Property prices up, October sales dented by loan rules

11:30 AM Tuesday Nov 12, 2013

Property prices rose across NZ last month. Photo / Greg Bowker

Property prices rose across NZ last month. Photo / Greg Bowker

New Zealand’s median house price rose 1.9 per cent to a record in October, although sale volumes were dented as Reserve Bank lending restrictions began to bite.

The median sale price rose $7,525 to a record $407,525 in October from September, and the price is 7.2 per cent ahead of the year earlier month, according to the Real Estate Institute of New Zealand. The number of houses sold last month rose 0.9 per cent to 6,778 from September, up 2.1 per cent from the same month in 2012. On a seasonally adjusted basis, sales volumes fell 4.1 per cent.

 

The New Zealand Herald

Bahia: Audiência da Record não aumenta com chegada de Analice Salles

https://i1.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/79c36e914b06f245d372c9d63a2c8c65.jpg

Divulgação

 

Contratada junto à TV Aratu/SBT numa negociação que teve grande repercussão na Bahia, Analice Salles estreou na Record no último dia 4, mas ainda não está alcançando o sucesso esperado.

Exibido na faixa das 11h, seu “Verdade do Povo” vem marcando médias entre 4 e 6 pontos, bem diferente do que todos os diretores da emissora imaginavam.

Os profissionais da Record Bahia inclusive estão chegando à conclusão de que essa faixa do final da manhã não é o ideal para um programa policial.

“Que venha o Povo”, apresentado por Casemiro Neto na TV Aratu, segue no segundo lugar e tem chegado até à liderança em algumas ocasiões.

 

NaTelinha

Audiência de O Melhor do Brasil no dia 10/11/2013

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/39a81e92e79c74f3fa10d20489ee2190.jpg

Divulgação

Neste domingo (10), o programa “O Melhor do Brasil”, apresentado por Rodrigo Faro, atingiu bons índices de audiência para a Record.
Segundo dados consolidados do Ibope, a atração marcou 7 pontos de média com 16% de share, empatando na vice-liderança com o SBT, que exibia “Eliana”. No horário total, a Globo ficou com 14.
Porém, chama a atenção os resultados de Faro contra Faustão. Durante o tempo em que confrontou o apresentador da Globo, entre 18h56 e 19h18, o programa da Record liderou. Foram 11 pontos para “O Melhor do Brasil”, contra 10 da Globo, que exibia o quadro “Tem Gente Atrás”. No horário, o SBT, que exibia o programa “Roda a Roda Jequiti”, com Silvio Santos, fechou com 7.
Os números refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores da Grande São Paulo.
NaTelinha

Mesa redonda com mulheres na Globo é muito criticada na internet

Quadro estreou neste domingo no “Esporte Espetacular”

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/b6dc04814e9640a3a9e8549d46fe2e9b.jpg

Divulgação/TV Globo

Tradicional esportivo exibido nas manhãs de domingo da Globo, o “Esporte Espetacular” estreou uma novidade neste último dia 10.

Foi o “Bolsa Redonda”, mesa redonda feminina onde as apresentadoras Glenda Kozlowski e Fernanda Gentil, a atriz Christine Fernandes e a escritora Thalita Rebouças comentam sobre futebol.

Porém, a estreia não agradou em nada os telespectadores, que ficaram revoltados principalmente com o conteúdo do quadro.

A primeira edição teve como pautas uma análise da beleza do jogador Willian, do Cruzeiro, a comemoração de um gol dos atletas do Figueirense de cueca e também mostrou um VT com uma torcedora que não sabia a regra do gol fora de casa.

Na internet, Carlos Dort classificou o quadro como ofensa às mulheres que entendem de futebol: “Vergonha alheia desse Bolsa Redonda do Esporte Espetacular. Ofensa com mulher que conhece futebol”.

Já a internauta Júlia Alves disse que o quadro só aumenta o preconceito com mulheres no futebol: “Bolsa Redonda é ridículo! Colocaram 4 mulheres para fazer comentários imbecis, como se mulher não fosse capaz de entender de futebol”.

O telespectador Willian Rodrigues escreveu: “Certeza que as mulheres que entendem de futebol estão constrangidas com o Bolsa Redonda”.

Muitos disseram que o antigo programa da RedeTV!, “Belas na Rede”, exibido entre 2010 e 2012 pela emissora e que tinha Paloma Tocci na apresentação, era muito melhor e que a produção do quadro poderia se inspirar nele.

Em termos de audiência, não se teve muitas alterações nos índices do “Esporte Espetacular”: a atração marcou 8 pontos de média, seu número habitual, na Grande São Paulo.

NaTelinha

Confira as atrações do SporTV para esta terça-feira , 11/11

Palmeiras encara o Paysandu, no Pará, e pode conquistar o título. Boxe
e Liga Sul-Americana de basquete também são destaque no SporTV.

 

A tela do SporTV está recheada de atrações esportivas nesta terça-feira. Sob comando do técnico José Roberto Guimarães, as meninas do Brasil estreiam na Copa dos Campeões de vôlei contra os Estados Unidos, na Arena de Nagoya, no Japão. O Canal Campeão também transmite o jogo entre Santos e Criciúma, na Vila Belmiro, pela partida de ida da final da Copa do Brasil Sub-20. O duelo entre Paysandu Palmeiras, no Mangueirão, pela Série B do Campeonato Brasileiro, também é destaque na programação.

As notícias ficam por conta dos programas diários do Canal Campeão: “SporTV News”, em três edições, “Redação SporTV”, “É Gol!!!”“Arena SporTV” e o “Tá na Área”.

Copa dos Campeões

A seleção brasileira feminina de vôlei entra em quadra nesta terça-feira pela Copa dos Campeões, torneio que será disputado entre os dias 12 e 17 deste mês, no Japão. O primeiro adversário do Brasil na competição será os Estados Unidos. A partir das 4h40, o SporTV transmite o duelo, com narração de Sergio Maurício e comentários de Marco Freitas.

O Canal Campeão também exibe Tailândia e República Dominicana, a partir das 1h10, com narração de Clayton Carvalho e comentários de Nalbert. Mais tarde, às 8h10, o SporTV 2 mostra o duelo Japão e Rússia, com narração de Bruno Souza e comentários de Carlão.

Seleção brasileira feminina 3 x 0 EUA, Grand Prix vôlei (Foto: Divulgação / FIVB)
Seleção brasileira feminina de vôlei estreia contra os Estados Unidos (Foto: Divulgação / FIVB)

Liga Sul-Americana de Basquete

Nesta terça-feira, o Brasília estreia na Liga Sul-Americana de Basquete na tela do SporTV 3. O primeiro confronto será contra o adversário considerado mais forte do Grupo F, o Peñarol (ARG), a partir das 18h45 (de Brasília), com narração de Roby Porto e comentários de Byra Bello. Atlético Aguada (URU) e Agentino Junín (ARG) completam a chave.

Copa do Brasil Sub-20

Lucas Otávio volante Santos sub-20 (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Santos FC)
Santos pega Criciúma pela Copa do Brasil Sub-20
(Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Santos FC)

Na Vila Belmiro, Santos e Criciúma se enfrentam, às 19h, pela partida de ida da Copa do Brasil Sub-20. A partida será transmitida peloSporTV, com narração de Linhares Jr, comentários de Luiz Ademar e reportagens de Joanna de Assis.

O time paulista se classificou para a final, após golear o Atlético-MG por 6 a 1 na semifinal, na Vila Belmiro. Já os garotos do Tigre bateram o Botafogo por 2 a 1, no Heriberto Hülse, para chegar à decisão.

Campeonato Brasileiro Série B

Nesta terça-feira, o SporTV também transmite o duelo entre Paysandu x Palmeiras. Com narração de Jota Jr, comentários de Wagner Vilaron e reportagens de Flavia Araújo e André Hernan, o Papão recebe o Verdão às 21h50 (horário de Brasília), no Estádio do Mangueirão.

Valdivia Palmeiras e Joinville (Foto: Marcos Ribolli)
Palmeiras encara o Paysandu pela Série B do Campeonato Brasileiro (Foto: Marcos Ribolli)

No SporTV 2, Paraná e Chapecoense se enfrentam nesta terça-feira, às 19h30, na Vila Capanema, pela Série B do Brasileirão. A quatro rodadas para o encerramento da competição, o time paranista vai em busca do tudo ou nada para conquistar o acesso, já que aparece em 10º lugar, com 51 pontos, dois a menos que o Icasa, último integrante do G-4. O duelo terá narração de Luiz Augusto Xavier, comentários de Gil Rocha e reportagens de Nadja Mauad e Lucas Rocha.

Boxe internacional

Terça-feira também é dia de boxe internacional na tela do SporTV 2. A partir das 23h, o Canal transmite os duelos Yuri foreman x Michael Gbenga e Michael Oliveira x Norberto Gonzalez, com narração de Daniel Pereira e comentários de Daniel Fucs.

Luxa garante que Flu não cai e diz que erro começou com saída de Abel Braga

Demitido pelo clube carioca nesta segunda-feira, treinador acredita que jogo com o Náutico, na quinta-feira, será decisivo para fugir do rebaixamento.

A passagem de Vanderlei Luxemburgo pelo Fluminense chegou ao fim nesta segunda-feira, dia seguinte à entrada do clube na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. E a permanência no cargo de técnico tricolor não chegou a completar quatro meses. Pego de surpresa com a notícia de sua demissão depois da derrota deste domingo para o Corinthians, em Araraquara, Luxemburgo já tinha confirmado presença no “Bem, Amigos” em São Paulo, e não deixou de comparecer. Ao falar sobre o Fluminense, garantiu que o clube não será rebaixado à Série B .

– Não poderia deixar de vir, porque confirmei a vinda antes, e eu nunca fui homem de fugir de nenhuma situação. A minha família não queria que eu viesse, porque queria estar comigo nesse momento complicado. Mas continuo dizendo que o Fluminense vai se manter na Primeira Divisão. Nesses três meses, com todas as pancadas que nós levamos, o grupo em momento algum pareceu que iria largar, é um grupo comprometido, que quer resolver o problema. As razões são diversas para que o Fluminense não conseguisse fazer a competição da maneira como deveria ser, começou a ficar numa situação desconfortável quando mandou o Abel embora – afirmou Luxemburgo.

Como já havia revelado através de nota oficial sobre sua demissão, Luxemburgo garantiu ter sido pego de surpresa nesta segunda-feira com a decisão da diretoria do Fluminense. O técnico ainda relembrou uma conversa com o diretor-executivo Rodrigo Caetano antes do jogo com o Corinthians, em que teria sido garantido no cargo independente do resultado.

– Não estava esperando, até porque tive reunião na véspera e no dia do jogo. Fomos para Atibaia e fizemos um planejamento de seis jogos para o Fluminense sair dessa confusão que entrou. Ainda disse ao Rodrigo Caetano: “Não quero ser técnico do jogo com o Corinthians, prefiro que me tirem antes, quero fazer um planejamento para seis jogos”. Ele me disse que não passava pela cabeça dele ou do presidente (sua saída) – revelou o treinador.

Vanderlei Luxemburgo no Bem, Amigos! (Foto: Marcos Guerra)
Luxemburgo marcou presença no “Bem, Amigos!”
após demissão (Foto: Marcos Guerra)

Sem vencer há nove jogos, o Fluminense soma apenas 36 pontos e ocupa a 18ª posição no Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso, segundo Luxemburgo, seria um divisor de águas na busca para escapar do rebaixamento. O treinador apostava que uma vitória contra o Náutico, na quinta-feira, no Maracanã, mobilizaria a torcida tricolor e seria importante na reta final da competição. E depois, no próximo fim de semana, pegaria um São Paulo concentrado em outra competição.

– Dentro do planejamento que fizemos, tinha e tenho certeza de que o Fluminense não vai cair. Vinha perdendo jogadores em cima de jogadores, com lesões importantes, e jogando com 50% de garotos de 17 e 18 anos. É complicado passar essa responsabilidade para a garotada. Sabia que o momento era difícil, mas chegamos à conclusão de que o jogo com o Náutico era um jogo-chave. Mobilizaríamos o torcedor e com toda a possibilidade de fazer o resultado. Em seguida tem o São Paulo pela frente, e torcemos muito para que o São Paulo liberasse o Brasileiro para ficar com a cabeça na Sul-Americana.

Vanderlei Luxemburgo foi contratado em julho para substituir o técnico Abel Braga. Em 26 jogos, foram sete vitórias, nove empates e dez derrotas, com 38,46% de aproveitamento. Dos últimos 27 pontos disputados, o Fluminense só conquistou três.

Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro após a trigésima terceira rodada

CLASSIFICAÇÃO P J V E D GP GC SG % ÚLTIMOS JOGOS
1 Cruzeiro

0
71 33 22 5 6 69 29 40 71.7
2 Atlético-PR

0
58 33 16 10 7 52 39 13 58.6
3 Grêmio

0
54 33 15 9 9 37 33 4 54.5
4 Botafogo

0
53 33 15 8 10 46 38 8 53.5
5 Goiás

0
53 33 14 11 8 42 35 7 53.5
6 Vitória

1
51 33 14 9 10 49 45 4 51.5
7 Atlético-MG

1
49 33 13 10 10 39 30 9 49.5
8 São Paulo

0
46 33 13 7 13 35 35 0 46.5
9 Santos

0
45 33 11 12 10 42 35 7 45.5
10 Internacional

1
45 33 11 12 10 49 47 2 45.5
11 Flamengo

1
45 33 11 12 10 38 37 1 45.5
12 Corinthians

0
45 33 10 15 8 26 20 6 45.5
13 Coritiba

0
41 33 10 11 12 38 41 -3 41.4
14 Portuguesa

0
40 33 10 10 13 46 45 1 40.4
15 Bahia

0
39 33 9 12 12 32 39 -7 39.4
16 Vasco

1
37 33 9 10 14 45 54 -9 37.4
17 Criciúma

2
36 33 10 6 17 43 57 -14 36.4
18 Fluminense

2
36 33 9 9 15 35 42 -7 36.4
19 Ponte Preta

1
34 33 9 7 17 34 48 -14 34.3
20 Náutico

0
17 33 4 5 24 20 68 -48 17.2

Náutico 0 x 1 Criciúma

 0 x 1 

No encontro entre duas equipes da parte de baixo da tabela, na Arena Pernambuco, o Criciúma, que luta para escapar da degola, melhorou um pouco a situação na classificação do campeonato ao vencer o Náutico por 1 a 0, com um golaço de Wellington Paulista, acertando um belo chute de fora da área. Com a vitória, o Tigre subiu duas posições e está a apenas um ponto de deixar a zona de rebaixamento. A vitória vem após um jejum de quatro jogos.

O Náutico, que completou oito derrotas seguidas, continua sua sequência de vexames na Série A. O time não tem mais nada a perder – ou a ganhar. Já rebaixado para a Série B do ano que vem, o Timbu entrou em campo apenas para cumprir tabela e foi bastante criticado pelo pequeno público que compareceu ao estádio: Apenas 2.797 torcedores. Com o resultado, a equipe alvirrubra confirmou mais um recorde negativo: Como não tem mais como deixar última posição na tabela do Brasileiro, será o time com mais tempo na lanterna da competição na era dos pontos corridos, com 26 rodadas.

Ainda na luta para escapar do rebaixamento, o Criciúma terá um grande desafio na próxima quarta-feira. Vai receber o vice-líder da competição, o Atlético-PR, no Heriberto Hülse. O Náutico, em sua sequência de despedidas da Série A, irá ao Rio de Janeiro, enfrentar o Fluminense na quinta-feira.

Náutico x Criciúma (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)Náutico e Criciúma desperdiçaram várias oportunidades na Arena (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Festival de chances perdidas

Jogando em casa, em sua primeira partida após a confirmação do rebaixamento, o time do Náutico teve que enfrentar, além do adversário, a revolta da torcida que, mesmo em pequeno número, fez muito barulho e gritou coros de protesto pela má campanha do time. Na tentativa de dar uma resposta em campo, os alvirrubros partiram para cima e logo nos primeiros minutos teve três boas chances de abrir o placar. A primeira com Maikon Leite, que recebeu de Gustavo Henrique e, cara a cara com Galatto, pegou mal na bola e mandou pra fora. Na sequência, o garoto da base, João Paulo, perdeu um daqueles gols inacreditáveis, ainda aos 8 minutos, quando, após um passe açucarado de Derley, ficou de frente para o gol, com o goleiro já batido e bateu por cima. Tiago Real também teve boa oportunidade, depois de um cruzamento de Bruno Collaço, mas errou a cabeçada.

Com a necessidade de vencer para melhorar sua complicada situação na tabela, era de se esperar o Criciúma mas ofensivo em campo. Após o sufoco inicial do Náutico, o Tigre conseguiu  equilibrar o jogo mas pouco fez para buscar o resultado. A primeira boa oportunidade só surgiu aos 36 minutos, com Lins batendo cruzado e tirando fino do travessão de Berna. Também foi de Lins a melhor chance da equipe no último minuto do primeiro tempo quando, após um lançamento de Wellington Paulista, partiu sozinho em direção ao gol de Berna, esperou o melhor momento para chutar, mas mandou para a linha de fundo.

Golaço resolve a partida

No primeiro tempo, o técnico do Criciúma Argel Fucks precisou fazer a primeira alteração no time. Bruno Renan substituiu Sueliton, que tomou uma pancada na cabeça e não teve condições de continuar em campo. No início da etapa complementar, quem entrou foi André Cava, no lugar de Diego. As mudanças provocaram também um novo comportamento da equipe, que passou a dominar as ações da partida. O grande problema, porém, continuou sendo as finalizações. Numa bela jogada individual, João Vitor, na cavadinha, tirou dois marcadores, driblou o goleiro Ricardo Berna, mas, no chute, acertou a rede pelo lado de fora.

Quem resolveu a questão foi o atacante Wellington Paulista que, de muito longe, acertou um belo chute e marcou um golaço para o Criciúma, aos 25 minutos. Após o gol, as duas equipes tiveram poucas chances de mexer no placar. A vitória, combinada com outros resultados, fez o Criciúma subir da 19ª para a 17ª posição, com apenas um ponto a menos que o Vasco, primeiro fora da zona de rebaixamento.

Corinthians 1 x 0 Fluminense

 1 x 0 

Era um jogo morto, chato, sem sal. Até que, aos 45 minutos do segundo tempo, aconteceu um dos momentos mais emblemáticos da rodada, talvez de todo o Brasileirão – e que pode definir muita coisa no bloco inferior do campeonato. Alexandre Pato, saído do banco, ainda vilão, sofreu pênalti. E pediu para bater. Ele, Pato, o mesmo que viveu o inferno depois de errar uma cavadinha e eliminar sua equipe da Copa do Brasil contra o Grêmio. Pois Pato cobrou. E fez. E colocou o Fluminense na zona de rebaixamento.

– Um dia eles (torcedores) me vaiam, hoje aplaudem – disse Pato após a partida.

O resultado é desastroso para o Tricolor. Mas também não é gratuito. Mais uma vez, o Fluminense jogou muito mal. Já são inacreditáveis nove rodadas sem uma vitória sequer. O time de Vanderlei Luxemburgo é o 18º colocado, com 36 pontos. Foi ultrapassado pelo Criciúma, que venceu o Náutico, e pelo Vasco, que empatou com o Santos.

Os jogadores tricolores cercaram o árbitro André Luiz de Freitas Castro (GO) após a marcação do pênalti, reclamando muito. O zagueiro Anderson foi expulso no lance.

– Com a arbitragem fica mais difícil. Estamos tentando sair dessa situação, mas com o erro fica mais difícil. Dez ou 15 minutos antes, o Sheik me acertou no rosto, e ele (o árbitro) não o expulsou. Se expulsa, muda totalmente o ritmo do jogo. Infelizmente é fácil dar o pênalti contra o Fluminense, mas expulsar o Sheik não pode – protestou Gum.

O Corinthians, com a vitória, foi a 45 pontos. Está praticamente livre dos riscos de rebaixamento. Na próxima rodada, visita o Coritiba na quarta-feira, e o Flu recebe o Náutico na quinta – tem grande chance de deixar o Z-4.

Alexandre Pato comemora gol do Corinthians contra o Fluminense (Foto: Denny Cesare / Futura Press)Alexandre Pato tira a camisa para comemorar o gol de pênalti no fim (Foto: Denny Cesare / Futura Press)

Pobreza

Pobre bola. Corinthians e Fluminense fizeram um primeiro tempo de nível técnico abaixo do comum. Foram equipes parecidas na falta de perícia, mas com propostas de jogo diferentes: o Timão tentando ser mais racional, controlando a bola, buscando jogadas coletivas, e o Tricolor acelerando a partida, investindo na velocidade. O insucesso foi de ambos, mas o time paulista esteve mais perto de marcar, apesar de o Flu ter finalizado mais – seis a cinco.

Os três zagueiros escalados por Vanderlei Luxemburgo não amenizaram as falhas defensivas da equipe. Cedinho, com dois minutos, a zaga vazou. Douglas, sozinho, perdeu chance clara ao cabecear para fora. Mais tarde, outra jogada aérea só não resultou em gol porque Diego Cavalieri fez defesa de cair o queixo. Edenílson cruzou da direita, e Gum não alcançou a bola, que morreu na perna esquerda de Renato Augusto antes de ser emendada para o gol. O arqueiro tricolor agiu no reflexo e espalmou. Já o Flu arriscou mais com chutes de longe, invariavelmente tortos. Gum, livre na área, cabeceou por cima naquela seria a melhor oportunidade tricolor se a arbitragem já não tivesse marcado impedimento.

Pato. E de pênalti

O segundo tempo foi tão duro de engolir quanto o primeiro – talvez até mais. Os erros se sucederam de lado a lado, como se as duas equipes competissem para ver quem falharia mais. A superioridade do Corinthians sobre o Fluminense em posse de bola foi exponencializada, mas com efeito prático quase nulo. Foi o Tricolor, em rara trama de sucesso, quem quase alcançou o gol. Rafael Sobis encontrou Wagner pela direita, e o meia cruzou na área para Marcelinho, mas o goleiro Walter conseguiu cortar.

Com  17 minutos, Tite mandou Alexandre Pato a campo no lugar de Renato Augusto. A ideia era deixar o time mais agudo. Aos 40 minutos, o atacante cabeceou com muito perigo. Aos 44, tudo mudou com um pênalti a favor do Corinthians. A arbitragem viu falta de Anderson em Pato e expulsou o zagueiro. O próprio pegou a bola para bater. E fez.

Vasco 2 x 2 Santos

 2 x 2 

A torcida do Vasco fez sua parte: esgotou os ingressos, empurrou o time, vibrou, sofreu, cantou a plenos pulmões e deve agradecer ao Corinthians pelo alívio momentâneo no Campeonato Brasileiro. No Maracanã, o Santos impediu que o apoio terminasse em festa no empate por 2 a 2 na noite deste domingo. Mas, mesmo com o tropeço, o Cruz-Maltino ganhou uma posição, é o 16º, com 37 pontos, e saiu da zona de rebaixamento. O motivo: a vitória do Timão por 1 a 0 sobre o Fluminense. Já o Peixe chegou a 45 pontos e terminou a rodada na nona colocação.

O Maracanã recebeu 50.421 pagantes (56.756 presentes), o maior público entre times do novo Maracanã. A renda foi de R$ 767.190. O Santos fez dois gols – com Bruno Peres e Gustavo Henrique – com intervalo de quatro minutos e vencia por 2 a 0 aos 26 minutos de partida. O Vasco reagiu ainda no primeiro tempo, com Edmilson, e empatou a 13 minutos do fim, com André, que havia sido afastado da partida anterior por atraso em treino.

O jogo no Maracanã deve ter sido o último de Juninho Pernambucano no ano – e talvez de sua carreira, se ele decidir encerrá-la após o campeonato. Ele sofreu uma lesão no músculo adutor da coxa direita logo no começo da partida, ao cobrar uma falta. Foi substituído. E, aos 22 minutos, o Vasco sofreu outra perda: Reginaldo pediu para sair, com lesão muscular.

– Eu fiquei a semana com tendinite nos dois adutores. Mas desta vez acho que foi grave, o estalo foi muito forte. Mesmo sendo uma lesão no púbis, que eu tenho há muito tempo, foi uma coisa nova para mim. E acredito que, para este ano, já deu – afirmou Juninho.

Montillo lamentou não só o empate, mas o rendimento do Santos no campeonato:

– Não conseguimos se afirmar no torneio todo, tínhamos uma mínima chance de brigar pelo G-4, ficaríamos a seis pontos. Conseguimos fazer 2 a 0 aqui com eles na situação em que estão. Tomamos gol meio bobo no fim do primeiro tempo e tivemos chances para matar. Quando você não mata, acabando tomando.

O Vasco volta a campo na quarta-feira, quando enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre. O Santos recebe o Bahia, quinta-feira, em São Paulo.

Aranha Vasco e Santos (Foto: Ivo Gonzales / Agência O Globo)André, de volta ao Vasco, se estica em dividida com Aranha, de boa atuação (Foto: Ivo Gonzales / Ag. O Globo)

Juninho sai cedo

No ritmo de sua inflamada torcida, o Vasco se lançou ao ataque, mesmo que de forma desordenada desde o início do jogo. Mas o que era festa nas cadeiras do Maracanã virou apreensão. Aos sete minutos, Juninho cobrou uma falta pela esquerda de ataque e caiu estirado no gramado. Outro susto aconteceu logo no minuto seguinte, quando William José chutou cruzado, com perigo.

Com empolgação, mas sem muita inspiração, os times duelavam no meio-campo sem maiores emoções até os 20 minutos. Bruno Peres se encarregou de dar brilho ao jogo. Depois de levar a melhor sobre Yotún, o santista bateu de canhota e encobriu Alessandro, aos 22. O Peixe ampliou logo em seguida. Depois de cobrança de falta de Montillo, a zaga vascaína parou, e Gustavo Henrique, de cabeça, fez 2 a 0.

O Vasco não se abateu e diminuiu, aos 28. Edmilson finalizou, a bola desviou no adversário e encobriu Aranha. O ritmo elétrico da partida foi além das quatro linhas. À beira do campo, Adilson Batista gritava para os cruz-maltinos; na outra ponta, Claudinei Oliveira olhava o relógio e andava de um lado para o outro na área técnica do Santos. Na saída do intervalo, a torcida vascaína vaiou a equipe.

Torcida empurra, Aranha brilha, e André empata

No segundo tempo, o Vasco voltou acelerado e teve duas boas chances com Jhon Cley e Marlone, mas Aranha brilhou com grandes defesas. O Santos também levou perigo nos contra-ataques, mas sem conseguir o gol.

A torcida vascaína empurrou o time, os jogadores lutaram, e André, que entrara ainda no primeiro tempo no lugar de Reginaldo, deixou tudo igual, depois de belo giro e finalização.

O Vasco seguiu lutando, com pressão, mas não conseguiu a vitória. Coube ao Corinthians, então, bater o Fluminense e ajudar o Cruz-Maltino a sair da zona de rebaixamento. No fim, o empate no Maracanã, resultado ruim para os dois times, acabou sendo mais lamentado pelo Santos, que abriu 2 a 0 e cedeu o empate. E, quando o placar eletrônico do estádio anunciou o gol do Timão, foi a vez de os vascaínos comemorarem.