Qantas to start Airbus A380 flights to Dallas from September

Qantas to start Airbus A380 flights to Dallas from September

Qantas will begin flying its flagship Airbus A380s to Dallas/Fort Worth later this year, replacing the current Boeing 747-400ER aircraft used on the route.

From Monday 29 September, QF7/8 will go all-A380 to the hub of Oneworld partner American Airlines, while also bringing Qantas’ First Class to Dallas for the first time.

The superjumbo’s additional flying range compared to the Boeing 747 will also see the current Brisbane stopover on the home stretch between Dallas and Sydney axed, with the A380 flying non-stop on its return journey.

One wrinkle is that Qantas’ daily flights to Dallas will be trimmed back to six days a week once the A380 takes over, with the new schedule dropping Tuesday departures from Sydney.

Once in Dallas, Qantas passengers can connect onwards to more than 30 destinations across the United States, Canada and Mexico, with the Texas hub less than four hours from every major US city.

Qantas retains the title of the longest route by distance in QF7, with Sydney-Dallas a staggering 13,804km.

DFW airport is upgrading one terminal with three extra aerobridges to load passengers on the double-decker jet, while Qantas’ partner Emirates is set to begin A380 flights between DFW and Dubai from October 1.

The London shuffle

Qantas’ existing flights between Melbourne, Dubai and London will be retimed to make room for these extra A380 services.

Starting July 20 2014, QF9 will leave Melbourne at 10:55pm, stopping over in Dubai at 7:05am before landing in London at 1:40pm the next day.

On the return journey, QF10 is wheels-up from London at 1:30pm, landing in Dubai at 11:25pm. From there, it’s touchdown in Melbourne at 8:55pm, one calendar day after take-off in London.

“This schedule change unlocks more A380 flying time that we can use on the Dallas route, and now offers four times the number of onward connections to Europe because of the new arrival time of the Melbourne flight into Dubai” said Qantas CEO Alan Joyce.

Qantas says the current mix of Boeing 747 and Airbus A380 flights from Sydney to Hong Kong will also face “adjustments”, although the airline hasn’t yet revealed whether the A380 will disappear from Asia entirely.

The changes come as Qantas looks to cut $2 billion from its cost base over the next three years – with fleet and network adjustments accounting for up to $600 million in savings.

 

Source : Australian Business Traveller

Qantas changes QF9/QF10 flight times for Melbourne-London

Qantas flight QF9 will now reach London in the early afternoon instead of mid-morning

 

As we reported yesterday, Qantas is changing the arrival and departure times of its daily QF9/10 flights between Melbourne and London from July 20.

The schedule reshuffle is intended to reduce the amount of time the route’s Airbus A380 spends on the ground at Heathrow, freeing up one of the superjumbos to run on Qantas’ Sydney-Dallas service from late September.

Here’s how the new MelbourneLondon timetable shapes up.

QF9 will now leave Melbourne at 10.55pm, some three hours later than the current 7.35pm departure, with its arrival into London shifting from 10.15am to 1.40pm.

The QF10 return leg will be wheels-up from London at 1.30pm, compared to 10.25pm evening flight, to reach Melbourne at 8.55pm rather than 5.25am.

So are these changes better for business travellers?

The new early afternoon arrival time into London is perfect for checkingstraight into your hotel, settling in and then meeting colleagues for dinner.

The revised stopover times in Dubai should also work better for connecting to Emirates flights to cities other than London, with QF9 now reaching Dubai at 7.05am and QF10 departing from Dubai at 1.35pm.

However, while Melbourne residents will probably appreciate the new evening touchdown of QF10, passengers with connecting Qantas or QantasLink flights to other domestic destinations will need to make an overnight stay and fly out of Melbourne the following morning.

Melbourne travellers: what are your thoughts on the new QF9/QF10 timetable, and will it be better or worse for your own schedule?

 

Source : Australian Business Traveller

Ferroviário chega aos 81 anos sonhando em recolocar a máquina nos trilhos, tal como estava nos tempos da Rffsa

Rebaixado pela primeira vez em sua existência para a Série B do Campeonato Cearense, o Ferroviário encontra basicamente em sua história os maiores motivos para comemorar os seus 81 anos de fundação, completados hoje.

O Tubarão iniciou até bem o ano, realizando a maior ação de

marketing

 dos clubes locais, que foi a contratação do atacante Iarley, ídolo de várias torcidas e bicampeão mundial de clubes.

Estreou ainda com uma goleada de 7 a 2 no Crato e julgou-se que tudo iria dar certo. Entretanto, a sequência dos jogosem forma de maratona, solapou os sonhos corais de chegarem ao título. Por fim, o time ficou em sétimo lugar, sendo rebaixado em campo. Agora, tenta na Justiça Desportiva, encontrar brechas em falhas de outros rivais para que possa voltar à Série A do Estadual em 2015.

Deserdado

Mesmo com 81 anos, o Ferroviário vive como que deserdado. Isso porque não existe mais o seu grande patrocinador, a Rede FerroviáriaFederal Sociedade Anônima (Rffsa).

A Instituição era uma sociedade de economia mista, integrante da Administração indireta doGoverno Federal, vinculada ao Ministério dos Transportes. Como o Ferrão se originou dos times dos funcionários da Estrada de Ferro, desde sua raiz a empresa fora o seu cordão umbilical. Seus presidentes normalmente eram engenheiros graduados da Rffsa, que já nutriam pelo clube um amor natural.

Mediante à conclusão de estudos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foram transferidos para o setor privado os serviços ferroviários de carga. Essa desestatização ocorreu no período de 1996/1998.

O Ferrão ainda foi bicampeão nos anos 1994 e 1995, nos estertores do patrocínio, que sumiria de vez no biênio seguinte.

“Eu diria que o Ferroviário perdeu pai e mãe quando ficou sem esse patrocínio da Estrada de Ferro”, lembra o ex-presidente coral, Rui do Ceará, campeão cearense de 1968 e considerado um dos maiores presidentes que o clube já teve.

Rui lembra que o Ferrão foi o último campeão cearense invicto desde 1968. “Nós, engenheiros da época, notávamos que, nos anos em que o Ferroviário era campeão, o índice de produtividade do transporte de carga aumentava”, completa Rui do Ceará, eternamente lembrado pela família coral, mais ou menos como Valdemar Caracas, fundador do clube, já falecido.

Livro revelador

O ex-presidente coral, Evandro Ferreira, lembra o livro “Quando o Futebol Andava de Trem”, que cita que os clubes de origem ferroviária foram perdendo a força e até se acabando, quando a Rffsa foi diminuindo o patrocínio. Conforme o livro, existiam centenas de clubes de origem ferroviária, mas que foram se extinguindo. Equipes que até não têm o nome de Ferroviário, têm sua origem na rede ferroviária.

O Ituano, por exemplo, campeão paulista de 2014, tem origem na Estrada de Ferro, tal como Paraná Clube, América (SP) e Rio Grande e Bagé, ambos do Rio Grande do Sul.

Conselheiro questiona modalidade de gestão

O ex-presidente coral, Carlos Mesquita, questiona a modalidade de gestão do Ferroviário do ano de 2014, e diz que a diretoria atual precisa sair por completo, por conta de erros cometidos.

“Nós, conselheiros, questionamos na última assembleia o fato de a diretoria atual ter afastado os antigos cardeais do clube, além de ter criado uma empresa para gerir o Ferroviário, que acabou fracassada. Eles criaram uma empresa chamada “Prado”, para gerenciar o clube. Os membros dessa Prado eram os próprios dirigentes e até um funcionário, o Armando Desessards. Para completar, quando vendiam um jogador, 30% eram para a empresa e 70% para o Ferroviário. Isso não podemos admitir”, censurou Mesquita.

O presidente atual, Edmilson Júnior, confirmou a criação da tal empresa citada por Carlos Mesquita, mas diz que tudo já foi encaminhado junto ao Conselho Deliberativo para que o contrato seja desfeito.

Programação

Polêmicas à parte, o Ferroviário não ficará sem aniversário. Atualmente o clube está sendodirigido por Jeff Silva, que assumiu a vice-presidência e montou uma programação de festas, mas apenas para o sábado.

Para o dia, estão previstos, a partir das 9h, uma missa na Barra do Ceará; Jogo festivo entre diretoria, Ex-atletas e Torcida e uma confraternização com pagode e feijoada liberada para a torcida. A diretoria adverte que só terá acesso ao local os torcedores que estejam usando camisas alusivas ao Ferroviário.

ENQUETE

O que fazer daqui em diante?

“Exigir a renúncia imediata de toda a diretoria atual, que fracassou no projeto de soerguer o Ferroviário. Além disso, o clube trazer de volta os conselheiros antigos, como Flávio Assunção e Francisco Neto, para salvar o time”
Carlos Mesquita
Ex-presidente do Ferroviário

“Seria difícil dizer exatamente o que fazer porque o projeto que eu havia implantado não prestava para muitos conselheiros, mas acho que eles devem se reunir e repensar o clube, buscando investimentos
Clóvis Dias
Ex-presidente, bicampeão cearense

Ivan Bezerra
Repórter



 

Diário do Nordeste – Jogada – Diário do Nordeste – 09.05.2014

Globo Repórter de hoje vai falar sobre a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

Com trabalhos do jornalista Renato Ribeiro, o “Globo Repórter”, hoje, será dedicado à Copa do Mundo. O técnico Felipão está entre os focalizados.

 

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Hoje estreia o Me Leva Contigo

A Record estreia hoje, às 22h15, o “Me Leva Contigo”, novo programa do Rafael Cortez. Com direção-geral de Wanderley Villa Nova, a atração será exibida sempre às sextas-feiras

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery