MG: “Balanço Geral” tem Ibope equivalente à soma da Globo e SBT

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/4324b4c13234393e7bf144fa5def31eb.jpg
Divulgação/Record
A Record Minas, filial da Record em Belo Horizonte e região, está comemorando os recentes resultados do “Balanço Geral”.
O jornalístico comandado por Mauro Tramonte segue registrando expressivos números e nesta segunda-feira (02) os bons resultados se repetiram.
Entre 13h19 e 14h30, a atração marcou 12 pontos de média, vencendo a Globo e a TV Alterosa/SBT, que tiveram 9 e 3 pontos respectivamente.
Esses índices são prévios e são baseados na preferência de um grupo de telespectadores de Belo Horizonte e região metropolitana.
NaTelinha

Marcelo Rezende faz teste de DNA no “Cidade Alerta”

Internautas comentam o teste: “Rezende copiando o Ratinho”

https://i1.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/5a1b47bc5b55d45d02dbb6ba2e241e76.jpg

Divulgação

Atualmente como maior audiência diária da Record, o “Cidade Alerta”, apresentado por Marcelo Rezende, trouxe como uma atração nesta segunda-feira (02) algo já conhecido por todo o Brasil.

Rezende apresentou um teste de DNA, onde uma moça pedia que a reportagem realizasse o exame para provar que um menino de nome Arthur era mesmo filho de um homem chamado Johney.  Marcelo fez certo suspense, de cerca de 10 minutos, quando anunciou o resultado, que confirmou que Johney era mesmo o pai do garoto.

No Twitter, a exibição da matéria rendeu vários comentários, pois os testes de DNA ficaram nacionalmente conhecidos no “Programa do Ratinho”, do SBT. “Rezende copiando o Ratinho e mostrando um teste de DNA!”, disse o internauta Juliano Ferreira. “Deveria ter teste de DNA toda segunda no Cidade Alerta”, falou o internauta Gabriel Ribeira. “Cidade Alerta, se fosse outro programa, ia mostrar o resultado do teste de DNA perto da meia-noite”, comentou o tuiteiro Kaio Fernando.

O “Cidade Alerta” tem marcado médias entre 9 e 11 pontos na Grande São Paulo e tem incomodado a Globo, principalmente quando o jornalístico compete com “Malhação”.

NaTelinha

Enfoque Na Telinha: “A Nova Família Trapo” fez rir sem apelar

https://i1.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/52870fa6fd16d4dc6c3ba4ffd0f03476.jpg

Divulgação/TV Record

 

A Record foi mais uma a resgatar um sucesso do passado. Êxito na década de 1960 e protagonizado pelo eterno Ronald Golias na pele de Carlo Bronco Dinossauro, “A Nova Família Trapo” ganhou nova versão neste domingo (01).

A ideia não é ter Rafael Cortez como o novo Bronco. O lance é levar conflitos em tons críticos e debochados pra família moderna. Não há como comparar, até porque, o objetivo não é esse.

Cortez se saiu muito bem na pele de Quintino, que foi o grande vencedor de “A Fazenda 24”. Bárbara Borges, na pele de Mulher Lasanha, perdeu o reality por agredir o apresentador do programa. Uma boa sacada no texto de Letícia Dornelles.

A empregada Benigna, interpretada por Kátia Moraes, roubou a cena. O elenco como um todo parecia bastante afinado, como se já fizesse isso há anos.

Dizer que “A Nova Família Trapo” é cópia do “Sai de Baixo” também não é certo, já que a sitcom da Globo não foi a primeira a ser gravada em um teatro. A própria “Família Trapo” nos tempos de Golias já fazia isso.

O especial da Record é simples. E essa simplicidade é um grande aliado dessa reedição. Em nada adianta como superprodução como o “Zorra Total” e não esboçar um sorriso sequer do telespectador. A série se apoia no texto.

O especial marcou 5,5 pontos no Ibope, ficando em quarto lugar. O dia e o horário estão longe do ideal, que encontra uma concorrência fortíssima de um Silvio Santos já consolidado e uma Bandeirantes com o “Pânico” incomodando bastante.

Caso o programa se torne fixo na grade de programação, resta encontrar outro horário e dia para exibição. Caso contrário, vai sempre ficar aquém do que pode render.

 

A coluna Enfoque NT é diária! Confira todos os dias uma crítica diferente sobre o mundo da TV; 

Contatos do colunista: thiagoforato@natelinha.com.br – Twitter: @Forato_

 

 

Renato Maurício Prado comenta que treinadores caros só dão prejuízo

 

A temporada de 2013 no Brasil abalou profundamente o mito dos “supertécnicos”, aqueles “professores” que exigem autênticas fortunas para treinar qualquer clube, sob a justificativa de que são infinitamente superiores à média e, portanto, sabem tudo e podem tudo no futebol. Nenhum deles valeu o altíssimo investimento — muito pelo contrário…

Vanderlei Luxemburgo, que ainda há quem considere o melhor técnico do Brasil, apesar dos seguidos fracassos nos últimos oito anos, deu-se ao luxo de ser demitido duas vezes: do Grêmio (eliminado precocemente na Libertadores) e do Flu (que deixou à beira do rebaixamento).

 

Mano Menezes saiu de apenas um clube (o Flamengo), mas o destino o brindou com requintes de crueldade: ato contínuo ao seu inesperado pedido de demissão, em pleno vestiário, após sofrer uma goleada e sem falar com um dirigente sequer, o time rubro-negro se uniu em torno de seu substituto (o humilde auxiliar técnico Jayme de Almeida) e o resultado foi o que se viu: reação imediata no Brasileiro e título da Copa do Brasil. Que contraste!
Paulo Autuori foi outro que amargou dois fracassos num mesmo ano. No Vasco, onde chegou anunciando que estava ganhando bem menos do que normalmente cobrava e saiu, por vontade própria, após uma série de maus resultados, e no São Paulo, onde, com certeza, teve um de seus piores momentos da carreira. Um desastre completo.

 

Já Abel Braga, após o título brasileiro do ano passado, perdeu a mão no Flu e acabou eliminado cedo da Libertadores, derrotado, sem direito de ir às finais, no Estadual, e demitido no Brasileirão, depois de cinco derrotas consecutivas.

 

Nem o campeão do mundo, Tite, escapou à sanha do insucesso galopante dos chamados treinadores de ponta no Brasil, em 2013. Após três temporadas espetaculares, não foi capaz de manter o rendimento de seu time, apesar do elenco milionário e estelar que passou a ter em mãos — perdeu Paulinho, é fato, mas ganhou Pato e Renato Augusto e nenhum dos dois vingou sob o seu comando.

 

Na verdade, nem Muricy Ramalho escapa dessa lista de fracassos. Depois de ser demitido do Santos, conseguiu uma sequência de bons resultados que livraram o São Paulo do rebaixamento, mas na hora de coroar sua volta ao Morumbi com o caneco da Sul-Americana, que levaria o tricolor à Libertadores e salvaria o ano, acabou eliminado pela Ponte Preta, que está caindo para a segunda divisão…

 

Entre os medalhões, a rigor, salvou-se apenas Luiz Felipe Scolari, com a seleção brasileira. Mas, não custa lembrar que, no ano passado, ele foi um dos responsáveis pelo rebaixamento do Palmeiras.

 

O resumo da ópera é o seguinte: no Brasil é razoável pagar salários entre R$ 400 mil e R$ 1milhão a qualquer treinador? Decididamente, não. Compreende-se até que aqueles que conquistem grandes títulos ou metas ousadas sejam recompensados adequadamente. Mas daí a garantir fortunas mensais, independentemente dos resultados, como acontece hoje, vai uma distância colossal.

 

Obrou bem o Palmeiras ao acertar um contrato de produtividade com Gilson Kleina. O mesmo fará o Flamengo, se seguir tal receita com Jayme de Almeida. E que todos os outros clubes brasileiros reflitam bem sobre o assunto.

 

Tem cabimento gastar rios de dinheiro com quem não entra em campo, não faz, nem impede gols e, ganhando ou perdendo, embolsa uma belíssima grana? Isso sem falar nas estratosféricas multas rescisórias que normalmente exigem, quando são demitidos por não realizarem as “mágicas” esperadas quando de suas contratações…

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO-02/12/2013

Dirigente do Ferroviário anuncia a contratação do atacante Iarley

A última passagem de Iarley pelo futebol cearense foi no Ceará, em 2011
Foto : Jornal O POVO

 

O Ferroviário conseguiu fechar uma contratação de impacto para 2014. O atacante Iarley, de 39 anos, jogará o Campeonato Cearense do ano que vem pelo time coral.

O acerto ocorreu na noite desta segunda-feira (2) e foi anunciado pelo vice-presidente do clube, Evandro Ferreira Gomes, via twitter.

“Iarley, cria do Ferrão, acaba de acertar oficialmente com o clube para corrigir um erro histórico: nunca ter jogado pelo time principal”, postou o dirigente, em sua rede social.

Logo em seguida, o twitter oficial do Ferroviário exaltou a chegada do novo reforço. “Ferrão acaba de contratar o campeão do mundo Iarley, que volta ao clube que o projetou para o mundo”, diz o post.

TRAJETÓRIA

Cearense de Quixadá, Iarley deu seus primeiros passos no futebol no Ferroviário, jogando pelo Sub-20, em 1994.

Como profissional, marcou época no futebol cearense jogando pelo Ceará e brilhou fora do Estado pelo Internacional-RS (conquistando o Mundial de Clubes em 2006), Boca Juniors, Goiás e Corinthians.

Em 2013, disputou a Série B pelo Paysandu – equipe onde já teve outras passagens e é reconhecido pela torcida, mas não conseguiu livrar o time do rebaixamento para a Série C do Brasileirão.

 

JORNAL O POVO-02/12/2013

Paulo César Norões comenta a vitória de Vica com o Santa Cruz na Serie C

Mesmo assim, treinador mantém cautela quanto a uma possível renovação (Peu Ricardo/Folha PE)

 

Campeão Título do Santa Cruz coroa o trabalho desse grande profissional chamado Vica. E repara a injustiça que foi a não subida, no ano passado, com o Fortaleza. Ético e bom caráter, Vica tem tudo pra vencer como técnico.

 

Paulo César Norões-Diário do Nordeste-Jogada-02/12/2013

Paulo César Norões comenta que o Feroviário quer contratar Iarley

 

De volta pra casa

Jogador-bilheteria que o Ferroviário quer para liderar o time no Estadual é mesmo Iarley. O veterano atacante, que estava no Paysandu, vê com simpatia a chance de encerrar a carreira onde começou. O negócio só não foi consumado, ainda, porquê a diretoria coral está tentando um patrocinador.

 

Paulo César Norões-Diário do Nordeste-Jogada-02/12/2013

Paulo César Norões comenta que Clebson poderá jogar no Fortaleza em 2014

 

Clebson

Marcelo Chamusca disse que não deve trazer nenhum jogador do Salgueiro para o Fortaleza. No entanto, ao ser indagado no meu programa da 810 Verdinha sobre o meia Clebson, não se fez de rogado e disse que ele se encaixaria muito bem no Leão. Sendo assim, quem sabe o cabeludo não vem?

 

Paulo César Norões-Diário do Nordeste-Jogada-02/12/2013

Paulo César Norões comenta que o Icasa poderá perder jogadores para Ceará e Fortaleza

 

Leão de olho

Fortaleza quer alguns jogadores do Icasa. O volante Guto, inclusive, já conversou com Osmar Baquit. Também interessam o goleiro João Ricardo, zagueiro Luiz Otávio e o meia Chapinha. Este, aliás, tem propostas de vários clubes. Inclusive o Ceará.

 

Paulo César Norões-Diário do Nordeste-Jogada-02/12/2013

Paulo César Norões comenta que o elenco do Icasa está valorizado

 

Revoada

Boa campanha valorizou os jogadores do Icasa. Pior para o Verdão é que a maioria só tinha contrato até o fim da série B. O clube vai ter que refazer o elenco praticamente do zero. E o Estadual já começa no dia 5 de Janeiro e o elenco só se apresenta após o Natal.

 

Paulo César Norões-Diário do Nordeste-Jogada-02/12/2013