Com vinda ao Brasil, Televisa tentará emplacar dois canais no país

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/d68edcd68d08f76eae0b37b66668d203.jpg

Divulgação

 

A rede mexicana Televisa, que confirmou que está instalando um escritório em São Paulo, vem com objetivos já pré-definidos ao Brasil.

Um deles é conseguir espaço nos line-ups das TVs por assinatura para os canais TLN (Televisa Network) e Canal de las Estrellas Internacional.

O primeiro saiu em fevereiro da OiTV e agora só está disponível na Costa do Sol TV, na região dos lagos, no Rio de Janeiro. O TLN será totalmente reformulado e não terá tantas reprises de novelas durante o dia.

Já o Canal de las Estrellas Internacional atualmente está disponível apenas via DTH pela GVT.

 

Produtora de Lusa x Flamengo segue em débito com Arena Castelão

Ceará

Segundo consórcio administrador do estádio, ainda existe débito da Xaxá Produções referentes ao aluguel do Castelão. Dívida pode chegar a R$ 140 mil

Torcida no Castelão em Portuguesa x Flamengo pela Série A (Foto: João Marcelo Sena)

Torcida no Castelão em Portuguesa x Flamengo pela Série A (Foto: João Marcelo Sena)

Uma semana após o ‘estouro’ da polêmica resultante da partida Portuguesa x Flamengo, na Arena Castelão, em Fortaleza, o impasse quanto à falta de pagamento da Xaxá Produções, empresa promotora do evento, continua.

De acordo com a Arena Castelão, consórcio responsável pela operação do estádio, ainda não foram pagos pela Xaxá Produções os 10% da renda (cerca de R$89 mil) previstos em contrato, divulgado no site oficial da própria Arena. Além disso, o acordo entre as partes prevê ainda o pagamento de uma multa estipulada em R$ 50 mil em caso de não pagamento dos valores acordados. Isso faz com que valor devido chegue próximo aos R$ 140 mil.

Por meio de nota em seu site, a Arena Castelão informou que entrou com uma ação judicial contra a Xaxá Produções por conta do não pagamento. No entanto, o acordo entre a produtora e a Galvão G7, empresa repsonsável pela prestação de serviços no dia da partida, foi cumprido integralmente.

Caso os débitos com a Xaxá Produções não sejam pagos com a Arena Castelão, a responsabilidade cai sobre a Portuguesa, equipe mandante da partida. A assesoria do clube do Canindé informou estar ciente da situação e que vai arcar com os custos por ser mandante do jogo e que, caso isso ocorra, vai cobrar a Xaxá Produções na justiça o dinheiro gasto. A Portuguesa informa ainda que 93% da cota pela cessão do mando de campo já foi paga, ou seja, existe um débito de 7% desse valor da produtora junto com a Lusa.

O Departamento Jurídico da Federação Cearense de Futebol (FCF) entrou com um pedido de abertura de inquérito na Delegacia de Defraudações e Falsificações para que o caso seja investigado. De acordo com a FCF, a acusação é de estelionato.

O GloboEsporte.com/ce tentou, sem sucesso, entrar em contato com Fabiano Rodrigues, também conhecido como Xaxá, representante da empresa produtora da partida entre Portuguesa e Flamengo.

Entenda o caso

Após o jogo, Fabiano Rodrigues foi acusado de ter sumido com o dinheiro da renda de Lusa x Flamengo. Em entrevista ao GloboEsporte.com/ce, ele negou o calote e afirmou que a única cota que de fato não foi paga é a referente a um imposto do aluguel do estádio, pois diz não concordar com a taxa, apesar de ela estar prevista em contrato com a Arena Castelão.

– Tudo foi pago, as federações, todos os quadros móveis, bilheteiro, o pessoal da catraca, a segurança, policiamento, ambulância, só não concordamos com um valor de 10% do aluguel do estádio. Não podemos pagar um imposto sobre um imposto – afirmou Fabiano Xaxá, em entrevista ao GloboEsporte.com/ce um dia após a partida.

Passagem por Fortaleza faz Flamengo completar lista dos novos estádios

Rubro-Negro é o único time que já atuou em Castelão, Mineirão, Fonte Nova e Arena Pernambuco, além das casas Maracanã e Mané Garrincha

Testados e aprovados. Com o empate por 0 a 0 com a Portuguesa,pela 31ª rodada do Brasileirão, o Flamengo se tornou a primeira equipe a ter jogado em todos os estádios já prontos para Copa do Mundo de 2014. A passagem pela Arena Castelão fechou uma lista que já tinha Fonte Nova, Mineirão, Arena Pernambuco e, principalmente, Maracanã e Mané Garrincha, casas do clube em 2013.

Os dois últimos, por sinal, foram os únicos onde o Rubro-Negro venceu. Além de Fortaleza, a recordação do estádio pernambucano também é de um empate sem gols – 0 a 0 com o Náutico. Já no Mineirão, são duas derrotas, ambas para o Cruzeiro, enquanto o Bahia aplicou um sonoro 3 a 0 na Fonte Nova. No Maracanã, o Fla entrou em campo 12 vezes: oito vitórias, dois empates e duas derrotas. Por fim, em Brasília são cinco empates, dois triunfos e um revés.

Depois do Fla, outros quatro times estão próximos de fechar a lista de novas arenas do futebol brasileiro: Portuguesa, Santos, São Paulo e Vasco jogaram em cinco estádios construídos ou reformados para Copa do Mundo de 2014 – a Seleção Brasileira tem o mesmo número, mas não joga mais no país neste ano. No total, o Mundial terá 12 sedes, que precisam apresentar seus estádios até o fim do ano.

Volante Xaves está fora de jogo contra Sport e Rogerinho é dúvida

Xaves cumpre suspensão automática pelo terceiro amarelo seguido. Rogerinho se recupera de dores no joelho. Mota retorna após suspensão

 

O Ceará terá Mota de volta contra o Sport no sábado (9). No entanto, para mais uma partida ‘decisiva’ na Arena Castelão, às 16h20m (horário da capital cearense), válida pela 34ª rodada da Série B, o treinador Sérgio Soares não terá à disposição o volante Xaves, que cumpre suspensão automática. O jogador foi titular no jogo contra o Atlético-GO e acabou recebendo o terceiro amarelo seguido.

Além disso, o meia Rogerinho ainda é dúvida para o duelo contra o Sport. O jogador sentiu dores no joelho direito e não entrou em campo na última rodada. De acordo com a assessoria de imprensa do Vovô, Rogerinho passará por testes antes dos treinos desta semana, o que definirá se ele tem condições de atuar contra o Sport.

Rogerinho deixa o Ceará (Foto: Tuno Vieira / Ag. Diário)Rogerinho é dúvida no Ceará (Foto: Tuno Vieira / Ag. Diário)

Os atletas do Ceará se reapresentaram nesta segunda-feira. Pela manhã, foi realizado um treino físico, de força, resistência e velocidade. Com a última vitória, o Vovô segue na briga por uma vaga no G-4. O Ceará já soma 50 pontos e está em 9°, na tabela. A distância para os quatro primeiros colocados é de apenas três pontos.

Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro após a trigésima terceira rodada

CLASSIFICAÇÃO P J V E D GP GC SG % ÚLTIMOS JOGOS
1 Palmeiras

0
70 33 21 7 5 61 25 36 70.7
2 Chapecoense

0
61 33 17 10 6 55 29 26 61.6
3 Sport

0
56 33 18 2 13 57 48 9 56.6
4 Icasa

 
53 33 16 5 12 45 47 -2 53.5
5 Avaí

1
53 33 15 8 10 47 41 6 53.5
6 Joinville

1
52 33 15 7 11 50 36 14 52.5
7 Paraná

1
51 33 14 9 10 47 30 17 51.5
8 América-MG

0
51 33 13 12 8 44 37 7 51.5
9 Ceará

 
50 33 13 11 9 52 41 11 50.5
10 Figueirense

0
49 33 15 4 14 54 48 6 49.5
11 Boa Esporte

0
44 33 11 11 11 27 37 -10 44.4
12 Oeste

3
42 33 11 9 13 34 46 -12 42.4
13 Guaratinguetá

1
41 33 11 8 14 37 43 -6 41.4
14 América-RN

0
40 33 10 10 13 41 50 -9 40.4
15 Bragantino

2
39 33 11 6 16 31 39 -8 39.4
16 ABC

0
36 33 10 6 17 39 55 -16 36.4
17 Atlético-GO

0
35 33 9 8 16 34 43 -9 35.4
18 Paysandu

0
35 33 9 8 16 35 50 -15 35.4
19 São Caetano

0
31 33 8 7 18 39 52 -13 31.3
20 ASA

0
26 33 8 2 23 36 68 -32 26.3

Avaí 0 x 4 Figueirense

 0 x 4 

Durante a semana, nem o mais otimista do torcedor do Figueirense cravaria uma goleada a seu favor diante do maior rival. Mas clássico tem disso. Neste domingo, no estádio da Ressacada e diante de uma maioria azul dos 16.039 presentes, quem não apostou pelo menos vai comemorar. Contra o Avaí, o Furacão do Estreito fez todos os gols do 4 a 0 no primeiro tempo, com Thiego, Rafael Costa e Maylson duas vezes, em confronto que fechou a 33ª rodada da Série B. A goleada ainda teve um sabor extra para a torcida alvinegra, que viu Cleber Santana perder um pênalti e seus jogadores, só de cueca, comemorarem dançando o ‘créu’, tradicional provocação entre os times.

Assim como outros clássicos no país, o duelo entre os rivais da capital catarinense também teve seu lado negativo. Antes de a bola rolar, torcedores das duas equipes brigaram entre os alambrados, tentando se atingir com chutes. Aos 11 do primeiro tempoquando um torcedor do Alvinegro atirou um papel higiênico na direção de Marquinhos, a Polícia Militar interveio. Cassetetes e spray de pimenta foram usados para acalmar os ânimos. O reflexo das arquibancadas esteve em campo, com muito nervosismo, chuva de cartões amarelos e uma expulsão por um pisão nas costas, o que ajudou no placar elástico na Ressacada.

 

O Avaí terá a semana inteira para trabalhar e colocar a cabeça de molho. Apesar da derrota, a equipe segue na quinta colocação, com 53 pontos, mesmo número do Icasa, último integrante do G-4, e volta a jogar na sexta, diante do ASA, em Arapiraca. Ainda vivo e a quatro pontos da zona de acesso à Série A, o Figueirense entra em campo no próximo sábado, diante do Guaratinguetá e com o apoio da torcida.

Avai x Figueirense (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)Jogo disputado na Ressacada, com brigas e confusão nas arquibancadas (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Brigas à parte, Figueirense goleia no primeiro tempo

A rivalidade e, acima de tudo, a vontade do Figueirense em estragar um possível acesso do Avaí motivaram os alvinegros. Depois da pressão inicial do Leão que, apoiado pela torcida, foi melhor nos 15 primeiros minutos, o duelo virou. E quando o cronômetro marcava um terço do primeiro tempo decorrido, Thiego começou a pintar a Ressacada de preto e branco. O zagueiro aproveitou escanteio batido por Wellington Saci, esticou-se para trás e testou sem chances para o goleiro Diego.

A torcida do Figueirense se deliciava por estar vencendo o duelo da capital, mas mal esperava o que iria vir. Sete minutos depois do primeiro gol, um jogador que trocou de lado apareceu. Rafael Costa vestiu azul de 2008 a 2009 e entre 2010 e 2011. Mas nesta temporada, o antigo Pelezinho, como era chamado nos tempos de Leão, fez o seu e comemorou como se o passado não importasse. Depois de limpar dois defensores com um drible de calcanhar, o atacante finalizou de canhota: 2 a 0. O centroavante artilheiro ainda se envolveu em outro lance capital. Aos 26, depois de bola dividida com Alex Lima, o jogador do Furacão do Estreito caiu no gramado e recebeu um pisão nas costas. Placar adverso avaiano e um a menos em campo com o zagueiro expulso.

Só que em clássico sempre há mais de um jogador querendo assumir o protagonismo. Se até então Rafael Costa ia ganhando o troféu, Maylson entrou na concorrência. O volante mostrou que pode jogar com a camisa 10 do Figueirense e aos 31 fez o terceiro, após colocar a bola entre as pernas de Bruno Maia e completar de carrinho. Sem reação, o Avaí ainda permitiu mais um gol do jogador. Aos 46, ele cabeceou em cobrança de falta na área e colocou a mão no ouvido para comemorar: 4 a 0. Queria ouvir a torcida do rival, que o satisfez. Das arquibancadas saíram gritos de ‘vergonha’ e também alguns insatisfeitos, que anteciparam em 45 minutos a volta para casa.

Pênalti perdido e tentativa de consolo

Quatro a zero no primeiro tempo, só um pênalti em cinco minutos para recolocar o goleado em condições de igualar a partida. O Avaí teve, mas o experiente Cleber Santana desperdiçou. Depois que Betinho dividiu com o volante Rivaldo e Elmo Alves Resende assinalou a marca da cal, o camisa 88 do Leão caminhou para a bola. Devagar, demorou a chegar. Mais veloz, Tiago Volpi saltou no canto esquerdo para espalmar e celebrar. Era como se fosse o quinto gol alvinegro. Tanto que valeu a vaga na disputa para ser o protagonista.

Entusiasmado com a chance, o goleiro alvinegro voltou a aparecer aos oito e aos 20. Primeiro na tentativa de Cleber Santana se redimir, que bateu falta e fez o camisa 1 voar para salvar. Depois, na cabeçada de Beto, no canto esquerdo, novamente defendida com destreza. Se não via seu time fazer gols, a torcida do Avaí buscava um consolo. Gritavam ‘eliminados’ ao rival e ‘Vamos subir Leão’, que está a quatro pontos do G-4. Mas é a torcida do Figueirense que dorme mais feliz, ainda que a Série A não seja logo ali.

 

Oeste 2 x 0 Bragantino

 2 x 0 

Oeste e Bragantino entraram em campo na noite deste sábado, pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, empatados em pontos e igualmente preocupados com a proximidade da zona do rebaixamento. Ao sair do gramado do Estádio dos Amaros, em Itápolis, com a vitória por 2 a 0, o Oeste respirou um pouco mais aliviado, enquanto o Braga continua seriamente incomodado com sua posição na tabela.

Com o resultado, o Rubrão de Itápolis chega à sua segunda vitória seguida em casa e agora soma 42 pontos, sete a mais que o primeiro colocado da zona do rebaixamento. Já o Massa Bruta de Bragança Paulista acumula sua quarta derrota seguida e permanece com 39 pontos, apenas quatro de diferença para o Z-4 e a apenas cinco rodadas do término da competição.

Oeste x Bragantino (Foto: José Luis Silva / Ag. Estado)Jogador do Oeste tenta escapar da forte marcação do Bragantino (Foto: José Luis Silva / Ag. Estado)

Conscientes de que uma derrota em um confronto direto seria muito ruim, os técnicos Luís Carlos Martins, do Oeste, e Marcelo Veiga, do Braga, montaram seus times muito mais para não perder do que para vencer. Mesmo assim, por atuar em casa, o Oeste procurou mais o gol e acabou premiado com a vitória, a segunda seguida em dois jogos sob o comando de Martins.

Pela 34ª rodada, Bragantino e Oeste têm confrontos contra times dos quais precisam escapar, justamente os dois primeiros colocados da zona do rebaixamento. O Massa Bruta joga em casa, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, na sexta-feira, às 19h30m, contra o Atlético-GO, que soma 35 pontos. Já o Oeste entra em campo no sábado, às 17h20m, contra o Paysandu, que também tem 35 pontos, no estádio Mangueirão, em Belém.

Rubrão no ataque, Braga atrás

A partida começou com a configuração das equipes bem definida: enquanto o Oeste, jogando em casa, tomava as principais iniciativas ofensivas, o Bragantino fazia uma clara opção pela forte marcação e pelos contra-ataques, com o atacante Lincom isolado no campo ofensivo.

Por isso, as poucas chances de gol que apareceram foram para o time de Itápolis, como aos 27 minutos num chute de Adriano Alves, de longe, que obrigou o goleiro Leandro Santos a se esticar todo para mandar para escanteio.

A partir de então, o Rubrão do técnico Luís Carlos Martins ensaiou uma pressão baseada em bolas alçadas à área do time do Bragança. Chance real mesmo apenas aos 46 minutos, quando o atacante Lelê apareceu sozinho na área, pela esquerda, para soltar uma bomba, que foi defendida, sem rebote, por Leandro Santos.

Eficiência

Para a segunda etapa, o técnico Marcelo Veiga mudou a “cara” de seu time, que começou a buscar mais o ataque. A nova postura do Massa Bruta deu resultado e a equipe chegou com muito perigo em duas oportunidades: aos 5 minutos, o zagueiro Guilherme Mattis fica cara a cara com o goleiro Fernando Leal, mas chute forte, por cima. Aos 10, foi a vez de Léo Aro ficar frente a frente com o goleiro do Rubrão, que fez duas grandes defesas para evitar o gol do Braga.

Porém, no ataque seguinte, o Oeste abriu o placar: Marcos Paraná lançou para Bruno Batata na direita, que cruzou para trás para Lelê, que bateu de primeira, rasteiro, sem chances para Leandro Santos. Aos 17 minutos, o Rubrão chegou ao seu segundo gol, quando o lateral direito Eric cobrou falta pela esquerda. O chute em direção à área, com jeito de cruzamento, saiu alto, encobriu o goleiro Leandro Santos e entrou no ângulo: 2 a 0 para o Rubrão.

O Braga se lançou ao ataque e abriu espaços para o Oeste contra-atacar. Num deles, Eric escapou livre, driblou Francesco e foi derrubado. Como já tinha cartão amarelo, o volante do Bragantino acabou expulso. Com um homem a mais em campo, o Oeste passou a administrar a vantagem e garantiu uma importante vitória sobre um rival direto na fuga do rebaixamento: 2 a 0.