Números do TV TOTAL entre 18/05/2012 e 07/06/2013

Ash Hollywood, blonde, strip, bicycle, shorts

Sunny Leone black lingerie

 

Country Views
Brazil FlagBrazil 123,323
United States FlagUnited States 2,464
Portugal FlagPortugal 1,810
United Kingdom FlagUnited Kingdom 402
Japan FlagJapan 301
France FlagFrance 248
Canada FlagCanada 239
Germany FlagGermany 205
Spain FlagSpain 194
Italy FlagItaly 167
Switzerland FlagSwitzerland 156
Norway FlagNorway 119
Argentina FlagArgentina 119
Mozambique FlagMozambique 115
Russian Federation FlagRussian Federation 108
Angola FlagAngola 103
Netherlands FlagNetherlands 66
Belgium FlagBelgium 62
Turkey FlagTurkey 59
Uruguay FlagUruguay 58
Cape Verde FlagCape Verde 57
Paraguay FlagParaguay 54
Taiwan, Province of China FlagTaiwan 44
Chile FlagChile 43
Mexico FlagMexico 42
Australia FlagAustralia 40
Ireland FlagIreland 37
Peru FlagPeru 33
South Africa FlagSouth Africa 30
Colombia FlagColombia 30
Poland FlagPoland 28
Luxembourg FlagLuxembourg 28
Hungary FlagHungary 25
Indonesia FlagIndonesia 25
Venezuela FlagVenezuela 22
Austria FlagAustria 21
Israel FlagIsrael 21
United Arab Emirates FlagUnited Arab Emirates 20
India FlagIndia 20
Bolivia FlagBolivia 20
Korea, Republic of FlagRepublic of Korea 19
Ukraine FlagUkraine 19
Sweden FlagSweden 18
Bulgaria FlagBulgaria 17
Romania FlagRomania 16
Dominican Republic FlagDominican Republic 16
Nicaragua FlagNicaragua 14
Saudi Arabia FlagSaudi Arabia 13
Senegal FlagSenegal 13
Morocco FlagMorocco 12
Greece FlagGreece 12
Denmark FlagDenmark 11
Qatar FlagQatar 11
Pakistan FlagPakistan 10
Algeria FlagAlgeria 10
Panama FlagPanama 10
Egypt FlagEgypt 9
Ecuador FlagEcuador 9
Malaysia FlagMalaysia 9
Kenya FlagKenya 8
French Guiana FlagFrench Guiana 8
Finland FlagFinland 8
Serbia FlagSerbia 7
Hong Kong FlagHong Kong 7
Philippines FlagPhilippines 6
Croatia FlagCroatia 6
Czech Republic FlagCzech Republic 6
Albania FlagAlbania 5
Kuwait FlagKuwait 5
Costa Rica FlagCosta Rica 5
Singapore FlagSingapore 4
Aruba FlagAruba 4
El Salvador FlagEl Salvador 4
Sao Tome and Principe FlagSao Tome and Principe 4
Thailand FlagThailand 4
Puerto Rico FlagPuerto Rico 4
Georgia FlagGeorgia 4
Viet Nam FlagViet Nam 4
Slovenia FlagSlovenia 3
Azerbaijan FlagAzerbaijan 3
Latvia FlagLatvia 3
New Zealand FlagNew Zealand 3
Slovakia FlagSlovakia 3
Martinique FlagMartinique 3
Tanzania, United Republic of FlagUnited Republic of Tanzania 2
Jersey FlagJersey 2
Iceland FlagIceland 2
Haiti FlagHaiti 2
Ghana FlagGhana 2
Armenia FlagArmenia 2
Montenegro FlagMontenegro 2
Guernsey FlagGuernsey 1
Moldova, Republic of FlagMoldova 1
Bangladesh FlagBangladesh 1
Guadeloupe FlagGuadeloupe 1
Yemen FlagYemen 1
Belarus FlagBelarus 1
Kazakhstan FlagKazakhstan 1
Belize FlagBelize 1
Namibia FlagNamibia 1
Iraq FlagIraq 1
Tunisia FlagTunisia 1
Lithuania FlagLithuania 1
Nigeria FlagNigeria 1
Libya FlagLibya 1
Marshall Islands FlagMarshall Islands 1
Cuba FlagCuba 1
Macao FlagMacao 1
Réunion FlagRéunion 1
Honduras FlagHonduras 1
Equatorial Guinea FlagEquatorial Guinea 1
Suriname FlagSuriname 1
Bosnia and Herzegovina FlagBosnia and Herzegovina 1
Nepal FlagNepal 1
Guatemala FlagGuatemala 1
Lebanon FlagLebanon 1
Estonia FlagEstonia 1
Guam FlagGuam 1

 

https://i1.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/f0028913ca9282063d2fcaa7c09bb584.jpg

Divulgação/TV Record

Ao contrário do que muitos afirmam, Gugu Liberato não necessariamente errou ao sair do SBT em direção a Rede Record, em 2009. Plano de carreira faz parte da vida de qualquer profissional e é importante dar saltos altos, andar pra frente, querer chegar mais longe e, sobretudo, dar um novo motivo ao que se faz diariamente. Isso vale pra qualquer pessoa.

Mas é comum também tropeçar na caminhada em direção ao lugar que queremos chegar. O complicado e talvez mais difícil é ter humildade suficiente pra saber como se levantar. E, nesse caso, onde se levantar. Gugu errou? Talvez. A Record errou? Com certeza. Só não podemos dizer que as consequências não eram previsíveis. Eram.

Ao aceitar a proposta da emissora, Gugu colocou a faca no pescoço para sempre: teria que no mínimo dar audiência condizente com que recebia. Não deu. E mesmo se desse, seu programa não lucraria tanto ao ponto de agradar totalmente a Record. Hoje, a pergunta que se faz é somente uma: o que Gugu construiu na Record? E a resposta é óbvia: nada.

Em sua nova casa, Gugu perdeu a alegria que o caracterizou durante anos no SBT. Facilmente era perceptível a tensão que existia entre a produção do seu programa por conta da pressão de ter que dar grandes e rápidos resultados. Quem o acompanhava desde o início da carreira sabe que o “Programa do Gugu” não era apresentado pelo mesmo comunicador que fez sucesso no SBT e nem de longe lembrava o “Domingo Legal” que incomodava a Globo.

A busca incessante por audiência atrapalhou Gugu na Record, isso é fato, estava escancarado. Sua naturalidade foi perdida aos poucos e o apresentador, que ficou famoso por divertir o público com sua espontaneidade, foi morrendo também. A conta-gotas.

Pior do que não ter construído nada de interessante em sua nova casa – que nunca foi sua de verdade –, a não ser alguns pontos de audiência conquistados com muito sensacionalismo, Gugu destruiu um pouco de sua história, um pouco de si mesmo. Apagou o seu sorriso.

Vai ter que começar do zero, nascer de novo. E caso o Gugu de antigamente volte aos palcos, ouso dizer que a concorrência terá que tomar cuidado. Mas não são alguns milhões de reais que o farão voltar. E ele já sabe disso, deve ter aprendido.

Comente o texto no final da página. E converse com o colunista: brenocunha@natelinha.com.br / Twitter @cunhabreno

Portugal 1 x 0 Rússia

Situação dos lusos, no entanto, ainda está longe de ser tranquila, já que os russos têm dois jogos – e pontos – a menos. Hélder Postiga é herói da noite

O jogo foi feio, o futebol nada empolgante, mas Portugal riscou de sua lista o compromisso mais difícil que restava até o fim do Grupo F das eliminatórias europeias da Copa do Mundo. O objetivo, que era a vitória, foi cumprido a duras penas, embora o que de fato importasse eram os três pontos. Com Cristiano Ronaldopouco inspirado, coube a Hélder Postiga marcar o gol do triunfo por 1 a 0, nesta sexta-feira, no Estádio da Luz, em Lisboa, e dar motivos para o torcedor respirar aliviado por ora.

Os lusos, quem diria, saíram do risco de se complicarem na chave para a liderança. A equipe treinada por Paulo Bento atingiu os 14 pontos, contra 12 da Rússia, que soma dois jogos a menos (sete a cinco). Israel é o terceiro, com 11 (e seis jogos), e também sonha com uma vaga ao menos na repescagem – dedicada sempre ao segundo colocado de cada grupo.

Portugal voltará a campo pelas eliminatórias em setembro. Mais precisamente no dia 6, para visitar a Irlanda do Norte, vice-lanterna da chave, com três pontos. Já a Rússia jogará na mesma data contra Luxemburgo, mas no mês anterior enfrentará os próprios norte irlandeses em jogo que foi adiado em março por conta do mau tempo.

Helder Postiga gol Portugal contra Rússia (Foto: Reuters)
Hélder Postiga é abraçado após marcar o único gol do jogo (Foto: Reuters)

Pouco foi o suficiente para Portugal

O futebol não chegou a encantar, mas a seleção portuguesa ao menos conseguiu coibir os russos na maior parte do tempo. Algo que esteve longe de acontecer quando o time de Fabio Capello enfrentou o Brasil, por exemplo, em amistoso disputado no fim de março, no Stamford Bridge, em Londres.

Para ilustrar as dificuldades impostas pelos lusos, o treinador italiano se viu obrigado a fazer duas modificações em praticamente meia-hora de jogo: saíram o lateral Anyokov e o atacante Fayzulin. Ainda assim, o time parecia preso e pouco lembrava o que conquistou a então liderança de sua chave nas eliminatórias com 100% de aproveitamento.

Portugal, àquela altura, já estava em vantagem. Graças a uma isolada jogada de perigo, em bola parada. Aos oito minutos, Miguel Veloso cobrou falta para a grande área e Hélder Postiga apareceu no meio para cumprir as suas funções de um centroavante. A conclusão ainda esbarrou na trave até balançar as redes de Akinfeev: 1 a 0.

Para não dizer que a Rússia não criou absolutamente nada, uma falha de Rui Patrício proporcionou um momento de perigo aos donos da casa. Aos 35, o goleiro cortou mal, Kombarov cruzou e, Glushakov, de primeira, desviou para fora. Passou perto.

Cristiano Ronaldo jogoPortugal contra Rússia (Foto: Reuters)
Cristiano Ronaldo teve atuação apagada na vitória de Portugal em Lisboa (Foto: Reuters)

Um jogo de acomodados

O ritmo seguiu pouco empolgante na etapa final. As melhores oportunidades só foram surgir na segunda metade, depois de Paulo Bento e Capello mexerem ainda mais em seus times. Com fôlego renovado, Portugal buscou aos poucos ir ao ataque. Mas bem aos poucos…

Entre marcar o segundo e definir a parada e correr o risco de sofrer o empate, os lusos passaram a maior parte do tempo confortáveis com a vantagem. A torcida só ganhou motivos para se animar em finalizações de Nani, Moutinho e, por último Cristiano Ronaldo, em contra-ataque, já aos 42. Akinfeev defendeu sem dar rebote.

Os russos tampouco pareciam se importar com o resultado. Como ainda têm dois jogos a menos, provavelmente apostam suas fichas em triunfos contra a Irlanda do Norte e Luxemburgo. Vitórias neste caso que recolocariam a equipe na liderança independentemente do que fizesse Portugal. O único momento de relevância por parte dos visitantes na etapa final veio aos 33 minutos. Bystrov recebeu por trás da defesa e chutou na saída de Rui Patrício, mas estava claramente impedido.

Woman’s body found in Havelock North

Photo / File

Police have launched a homicide investigation after a 48-year-old woman’s body was found in Havelock North last night.

Police said the woman’s body was discovered at around 10pm last night.

A 48-year-old man has been taken into custody and is currently receiving medical treatment in Hawkes Bay Hospital for injuries.

Police said they found a knife next to the woman but they will not comment on the nature of her injuries and said it was too early to confirm how she died.

Charges are yet to be laid but police said they are not looking for anyone else in relation to the death.

The relationship between the two remains unclear.

Police were interviewing family members and other witnesses.

Forensic scene examinations will take place today.

 

The New Zealand Herald – 08 June 2013

World Cup qualification vital for soccer’s future in Australia

Tim Cahill

Socceroos veteran Tim Cahill is dejected during Australia’s World Cup qualifier against Japan.Source: Getty Images

THIS is the very essence of football.

The gripping tension, where every minute without a goal will be excruciating.

And any time trailing will be sheer torture.

It is the swirl of dread and emotion that fuels the round-ball game and draws nations together at the sharp end of World Cup qualification.

After a period of dormancy and distance, Tuesday night’s collective yearning will serve as a litmus test for not only the Socceroos’ ambitions for Brazil but their hard-won status in our sporting hierarchy as the national football team.

It is eight years since John Aloisi created a moment to rival Australia II’s winning of the America’s Cup.

With that qualification for Germany, the Socceroos broke through antiquated prejudice and traditional parochialism to give Australians a stake in something greater than the confines of domestic competition.

The historic struggles were adroitly cast aside.

As a collective, Australia made the nimble shift to believing it was a world power.

Robbed by the Italian diving team. Diddled out of hosting the World Cup by corrupt officials.

The ruthlessly efficient Pim Verbeek made a doddle of qualification for South Africa, so much so the nation barely stirred when a nil-all draw in Doha secured passage.

Football Federation Australia’s own history recounts the chapter under the heading “Back Where We Belong”.

For his trouble Pim was despised. The Socceroos didn’t play the way the custodians desired.

The operation exploded in failure and acrimony against Germany in their tournament opener.

This campaign under Holger Osieck has, until last week, been waged with precious little traction.

The lessons of the past appear forgotten, regrettably replaced by a public sense that advancement is a formality.

A decidedly ordinary picture through this final phase should jolt such complacency.

One win, four draws and a loss, with only seven goals scored, has reduced to slim the margin for error over the next 10 days.

The heightened awareness will serve the sport well should the Socceroos prevail as the masses take an emotional stake against Jordan and Iraq.

Better still would be if a new hero emerges to replace the dimming images of Harry Kewell and Tim Cahill.

A burst of Tommy Oar or Robbie Kruse might be just the adrenalin shot the Socceroos need.

But failure would provide an unwelcome examination.

It is unclear whether football here is insulated against missing a World Cup.

The FFA would be desperate to avoid having to learn the answer and how it might diminish the national connection with the Socceroos, a team that will soon lose its household names to retirement — Kewell, Cahill, Schwarzer, Neill and Bresciano — without a well-known cast of replacements.

The nation’s Test cricket team has always carried the banner of national identity.

We are a people unified under the baggy green.

Australia entrusts a group of young men to go forth on our behalf and uphold standards not only of play but of conduct.

Thus the team is held to a higher standard.

Winning is an imperative, but the manner in which the Australian cricket team wins is equally treasured.

Behaving as bullies or braggarts in dominant phases has always caused swift and stern rebuke.

For myriad self-inflicted reasons, this current team is in breach of public good will.

There’s a prevailing mood that an Ashes belting would be little short of comeuppance.

In a country devoted to football, the designated national team for a good period before being usurped by the Socceroos was the Wallabies.

While the intricacies of rugby union might have remained a mystery, David Campese, Nick Farr-Jones and John Eales brought the unconverted to the gold jersey.

But that team languishes under the tyranny of the All Blacks and a coach testing the limits of patience.

This international season, which showcases the phenomenally popular British and Irish Lions, has the potential to recast images.

Should Israel Folau, a household name across the NRL and AFL, recast Wallaby fortunes the nomad of football might finally find his place.

The Socceroos come to be tested these next two Tuesday nights, not only for a position in a World Cup but their place in the hearts and minds of the Australian sporting public.

It’s impossible to overstate how much rests on the outcome.

May they go forth and prosper.

 

Herald Sun – 08 June 2013

Flor do Caribe 15/06/2013

Cassiano encontra Ester chorando

Cassiano e os tenentes comemoram a volta para casa. Duque chama Guiomar para cantar no Flor do Caribe. Taís tenta convencer Ester da inocência de Cassiano.

Mantovani pede para investigar a coleção de obras de arte de Dionísio. Nicole não entende por que Guiomar decidiu cantar no Flor do Caribe. Mila e Hélio saem juntos. Amaralina diz a Duque que Guiomar gosta dele. Mila se diverte com Hélio. Ester enfrenta Alberto. Duque e Guiomar se beijam. Alberto provoca Ester. Cassiano encontra Ester chorando.

Coritiba 2 x 1 Fluminense

Vitória sobre o Fluminense por 2 a 1 deixa o Coxa isolado na ponta da classificação do Campeonato Brasileiro. Última vez foi em 2002

Pela primeira vez na era dos pontos corridos, o Coritiba terminou uma rodada na liderança isolada do Campeonato Brasileiro.

O feito se tornou histórico, pois a última vez que o Verdão conquistou o resultado foi em 2002, quando fez uma bela campanha na competição nacional, mas perdeu fôlego nas últimas rodadas e acabaou eliminado da primeira fase, com uma goleada do rebaixado Gama. Desde que o Brasileirão mudou a fómula de disputa de pontos, o Coritiba não sabia o que era sentir o gostinho da liderança.

Nós estamos acreditando, estamos pensando nisso. É difícil ser campeão, mas podemos chegar”
Alex

A combinação de resultados da quarta rodada propiciou a folga coxa-branca. Quase todos os jogos foram disputados na quarta-feira, com um equilibrio grande, que permitiu que o Coxa pulasse da 11ª posição para ser o primeiro.

A reação da torcida foi um aumento na esperança de conquistar um título nacional, que não acontece desde 1985. O elenco prefere não pensar em um assunto tão cedo, apesar de não negar que esse é o objetivo do ano.

Héroi da partida, após marcar o gol da vitória e o 400º dele na carreira,Alex diz que o Campeoanto Brasileiro está apenas no início e que segurar uma liderança é algo complicado. Mesmo assim, ele acredita que a força do Coxa pode render um título nacional.

– Ainda é muito cedo para falar em título. O Campeonato Brasileiro é muito equilibrado. Mas nós estamos acreditando, estamos pensando nisso. É difícil ser campeão, mas podemos chegar – declarou o craque da partida, após o triunfo.

Para manter a ponta e passar o intervalo da competição para a Copa das Confederações mais tranquilo, o Coxa precisa vencer o Náutico no domingo, às 18h30m (de Brasília), também no Estádio Couto Pereira.

Coritiba Fluminense Robinho (Foto: Divulgação / Site oficial do Coritiba)
Coritiba vence o Fluminense e termina rodada na liderança (Foto: Divulgação / Site oficial do Coritiba)

Amor á Vida 15/06/2013

Paloma questiona Pilar sobre sua maternidade

Paloma estranha a reação de Bruno ao saber que não é o pai biológico de Paulinha. Aline conta para César sua conversa com Bernarda. Bruno fala para Glauce que contará a verdade sobre Paulinha para Paloma depois da cirurgia. Glauce pede para Perséfone o prontuário de Luana. Atílio aceita se casar com Márcia. Jacques ouve Lutero falar para Joana que não pode fazer a cirurgia de Paloma. Eron e Niko recebem Sibila, uma candidata à mãe dealuguel. Neco vê Glauce retirar o prontuário de Luana do arquivo. César deixa a casa de Aline levando o bracelete. Valentin conta para Ninho que Paloma doará parte do fígado para Paulinha. César dá o bracelete para Priscila e Pilar fica aliviada. Paloma questiona Pilar sobre sua maternidade.