdade, sem marcação. Cara a cara com Renan, driblou o goleiro e foi derrubado com um carrinho. Na cobrança do pênalti, Max caminhou até a bola, deslocou o arqueiro e empatou. Com 26 minutos, mais um vacilo. Ao recuperar uma bola na ponta direita, a defesa do Massa Bruta saiu jogando errado e deu a bola nos pés de Wanderson, que invadiu a área e soltou uma bomba cruzada. Sem chances para Renan. Já nos acréscimos da segunda etapa, Fabinho cruzou com precisão para Rodrigo Pimpão anotar o quarto gol e garantir o triunfo.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará 1 x 3 Joinville

 1 x 3 

11ª RODADA
JOINVILLE TEM INÍCIO AVASSALADOR, VENCE POR 3 A 1 E TOMA A LIDERANÇA DO CEARÁ
Catarinenses marcam três gols nos primeiros 45 minutos e, com ótima atuação de Marcelo Costa, ganham por 3 a 1 em Presidente Vargas cheio
Depois de receber os treinos do Brasil e da Holanda na Copa do Mundo, o Presidente Vargas abriu suas portas para a Série B do Campeonato Brasileiro. Os 17.834 torcedores que encheram o estádio nesta terça-feira até tentaram empurrar o Vovô, mas um gol relâmpago surpreendeu os alvinegros que estavam no campo e na arquibancada. O Joinville, que no ano passado frustrou o sonho do acesso do Ceará na última rodada, aplicou outro duro golpe, venceu por 3 a 1 e tomou do adversário a liderança da Segundona, com 23 pontos. Os donos da casa, com 21, caíram para a terceira colocação, ultrapassados também pelo Luverdense.

As vaias da torcida do Vovô no intervalo foram o espelho da desilusão que se estabeleceu nos primeiros 45 minutos. Marcelo Costa, aos 39 segundos e aos 46 minutos, e Jael desenharam a vitória precoce. Na etapa complementar, o Alvinegro de Porangabuçu até tentou, mas faltou capricho. Os torcedores deixaram o estádio cedo e mal viram o único gol dos donos da casa, que esboçaram uma reação, mas já sem tempo de conseguir mudar o resultado.

O próximo compromisso do Ceará é contra o Icasa no sábado, às 16h20, na Arena Castelão. Para se manter na ponta, o Joinville enfrenta o ABC na sexta-feira, às 19h30, no Frasqueirão.

Ceará x Joinville (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
Joinville bate Ceará fora de casa e abocanha a liderança da Série B (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)

Goleada precoce, e reação tardia

No reencontro com o estádio do bairro Benfica, o torcedor do Ceará vibrou antes de a bola rolar. E continuou apoiando mesmo depois do primeiro gol sofrido, nos segundos iniciais, com Marcelo Costa aproveitando cruzamento de Bruno Costa. Em campo, Nikão era o que mais apresentava perigo ao goleiro do Joinville, acertando a trave em uma das tentativas. Os visitantes, com menos posse de bola, tinham pela frente uma zaga insegura. E aproveitaram a falha de Jaílson para ampliar, com Jael, aos 27. Contando com sorte e desvio de bola em Marcelo Costa, o time catarinense aplicou o último golpe nos segundos finais. O chute foi de Edson Ratinho, mas a arbitragem confirmou o gol para Costa.

No início da etapa complementar, os donos da casa partiram para o ataque. Precisando de gols para diminuir a vantagem catarinense, o Ceará não conseguia passar pela sólida defesa adversária. A pressão durou pouco tempo, e a torcida logo notou. Tanto que muitos começaram a deixar o PV antes dos 30 minutos. Nem viram o gol de Lulinha, aos 43, completando o chute de Magno Alves, que encobriu o goleiro. O mesmo Lulinha ainda fez mais um, anulado equivocadamente pela arbitragem, que assinalou impedimento. No fim, o Ceará pressionou, mas já era tarde. A liderança da Segundona agora é catarinense.

Ceará x Joinville (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
Derrota para o Joinville foi a primeira do Vovô sob seus domínios (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
GLOBO ESPORTE.COM

Luverdense 3 x 1 ABC

 3 x 1 

11ª RODADA
LUVERDENSE VENCE O ABC EM MT E ASSUME A VICE-LIDERANÇA DA SÉRIE B
Em noite de Misael, time mato-grossense faz 3 a 1 e segue no G-4. Goleiro do time potiguar é expulso, e atacante é obrigado a ir para debaixo da trave

O Luverdense vai dormir mais uma rodada no G- 4 da Série B. O time mato-grossense segue imbatível como mandante e conquistou sua quarta vitória em casa ao vencer o ABC por 3 a 1 no Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde. Com o triunfo, o Verdão do Norte termina a 11ª rodada na vice-liderança da competição com 21 pontos. Os potiguares seguem na cola dos líderes, em quinto, com 17 pontos.

O placar da partida foi todo construído na segunda etapa. Após um primeiro tempo fraco tecnicamente, o Luverdense abriu o placar aos 4 minutos com Misael, o ABC empatou na sequência com Rodrigo Silva aos 6, Washington fez o segundo do time mato-grossense aos 16 e Misael fechou o placar aos 39 com um gol de pênalti, que teve uma particularidade: o goleiro era o atacante Lúcio Flávio, que calçou as luvas após a expulsão de Gilvan.

O Luverdense volta a campo no próximo sábado, diante do Atlético-GO, em Goiânia. Já o time potiguar vai receber o líder Joinville em Natal.

Gols no segundo tempo

O jogo começou morno, com o Luverdense tomando a iniciativa, mas sem criar perigo ao gol do goleiro Gilvan. O primeiro lance de perigo só foi acontecer aos 16 minutos após Misael sofrer falta na entrada da área do ABC. Na sequência da jogada, Raul Prata cruzou para Misael, que quase abriu o placar para o Verdão do Norte, mas a bola passou à esquerda do gol. O ABC só foi assustar a equipe mato-grossense aos 27 minutos, com um forte chute de fora da área de Rodrigo Silva. O goleiro do Luverdense deu rebote e Gilmar não conseguiu empurrar a bola para o gol.

Na volta do intervalo as duas equipes começaram a arriscar mais e os gols saíram. Logo aos 4 minutos, Misael entortou o zagueiro pela direita e fez um belo gol para o Luverdense. Na sequência, aos 6 minutos, Rodrigo Silva empatou o jogo após receber cruzamento pela direita e se esticar para fazer o gol. Com o gol de empate, o ABC saiu para cima e conseguiu pressionar o Luverdense com Xuxa, que quase virou o jogo aos 10 minutos, mas Weverton fez grande defesa.

Continuando o ritmo frenético do segundo tempo, aos 16 minutos, Washington ampliou para time mato-grossense. Aos 39, o próprio Washington sofreu pênalti e provocou a expulsão do goleiro Gilvan. Como os potiguares já tinham feito todas as substituições, o atacante Lúcio Flávio, que acabara de entrar na partida, foi para o gol e ajudou Misael a coroar sua noite de gala. Lúcio não conseguiu evitar o segundo gol artilheiro do time mato-grossense, que fechou o placar de 3 a 1 para os donos da casa.

Luverdense vence e assume a vice-liderança (Foto: Átilla Eugênio)
Luverdense vence e assume a vice-liderança (Foto: Átilla Eugênio)
GLOBO ESPORTE.COM

Vasco 4 x 1 Santa Cruz

 4 x 1 

11ª RODADA
DE VIRADA E COM GOL DE KLEBER, VASCO SE IMPÕE E BATE O SANTA EM CUIABÁ
Estreante, atacante marca de pênalti em noite de Fabrício e ajuda o time a subir mais três posições. Time pernambucano sofre sua primeira derrota
Não foi tão fácil como o placar de 4 a 1 indicou ao apito final, mas serviu como injeção de otimismo para a arrancada rumo à elite. O Vasco superou, de virada, o Santa Cruz, na noite desta terça-feira, na Arena Pantanal, em Cuiabá, e saltou mais três posições após os 45 dias de parada para a Copa do Mundo. De quebra, impôs ao adversário sua primeira derrota na Série B. Como se não bastassem os motivos para sorrir, o estreante Kleber marcou de pênalti. O dono da partida, entretanto, foi mesmo Fabrício, que fez dois gols. Douglas Silva também deixou o dele, e Danilo Pires anotou pelo lado pernambucano.

Agora, o clube carioca, em sétimo com 17 pontos, recebe o América-RN, sábado, em São Januário, finalmente com sua torcida de volta no Rio de Janeiro depois da punição imposta pelo STJD pela briga generalizada na arquibancada da Arena Joinville, na derrota para o Atlético-PR, que decretou o rebaixamento. Já o Santa parou nos 16, caiu para o 11º lugar e mede forças com o lanterna Vila Nova, no mesmo dia, no Serra Dourada. Foram 5.274 pagantes, com renda de R$ 262.810.

A equipe cruz-maltina teve mais posse de bola no começo, mas mostrou lentidão no ataque e logo foi supreendida pelo Rubro-Negro, que apostava em rápidos contragolpes quase sempre pela esquerda. Aos 17 minutos, Danilo Pires limpou o lance, bateu firme e contou com a colaboração de Martín Silva, que não reagiu e foi encoberto. A desvantagem chacoalhou o Vasco, e Adilson Batista trocou seu lateral-direito para evitar mais espaços no setor.

Comemoração do Vasco e Santa Cruz (Foto: Marcelo Sadio / vasco.com.br)
Comemoração do Vasco do primeiro gol de empate de Fabrício (Foto: Marcelo Sadio / Vasco.com.br)

 

Aos poucos, os cariocas ganharam terreno novamente e se acertaram na marcação. Fabrício emendou de primeira de fora da área, marcando um golaço. Pouco depois, sem tempo de o Santa Cruz respirar, Douglas Silva aproveitou pane da defesa rival e completou cruzamento de Dakson. Com a virada, tudo ficou mais fácil. A torcida, que já ensaiava a vaia, apoiou com força, e o time passou a atuar com mais confiança, arriscando as jogadas ofensivas.

Depois do intervalo, apesar de algumas dificuldades, parecia questão de tempo para ampliar. Carlos César caiu na área, aos 20, e Kleber cobrou pênalti com categoria no cantinho. O Santa ainda assustava com bons lançamentos, mas Martín Silva se recuperou e foi minando as forças. Houve tempo ainda para Fabrício fechar sua noite de gala com um toque firme de pé esquerdo, já na área, complementando bola de Lucas Crispim, que entrou muito bem.

Vasco e Santa Cruz (Foto: Marcelo Sadio / vasco.com.br)
Kleber tenta o chute observado de perto por um rival (Foto: Marcelo Sadio / Vasco.com.br)
GLOBO ESPORTE.COM

Oeste 0 x 0 Icasa

 0 x 0 

11ª RODADA
OESTE E ICASA FICAM NO ZERO E SE MANTÊM PRÓXIMOS DO Z-4 DA SÉRIE B
Após folga da Copa do Mundo, e com elencos renovados, times apenas empatam em Itápolis. Goleiro do Rubrão pega pênalti e é o destaque do jogo .
Com certeza os poucos mais de 250 torcedores que foram ao Estádio dos Amaros, em Itápolis, nesta terça-feira, para ver o confronto entre Oeste e Icasa após a paralisação por conta da Copa do Mundo esperavam ver algo diferente do que vinha sendo apresentado por estas equipes antes da parada. Mas o duelo, válido pela 11ª rodada da Série B, terminou em 0 a 0, graças principalmente ao goleiro do Rubrão de Itápolis, que defendeu um pênalti no 2º tempo.

Oeste e Icasa retomaram a disputa na segundona nacional com muitas novidades após a parada para a Copa do Mundo, com elencos amplamente renovados – os paulistas anunciaram cinco reforços, enquanto os cearenses contrataram nada menos que 16 jogadores, em substituição a 13 dispensas. Mas o futebol apresentado  foi muito parecido com o que deixou ambas as equipes muito próximas da zona do rebaixamento.

Com o resultado, o Icasa foi a 12 pontos e ocupa a 13ª posição, enquanto o o Oeste está na 15ª colocação, com 11 pontos, ou seja, muito próximos do primeiro time dentro do Z-4, oBragantino, que tem 10 pontos. A vantagem é que Icasa e Oeste, assim como Vasco e Atlético-GO, possuem um jogo a menos que as demais equipes.

Oeste e Icasa (Foto: José Luis Silva / Agência estado)
João Denoni, do Oeste, tenta escapar da marcação de Vanger, do Icasa (Foto: José Luis Silva/Ag. Estado)

Pela 12ª rodada, o Oeste volta a campo na próxima sexta-feira, às 19h30, quando enfrenta o América-MG, no estádio Independência. Já o Icasa faz o clássico cearense diante do Ceará, no sábado, às 16h, na Arena Castelão

Renovação, só nos elencos

Oeste e Icasa iniciaram a partida com propostas bem distintas. Com o Icasa claramente preocupado apenas em se defender e sem criar uma chance sequer, coube ao Oeste tentar o gol. Mas sem um atacante de ofício, sobrou para o meia Wagninho perder as principais oportunidades em dois cabeceios para fora. O também meia Lelê arriscou de longe e deu trabalho ao goleiro Fábio. Mas foi tudo o que aconteceu no primeiro tempo.

“Começa” o jogo

Para a segunda etapa o técnico Tarcísio Pugliese colocou o Icasa mais à frente, mas não o suficiente para dar muito trabalho ao goleiro Paes, pelo menos até os 27 minutos, quando o árbitro Igor Junio Benevenuto vê como faltosa a entrada de Lucas Bahia em Núbio Flávio e anota pênalti para os cearenses. Dodó cobra à meia altura e o goleiro Paes defende. Animado, o técnico Francisco Diá mandou o Rubrão todo ao ataque, promoveu as estreias de Fininho e Ramires, que não fizeram jus à expectativa, e o jogo terminou mesmo como começou: 0 a 0.

 

GLOBO ESPORTE.COM

América Mineiro 1 x 0 Paraná

 1 x 0 

11ª RODADA
AMÉRICA-MG VENCE PARANÁ EM CASA E SE MANTÉM ENTRE OS LÍDERES DA SÉRIE B
Depois de jogo equilibrado no primeiro tempo, Coelho cresce e pressiona até marcar com Vitor Hugo. Triunfo por 1 a 0 deixa time mineiro no G-4
A parada para a Copa do Mundo rendeu bons frutos para o América-MG. Na retomada da Série B do Campeonato Brasileiro, o time mineiro venceu o Paraná por 1 a 0, na Arena Independência e assumiu a vice-liderança da competição. Já o Tricolor Paranense se complicou ainda mais na competição, caindo para 19ª colocação.
Apesar de jogar fora de casa, o time paranaense iniciou o jogo de igual  para o igual com o América-MG. O Tricolor se defendia bem e assustava no contra-ataque. O Coelho teve maior posse de bola, porém, não conseguiu superar a defesa adversária e pecava na finalização

Na segunda etapa, o time da casa voltou com uma postura mais ofensiva e proporcionou lances de emoção com o goleiro Marcos, que foi a grande figura da segunda etapa. O Paraná ficou acuado e se defendia satisfeito com um empate fora de casa. Entretanto, após várias tentativas frustradas, o América-MG conseguiu o gol aos 42 minutos, com uma cabeçada de Vitor Hugo.

O Coelho retorna aos gramados na próxima sexta-feira contra o Oeste, às 19h30, na Arena Independência. No mesmo dia e horário, o Tricolor entra em campo, novamente fora de casa, mas contra a Portuguesa, no Canindé.

América-mg e Parana (Foto: André Yanckous / Agência estado)
América-MG tentou o gol durante todo o jogo e Vitor Hugo marcou (Foto: André Yanckous / Agência estado)

 

Paraná começa assustando, mas Coelho segura

Com a bola rolando, o jogo começou igual, com leve vantagem para o Paraná, que mesmo atuando fora de casa, admistrava o jogo. O time comandado por Claudinei Oliveira apresentava equilíbrio entre ataque e defesa, assustando nos contragolpes em velocidade. O Coelho tinha maior posse de bola e também levava perigo à meta de Marcos, mas melhor para a defesa do Tricolor, que bem postada, eliminou todas as chances do mandante abrir o placar.

O segundo tempo foi de superioridade absoluta do mandante, que com a entrada do meia Tchô na vaga do volante Doriva, ganhou qualidade no meio campo e mais poder ofensivo. O Paraná voltou com uma postura mais defensiva, dando espaço para o América-MG chegar com perigo à meta de Marcos, o grande nome da segunda etapa. Porém, o time paranaense não conseguiu conter o ímpeto ataque mineiro, que em belo cabeceio de Vitor Hugo, balançou as redes, garantindo três pontos dentro de casa.

 

GLOBO ESPORTE.COM