Números de ontem do TV TOTAL

Isabel Vilela_Juliana Silveira

País Visualizações
Sinal BrazilBrazil 776
Sinal Estados UnidosEstados Unidos 71
Sinal PortugalPortugal 15
Sinal AustráliaAustrália 6
Sinal Russian FederationRussian Federation 3
Sinal United KingdomUnited Kingdom 3
Sinal FranceFrance 1
Sinal BoliviaBolivia 1
Sinal LibyaLibya 1
Sinal GermanyGermany 1
Sinal AngolaAngola 1
Sinal ItalyItaly 1

Band vai exibir Cidade de Deus hoje às 22h30

Band adquire "Cidade de Deus" e exibe filme nesta quarta

 

Um dos mais conceituados filmes brasileiros, dentro e fora do nosso país, “Cidade de Deus” mudou de casa na TV aberta.

Co-produzido pela O2 Filmes e pela Globo Filmes, produtora de cinema das Organizações Globo, o longa foi adquirido pela Band, que o exibirá na noite desta quarta (04), a partir das 22h30, como já consta em sua programação e é divulgado em chamadas durante os intervalos comerciais.

Esta é a segunda vez que um filme do braço cinematográfico da Globo será exibido fora da emissora carioca. Em  2005, em uma atitude surpresa, o SBT mostrou o longa “Bufo e Spallanzani”, sem qualquer divulgação em sua grade, e um dia antes de sua exibição na Globo. O SBT argumentou que como a Warner distribuía o filme, poderia exibi-lo. As duas travaram uma guerra na Justiça e a Globo acabou ganhando em 2008, tanto que exibiu o longa na “Sessão Brasil”, em 2009.
Porém, desta vez a exibição será legal, e sem a cessão dos direitos pela Globo. É que a Miramax International, que distribui “Cidade de Deus” dentro e fora do Brasil, vendeu o filmes para a Band, já que o contrato com a Globo terminou e, assim, a emissora do Morumbi pode exibi-lo tranquilamente.

“Cidade de Deus” foi produzido em 2002, com direção de Fernando Meirelles e roteiro adaptado de Braúlio Mantovani, que o fez a partir do livro escrito por Paulo Lins.

Recebeu quatro indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Diretor (Fernando Meirelles), Melhor Roteiro Adaptado (Bráulio Mantovani), Melhor Edição (Daniel Rezende) e Melhor Fotografia (Cesár Charlone), mas acabou perdendo todos os prêmios para o filme “O Senhor dos Anéis”.

 

NaTelinha

Veja a audiência do primeiro episódio da novela Vitória

Isabel Vilela_Juliana Silveira

Juliana Silveira ofuscou a protagonista , Thais Melchior .

A chegada dos dados consolidados de audiência de segunda-feira (02) no começo da tarde desta terça (03) beneficiou o Cidade Alerta“Jornal da Record e a estreia de “Vitória”. Os três produtos tiveram seus índices elevados naRecord.
O “Cidade Alerta” alcançou média de 12 pontos e teve o melhor desempenho de todo o ano além de ter fechado com um dos melhores índices desde sua reestreia, em maio de 2012.
Logo em seguida, o “Jornal da Record” também bateu recorde anual e registrou média de 11 pontos. Tal desempenho foi superior, inclusive, ao alcançado pelo “Jornal da Globo”, que fechou com 9,5 pontos no fim do horário nobre da concorrente carioca.
“Vitória”, por sua vez, que havia marcado 7 pontos na prévia, subiu para 8 no consolidado. No entanto, o folhetim se mantém como pior estreia da dramaturgia da Record.
A diferença para os dados prévios é que, com 8 pontos, a trama passa a dividir o posto com “Alta Estação”, de 2006, e “Balacobaco”, de 2012. A média de 8 pontos também é a mesma alcançada pelo desfecho de “Pecado Mortal” na última sexta-feira (30).
Esses índices são consolidados e são baseados na preferência de um grupo de telespectadores da Grande São Paulo.
NaTelinha

Classificação do Campeonato Brasileiro da Serie A após a nona rodada

Natalie Teeger

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Minas Gerais Cruzeiro 19 9 6 1 2 18 10 +8 70 Estável Segunda fase da Copa Libertadores de 2015
2 Rio de Janeiro Fluminense 16 9 5 1 3 14 8 +6 59 Estável
3 São Paulo Corinthians 16 9 4 4 1 11 5 +6 59 Estável
4 São Paulo São Paulo 16 9 4 4 1 16 12 +4 59 Aumento4 Primeira fase da Copa Libertadores de 2015
5 Rio Grande do Sul Internacional 16 9 4 4 1 12 9 +3 59 Baixa1
6 Rio Grande do Sul Grêmio 15 9 4 3 2 7 5 +2 55 Aumento1
7 Goiás Goiás 15 9 4 3 2 7 7 0 55 Baixa2
8 Minas Gerais Atlético Mineiro 14 9 4 2 3 11 9 +2 52 Baixa2
9 São Paulo Santos 14 9 3 5 1 10 5 +5 52 Aumento2
10 São Paulo Palmeiras 13 9 4 1 4 8 10 –2 48 Baixa1
11 Paraná Atlético Paranaense 13 9 3 4 2 15 12 +3 48 Aumento1
12 Pernambuco Sport 11 8 3 2 3 7 10 –3 46 Aumento3
13 Santa Catarina Criciúma 11 9 3 2 4 4 11 –7 41 Baixa3
14 Rio de Janeiro Botafogo 9 9 2 3 4 13 12 +1 33 Baixa1
15 Bahia Bahia 8 8 2 2 4 7 9 –2 33 Baixa1
16 Santa Catarina Chapecoense 8 9 2 2 5 7 10 –3 29 Aumento2
17 Paraná Coritiba 7 9 1 4 4 8 10 –2 26 Aumento3 Zona de rebaixamento à Série B de 2015
18 Bahia Vitória 7 9 1 4 4 8 11 –3 26 Baixa2
19 Rio de Janeiro Flamengo 7 9 1 4 4 6 13 –7 26 Baixa2
20 Santa Catarina Figueirense 4 9 1 1 7 3 14 –11 15 Baixa1

Figueirense 1 x 3 Atlético Paranaense

 1 x 3 

9ª RODADA
WEVERTON BRILHA, DOUGLAS COUTINHO DECIDE, E ATLÉTICO-PR BATE O FIGUEIRA
Goleiro paranaense tem grande atuação na vitória por 3 a 1, que deixa time a três pontos do G-4; catarinenses vão para a Copa do Mundo na lanterna .
A diferença entre ataque e defesa funcionou a favor do Atlético-PR outra vez no Brasileirão. Diante do Figueirense, neste domingo, em Florianópolis, Douglas Coutinho marcou três vezes e manteve os números positivos na frente – o time balançou as redes em todos os jogos. Atrás, sofreu um, marcado por Everaldo, e viu o goleiro Weverton brilhar e garantir o triunfo por 3 a 1 com defesas importantes, aumentando a agonia da maioria dos 4.608 torcedores presentes no estádio Orlando Scarpelli

Com o resultado, o Atlético-PR termina a primeira parte do Brasileirão na 11ª colocação, com 13 pontos, mas a apenas três do G-4. O Figueirense soma uma vitória e um empate na competição e segue na lanterna, a quatro pontos do primeiro time fora da zona da degola.

Agora, as duas equipes entram em férias e só voltam a campo pela competição no dia 16 de julho, após a Copa do Mundo. O Atlético-PR segue jogando longe da torcida, desta vez diante do Flamengo, no Rio de Janeiro. O Figueirense encara o outro paranaense, oCoritiba, fora de casa.

No recesso do Brasileirão, tanto Figueirense quanto Atlético-PR têm pontos a arrumar, mas em um deles, as equipes estão bem servidas: goleiros. Tiago Volpi e Weverton são líderes no quesito defesas difíceis e foram exigidos no primeiro tempo. Em especial o camisa 1 paranaense. A velocidade, característica dos visitantes, também foi explorada pelo Alvinegro, que parou no arqueiro do Furacão rubro-negro. Quando não segurou, Weverton ainda contou com a trave para salvá-lo, em finalização de Everaldo. E quem não faz? Leva. A regra quase perfeita do futebol deu as caras em Florianópolis. Aos 47, Douglas Coutinho aproveitou cruzamento de Sueliton e levou a vantagem para o intervalo.

 

GLOBO ESPORTE .COM

Santos 2 x 0 Criciúma

 2 x 0 

9ª RODADA
AROUCA E GABRIEL VÃO BEM, SANTOS VENCE O CRICIÚMA E EMBALA
Dupla participa dos dois gols da vitória em São Bernardo do Campo, a primeira do Peixe como mandante no Brasileiro. Tigre se preocupa com Z-4 .
Longe da Vila Belmiro, o Santos conquistou sua primeira vitória como mandante neste Campeonato Brasileiro. Atuando no Primeiro de Maio, em São Bernardo do Campo, já que seu estádio está entregue à Fifa para a Copa do Mundo, o Peixe derrotou o Criciúma por 2 a 0, neste domingo à noite, e emplacou uma sequência positiva na competição. São quatro jogos

sem

derrota. O segundo triunfo consecutivo, mesmo com um time todo desfalcado. Assim como foi contra o Bahia, no meio da semana, a equipe de Oswaldo de Oliveira soube lidar com a ausência de vários jogadores: dos considerados titulares, atuaram Aranha, Cicinho, Arouca, Lucas Lima e Gabriel.

A peça-chave do Santos foi Arouca, que começou as jogadas dos dois gols, mostrando raça e ao mesmo tempo técnica para roubar a bola no meio-campo e lançar no pé do Gabriel em ambos os lances. Primeiro, o atacante mandou para a rede. Depois, preferiu servir Diego Cardoso. Em desvantagem, o Criciúma bem que tentou igualar, mas não mostrou qualidade e sequer fez Aranha trabalhar.

O resultado fez o Santos subir duas posições na tabela. Com 14 pontos, o Peixe agora é o nono colocado, a dois de distância para o G-4. Já o time catarinense vai para a pausa para a Copa do Mundo com o sinal de alerta ligado. São 11 pontos somados, quatro a mais do que o primeiro na zona de rebaixamento.

As equipes só retornam a campo em um mês e meio. O Santos terá pela frente o clássico com o Palmeiras, como mandante, enquanto o Criciúma receberá o Fluminense no Heriberto Hulse. A princípio, os jogos estão marcados para o dia 16 de julho.

Arouca e Gabriel dão a vitória para o Santos

Não era a Vila Belmiro, mas Gabriel estava em casa. Nascido em São Bernardo do Campo, o atacante do Santos jogava pela primeira vez, como profissional, em sua cidade natal. E fez bonito para os amigos e familiares que o prestigiavam no estádio Primeiro de Maio. Aos dez minutos, ele recebeu lançamento, após Arouca roubar a bola no meio-campo, e chutou para o fundo da rede.

Aos 17, praticamente um repeteco da primeira jogada. Arouca novamente recuperou a posse da bola, em lance que arrancou aplausos de jogadores e comissão técnica no banco de reservas, e lançou Gabriel. Dessa vez, o atacante não finalizou. Aberto na direita, ele viu Diego Cardoso melhor posicionado pelo meio e tocou para o companheiro empurrar para a rede e marcar seu primeiro gol no Campeonato Brasileiro.

A vantagem permitiu ao Santos relaxar e tirar o pé. Por outro lado, o Criciúma se arriscou mais ao ataque, mas nada que fizesse Aranha trabalhar para valer. Segundo pior ataque da competição, com quatro gols em nove jogos – melhor apenas que o Figueirense, o Tigre mostrou pouco repertório na frente. As jogadas quase sempre se resumiam às bolas paradas de Paulo Baier, que também não esteve em seus melhores dias e foi incapaz de mudar o resultado em São Bernardo.

Gabriel gol Santos (Foto: Leandro Martins / Futura Press)

GLOBO ESPORTE .COM

Fluminense 1 x 1 Internacional

 1 x 1 

9ª RODADA
INTER JOGA MELHOR, PRESSIONA O FLU, MAS FICA NO EMPATE NO MOACYRZÃO
Gaúchos vão bem no segundo tempo, porém, não conseguem transformar a superioridade em gol e param em quinto no Brasileiro. Tricolor é vice-líder .
D’Alessandro arisco, Wellington Paulista saindo da área para ajudar, marcação forte no meio, Valdivia entrando para dar mais velocidade, Fabrício apoiando bem. O Inter parecia fazer tudo certo. Depois de um primeiro tempo equilibrado, voltou para o segundo mais organizado, dominou o meio de campo, mas o 1 a 1 com o Fluminense insistiu em permanecer no placar do Moacyrzão neste domingo. Agora, jogos do Campeonato Brasileiro somente em julho, após o fim da Copa do Mundo. E os gaúchos dormem em quinto durante a parada, com 16 pontos. Os tricolores seguem na vice-liderança, com a mesma quantidade de pontos, porém, com uma vitória a mais no critério de desempate.

Abel Braga geralmente fica inquieto à beira do campo. Mas teve motivos de sobra para balançar a cabeça negativamente desta vez. A bochecha ficava avermelhada a cada lance perdido. Das 13 finalizações, cinco eram chances reais de gol. Teve de se contentar com a única bola na rede marcada por Jorge Henrique, que, aliás, foi a surpresa na escalação.

Cristóvão Borges sonhava com o triunfo para “torcer na Copa com tranquilidade.” Não foi possível. O saldo dessas nove primeiras rodadas, porém, é positivo. Contra o Inter seu time teve volume na primeira etapa. Mas a qualidade caiu, a equipe se perdeu no meio de campo, Walter ficou isolado – teve ainda um gol anulado -, e de bom tamanho ficou o gol de Jean que não permitiu que o adversário direto pelo G-4 o ultrapassasse.

Walter e Juan Fluminense x Internacional (Foto: Fabio Castro / Ag. Estado)
Walter e Juan disputam a bola no Moacyrzão. Times ficam no empate (Foto: Fabio Castro / Ag. Estado)

Tudo começou muito equilibrado. O Inter demorou mais a acordar. Era dominado e sufocado no campo defensivo. Abel Braga, no primeiro confronto com o Fluminense depois que deixou o clube no ano passado, conhece bem a sua cria. Optou por Jorge Henrique. Deixou Valdivia esperando no banco. Desde o início o rápido atacante incomodou Carlinhos, e eles chegaram a se estranhar. E quando Diguinho perdeu a bola e Alan Patrick tocou com precisão, o arisco jogador do Inter apareceu livre no meio da defesa, que parou para assistir: 1 a 0. Jean tratou de deixar o resultado mais justo naquele momento quando chutou de fora da área para empatar – Rafael Sobis estava em posição irregular antes de tocar para o volante finalizar. Aí os colorados acordaram de vez.

Alguns defeitos que os tricolores já apresentavam ficaram mais expostos no segundo tempo quando o adversário tomou o meio de campo e fez o ritmo da partida ser como queria. Conca apagado, Carlinhos errando quase todos cruzamentos, Walter isolado no ataque, passes errados – 37 contra 26 do Inter. Mas foi Abel que começou a ficar inquieto. Chamou Valdivia para usar a arma que tinha guardado. O jovem jogador deu trabalho, colocou mais velocidade. O gol não saiu. D’Alessandro deixou o campo satisfeito com a pontuação alcançada antes da parada para a Copa, apesar de acreditar que seu time poderia ter vencido. Walter também não reclamou do pontinho conquistado. E segue o jogo.

Mas segue o jogo agora só em 16 de julho. Neste dia, pelo Brasileiro, o Fluminense pega oCriciúma, no Heriberto Hülse. O Inter vai encarar o Corinthians, fora de casa. Antes, porém, o Tricolor terá um amistoso contra a Itália, 8 de junho, em Volta Redonda.

 

GLOBO ESPORTE .COM

Corinthians 1 x 1 Botafogo

 1 x 1 

9ª RODADA
BOTA ARRANCA EMPATE NO FIM E FRUSTRA NOVA FESTA NA CASA DO CORINTHIANS
Jadson abre o placar, mas time paulista não aproveita as chances para matar o jogo e acaba castigado por Edílson. Dentro, estádio funciona bem .
O velho ditado “quem não faz, leva” entrou em ação no segundo jogo do Corinthians em sua recém-inaugurada arena, neste domingo, e impediu mais uma vez que o time paulista festejasse antes da Copa do Mundo. Depois do Figueirense, que arrancou uma surpreendente vitória há duas semanas, o vilão da vez foi o Botafogo, dominado em grande parte dos 90 minutos, decretando 1 a 1 com gol de Edilson perto do fim. Jadson havia aberto o placar para o Timão no primeiro tempo.

O resultado deixa a equipe de Mano Menezes em terceiro lugar, agora com 16 pontos. Já o Glorioso fica na 14º posição, com nove, e cupre a missão de se afastar um pouco da zona de rebaixamento no recesso para o Mundial. Na próxima rodada, em 16 de julho, os paulistas recebem o Inter, e os cariocas encaram o Sport, fora de casa.

Foi o último evento-teste para o palco da abertura da Copa do Mundo. O público pagante de 37.119 (renda de R$ 2.616.819,50) recheou o estádio, embora tenha tido dificuldades para entrar por causa de determinações operacionais da Fifa e tenha saído frustrado, num coro de vaias. Mas ficou provado que há pouco a se fazer em termos gerais do lado de dentro, à exceção da finalização estrutural do Setor Norte Superior, que ainda não foi liberado.

O duelo começou com amplo domínio do Corinthians. Tanto em presença no campo de ataque, quanto em chances de gol. Prova disso foi que no intervalo a estatística marcava sete a um em finalizações. A única boa chegada do Botafogo com uma cabeçada de Ferreyra. Longe de ser suficiente para evitar que Jadson abrisse o placar em belo chute de fora de área, aos 23.

Daniel e Renato Augusto Corinthians x Botafogo (Foto: Marcos Ribolli)
Daniel e Renato Augusto disputam a bola no segundo tempo da partida (Foto: Marcos Ribolli)

A marcação encaixada do time de Vagner Mancini logo ruiu com atuações fracas de Airton e Bolatti.

Sem

contar com a inoperância do trio de meias, que produzia muito pouco. Mas, apesar de boas tabelas e passes partindo dos pés de Bruno Henrique e Petros, Guerrero e Romarinho não estavam inspirados e desperdiçaram os lances, eventualmente parando em Renan.

Aos poucos, o Alvinegro, que não baixou a guarda em momento algum, melhorou a movimentação e passou a ter lampejos de criatividade, aproveitando-se do espaço oferecido. Até que, aos 41 minutos, Edilson arrancou pela direita, invandiu a área, bateu firme e deu sorte pelos dois desvios no caminho e um toque na trave até a bola morrer na rede. Nos acréscimos, a pressão desorganizada do Timão não surtiu efeito, e o time saiu muito vaiado.

Arena Corinthians x Botafogo (Foto: Diego Ribeiro)
Arena Corinthians vista de cima instantes antes de a bola rolar neste domingo (Foto: Diego Ribeiro)
GLOBO ESPORTE .COM