Australia’s boom in Boeing 787 Dreamliner flights

Australia's boom in Boeing 787 Dreamliner flights

2014 looks set to be The Year of the Dreamliner in Australia as an increasing number of Boeing 787 services take to the skies.

Jetstar: Sydney, Melbourne to Bali, Phuket, Auckland

Jetstar this week launched one of its three Boeing 787s onto the Sydney-Phuket route running three times per week, following the mid-January debut of daily Dreamliner flights between Sydney and Bali.

Up next for Qantas’ low-cost offshoot will be a Boeing 787 Dreamliner being rostered onto Melbourne-Phuket from February 9 for one flight a week, stepping up to all three weekly return services as of March 30.

Jetstar has also scheduled a trans-Tasman Boeing 787 service between Melbourne and Auckland, although these flights will run for just one month from February 26 to March 28, 2014.

However, they do afford the opportunity for savvy travellers to book themselves into one of the Boeing 787’s business class seats at little more than economy prices.

From April 16 Jetstar will roster a Boeing 787 onto a new direct service between Brisbane and Bali, operating four days each week.

Royal Brunei: Melbourne to Brunei, London

But the bigger Boeing 787 news in April is likely to be Royal Brunei’s launch of a daily Boeing 787 flight on April 2 from Melbourne to Brunei and then on to London, adding a new twist to the Kangaroo Route.

Royal Brunei’s Boeing 787 carries 254 passengers in a conventional two-class layout, with 18 business class seats arrayed in a 2-2-2 configuration with a 79 inch seat pitch.

Each set converts into a fully lie-flat bed of just under two metres (or 6′ 5″ in the old currency), including a personal Ottoman.

Thai Airways: Perth to Bangkok

Thai Airways will debut its first Boeing 787 service between Bangkok and Perth on July 1.

The Dreamliners will be fitted with 24 seats in Thai’s Royal Silk business class and 240 in economy, and feature the new ‘Contemporary Concept’ design now being rolled out on the airline’s Boeing 777-300ERs, including the refreshed business class cabin shown below.

 

Air New Zealand: Sydney, Melbourne, Brisbane, Perth to Auckland

Air New Zealand’s Boeing 787-9 – a stretched and longer-range version of the original 787-8 flown by Jetstar and Royal Brunei – will appear ontrans-Tasman flights from Auckland to Sydney, Melbourne and Brisbane early in the second half of this year.

Air New Zealand chief flight operations officer Captain David Morgan tells Australian Business Traveller these flights will be “sometime in July or August, definitely in September”, ahead of the 787-9’s official debut on October 15 flying between Auckland and Perth.

“We will put the aircraft into service across the Tasman for crew training and also to ensure that the aeroplane is integrated seamlessly into our network” Morgan says, “we’re certainly not going to have it sitting around on the ground after the delivery in July!”

This first Dreamliner to join the Kiwi carrier’s fleet will be painted in a special ‘all black’ edition of the airline’s new livery (shown above) while the nine jets to follow will receive the more standard white-and-black treatment.

 

United Airlines: Melbourne to Los Angeles

United Airlines will begin flying its Boeing 787-9 to Australia in October with the launch of a new direct Dreamliner service between Melbourne and Los Angeles.

The direct flight will run six days a week from October 26, replacing the current daily dogleg route which sees United’s Melbourne-LA flights (UA839/840) go via Sydney with a one-hour stopover.

The new flights will be

  • UA99, departing Melbourne at 10.15am to reach Los Angeles at 6.50am the same day
  • UA98, which is wheels-up from LAX at 10.30pm to arrive into Melbourne at 8.15am two days later.

United’s Boeing 787-9 Dreamliners will carry 48 lie-flat business class seats, a sizeable Economy Plus cabin of 63 seats stacked in a 3-3-3 configuration and 141 standard economy seats.

 

 

 

Japan Airlines: Sydney to Tokyo on hold

However, Qantas partner Japan Airlines (JAL) won’t begin its planned Boeing 787 flights between Sydney and Tokyo until “well into the second half of 2014”, a spokesman for JAL told Australian Business Traveller.

That service was due to commence in December last year but was delayed due to safety concerns over flying the aircraft near thunderstorms, following a warning from Boeing that all 787s powered by General Electrics’ GEnx engines – which includes those in the JAL fleet – to avoid flying within 90 kilometres of thunderstorms.

“The issues with the GE engines on the 787 still has not been resolved” the spokesman added.

 

Source : Australian Business Traveller

Record Goiás comemora liderança de todos os seus jornais locais

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/780d83f401520c6d536e3ecd94603b35.jpg

 

A Record Goiás, emissora própria da rede no estado, está comemorando os números de seus telejornais locais.

No último dia 18 de fevereiro, segundo dados consolidados do Ibope e divulgados pela assessoria de imprensa do canal, todos os seus jornais produzidos no estado foram líderes no Ibope.

O “GO Direto da Redação”, apresentado por Manuela Queiroz, marcou 4 pontos de média e empatou com a TV Anahnguera/Globo. Já o “Goiás no Ar”, ancorado por Alysson Lima, fechou 6 pontos de média, contra 5 da TV Anhanguera/Globo e 4 da TV Serra Dourada/SBT.

O “Balanço Geral”, apresentado por Oloares Ferreira, deu 12 pontos de média, contra 11 da TV Serra Dourada/SBT e 8 da TV Anhanguera/Globo. Porém, o maior destaque foi o “Goiás Record”, comandado por Carlos Magno e Sylviê Alves.

O telejornal fechou com 17 pontos de média contra os mesmos 17 da TV Anhanguera/Globo, mas vencendo na casa decimal. É a primeira vez que este feito acontece com a Record Goiás.

Os números refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores da Grande Goiânia.
 

NaTelinha

Substituta de Joia Rara ainda tem muitas incertezas

Ficheiro:Redeglobo.png

 

Apesar da presença de Ricardo Waddington na direção de núcleo, a novela de Rui Vilhena, na fila das 18 horas, na Globo, ainda não tem elenco fechado. Admite-se até uma certa dificuldade para definir os protagonistas.

A história está com dois títulos provisórios na praça – “Saber Viver” – é o nome impresso nos capítulos, e “Boogie Oogie”. Certo mesmo, por enquanto, a presença de Isis Valverde e Lima Duarte.

Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

‘A Globo pensa que as pessoas são burras’, reclamam fãs de Carnaval

Luís Roberto de Múcio e Fátima Bernardes na Cidade do Samba; a dupla vai ancorar as transmissões do Rio

Marcada pela descontração e por gafes, a cobertura do Carnaval de São Paulo e do Rio de Janeiro pela Globo não agrada a quem mais se interessa pela transmissão: os colecionadores e fanáticos por desfiles de escolas de samba.

Fanático há 16 anos e com mais de 500 desfiles em um acervo pessoal, alguns da década de 1970 (a Globo começou a transmitir em 1975), o assistente administrativo Willian Tadeu Leite, 25 anos, reclama da falta de análises mais sérias do Carnaval paulistano e carioca. Para ele, a que a Globo subestima a inteligência do telespectador.

“Os comentários são sempre elogiosos, não há uma análise técnica dos desfiles e as explicações do enredo praticamente desapareceram. A Globo pensa que as pessoas são burras, insensíveis e desinteressadas em entender o que estão assistindo”, detona Leite.

Outra bronca recorrente dos fãs de Carnaval são as constantes interrupções. Fanática desde 1993, a advogada Juliana Gomes Campos, 28 anos, se irrita quando a Globo interrompe o desfile para exibir outra atração.

“O mais irritante é a Globo cortar a transmissão para apresentar comentários, comerciais ou entrevistas fúteis que não acrescentam nada”, critica Juliana Gomes Campos, que coleciona mais de cem desfiles.

Gafes

Outra reclamação dos fanáticos por Carnaval são as gafes da Globo durante a transmissão. Piadas de mau gosto e uma aparente descontração que chega a ser constrangedora prejudicam a apreciação dos desfiles, na opinião dos colecionadores.

Com mais de 400 desfiles na coleção, o estudante de Engenharia João Salles Neto, 19 anos, se lembra de uma das piores gafes que já viu, no desfile da Unidos de Vila Maria, em 2013. “A repórter Daiana Garbin mostrou que um dos componentes tinha deixado o sapato para trás. A apresentadora Mariana Ferrão, em uma pergunta sem noção, questionou se tinha chulé, e a repórter foi lá, cheirou o sapato e fez a maior cara de nojo quando constatou o mau odor”, recorda.

Para Willian Tadeu Leite, a transmissão da Globo chega a ser bizarra quando humoristas e personalidades fora do contexto do Carnaval são convidados para comentar os desfiles. “Em um ano, um humorista passou a noite rindo sempre que o Egito aparecia em algum desfile, sem a menor reflexão sobre o fundamento disso dentro de cada tema”, reclama o colecionador.

Contrariando as queixas dos colecionadores, a transmissão da Globo em 2014 tem sido ainda mais informal do que nos anos anteriores. Sob as ordens do diretor de núcleo J.B. Oliveira, o Boninho, os apresentadores ficaram proibidos de se comportarem como em um telejornal. No Rio de Janeiro, Fátima Bernardes estreará como apresentadora e Tiago Leifert será repórter dos desfiles pela primeira vez.

 

Débora Falabella irá para a Índia

 

As férias de Débora Falabella ainda não terminaram na Globo.Ela agora está a caminho da Índia e leva na bagagem os primeiros 18 capítulos de “Buu”, produção que vai marcar sua volta às novelas depois do sucesso de “Avenida Brasil”.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery