Ceará se reúne com Arena Castelão para terminar de analisar contrato

Clube deve assinar contrato com Arena nesta semana, segundo previsão da diretoria. Fortaleza ainda negocia uso exclusivo com consórcio

obras estádio Castelão Copa 2014 (Foto: AFP)

Contrato de uso exclusivo vai até o fim de 2018
(Foto: AFP)

A novela sobre o contrato do Ceará com a Arena Castelão para uso exclusivo do estádio está próxima do fim. A diretoria do alvinegro se reúne com o consórcio responsável pelo Castelão nesta quarta-feira (22), para ‘terminar de analisar o contrato’, segundo informou o diretor financeiro do Ceará, Sérgio Costa.

Os ajustes solicitados pelo clube para a assinatura do contrato devem ser atendidos pela Arena Castelão e, ainda nesta semana, a exclusividade até o fim de 2018 pode ser oficializada. O Conselho Deliberativo do Ceará inclusive já aprovou a assinatura. A reportagem tentou contato com a diretoria do Fortaleza, mas não foi atendida. Segundo a assessoria de imprensa do Tricolor, não há nada certo até o momento e os dirigentes ainda estão em negociação com a Arena.

Em troca do uso exclusivo, os clubes receberão cota mensal de R$ 130 mil, além de outros benefícios, como direito a lojas no estádio para a venda de produtos oficiais. Caso o Ceará suba para a Série A do Brasileiro, o valor dobra para R$ 260 mil. A Arena Castelão, no entanto, vai pagar de forma adiantada R$ 500 mil ao Ceará e ao Fortaleza, conforme solicitado pelos clubes. Após um ano de contrato, o valor será descontado dos R$ 130 mil em 20 parcelas.

A cota do Ceará já teria até destino certo: as 72 parcelas de R$ 80 mil para a compra do Centro de Treinamento Esportivo do Nordeste (Ceten). A proposta do clube é de comprar o CT por cerca de R$ 6 milhões. Além do pagamento das parcelas de R$ 80 mil, o Ceará ainda teria um custo mensal de R$ 60 mil para a manutenção do Ceten.

 

 

Ribéry exalta momento no Bayern: ‘Melhor temporada da minha carreira’

Francês acredita que pode figurar entre melhores jogadores do mundo
caso bávaros vençam tríplice coroa, e dá boas-vindas a Pep Guardiola

Campeão alemão e finalista na Liga dos Campeões e da Copa da Alemanha, o francês FranckRibéry acredita que está já pode ser considerada a sua melhor temporada como profissional de futebol. O atacante do Bayern De Munique acredita que, caso conquiste as três competições, pode ser colocado de vez entre os melhores do mundo, o que coroaria uma temporada perfeita com os bávaros.

– Podemos dizer que esta é a minha melhor temporada. Estou feliz e radiante. Agora eu só penso em, enfim, vencer a Liga dos Campeões e depois a Copa da Alemanha. Se o Bayern vencer tudo nesta temporada, será o momento para ver o que vai acontecer comigo – comentou o francês ao jornal “L’Equipe”.

Franck Ribéry Bayern de Munique (Foto: AFP)
Franck Ribéry acredita que esta temporada com o Bayern de Munique é a melhor da sua carreira (Foto: AFP)

O sonho de vencer a Champions depois de chegar ao menos entre os quatro semifinalistas nos últimos três anos é o principal motivador para a decisão da competição diante do rival Borussia Dortmund. A partida decisiva acontecerá neste sábado, às 15h45m (de Brasília), em Wembley.

Apesar de não esconder de ninguém os objetivos pouco modestos para os próximos meses, Ribéry também já programa a temporada que vem. A troca de comando dos bávaros – Jupp Heynckes vai se aposentar e em seu lugar chega Pep Guardiola – será uma dificuldade que deve ser superada, já que o treinador espanhol possui método de trabalho diferente do alemão.

– Eu vou conhecer um novo estilo de trabalho, completamente diferente do de Heynckes. Mesmo assim, estamos contentes com a chegada de Pep – garantiu o atacante.

Ribery e Valdes, França x Espanha (Foto: Reuters)
Ribéry tenta vencer Valdés, na partida entre França e
Espanha pelas Eliminatórias (Foto: Reuters)

O momento bom da seleção francesa, que está em segundo no grupo I das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, com dez pontos, apenas um atrás da líder Espanha, também contribui para o sorriso de Ribéry. O camisa 7 afirma que se sente bem em vestir a camisa azul e ouvir a torcida gritar seu nome.

– Isso me faz sentir bem. Estar novamente com a seleção e em contato com o público francês me arrepia. Não se pode imaginar como eu senti falta disso – recordou.

Rebaixamento: jogadores apostam em Criciúma, Lusa, Náutico e Bahia

Vasco é o sexto mais citado. Campeão catarinense, de volta à Série A após oito anos, lidera lista da descrença.

Foram oito anos longe da Série A – tempo suficiente para gerar uma desconfiança que nem o bom desempenho recente, com o vice-campeonato da Segundona de 2012 e o título catarinense deste ano, consegue abafar. O Criciúma é, para a maioria dos jogadores das Séries A e B, o favorito ao rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2013. Ele foi o mais votado em um universo de 343 atletas, em pesquisa feita pelo GLOBOESPORTE.COM e pela revista “Monet“.

Cada jogador foi convidado, em questionário, a apontar os quatro times que têm mais chances de queda, na visão deles. O Tigre foi citado por 223 dos 343 jogadores. Ou seja: uma fatia de 65% deles colocou o clube catarinense como um dos rebaixados. Na sequência, aparecem Portuguesa (218), Náutico (202), Bahia (183) e Ponte Preta (108).

Rebaixados Séroe A (Foto: arte esporte)

Foram enviados formulários a todas as equipes das duas primeiras divisões do Brasileirão. Todos jogadores poderiam responder, sob garantia de total anonimato. Houve retorno de 23 clubes.

Incômodo e compreensão

Vadão técnico Criciúma (Foto: João Lucas Cardoso)
Vadão, técnico do Criciúma, confia em sua equipe
(Foto: João Lucas Cardoso)

Personagens dos clubes apontados como prováveis rebaixados reagiram com uma mistura de incômodo e compreensão à notícia. E deram um aviso parecido: de que a descrença dos rivais pode virar combustível.

É o caso de Vadão, o técnico do Criciúma. Ele diz que não liga para o que se fala sobre seu time. Mas ressalva que a desconfiança pode gerar motivação.

– Vamos ver na prática. Quando eu cheguei aqui (no começo de março), ninguém prestava, todo mundo estava numa situação delicada, e fomos campeões (estaduais), apesar de ninguém acreditar. Então, não me interessa o que falam no Rio, em São Paulo e em outros grandes centros. O que me interessa é o que vamos jogar. (…) Tudo para nós serve de motivação, tanto as críticas e previsões, como o título que ganhamos.

Não me interessa o que falam no Rio, em São Paulo e em outros grandes centros. O que me interessa é o que vamos jogar.”
Vadão, técnico do Criciúma

Há justificativas para pouca confiança no Criciúma, mesmo que elas não sejam exatamente técnicas. O Tigre não disputa a Série A desde 2004. No período ausente da elite, chegou a despencar duas vezes para a Série C, onde passou três anos. Além disso, boa parte dos entrevistados não teve a vivência de encarar uma das grandes armas do clube catarinense: a pressão da torcida no estádio Heriberto Hülse.

Já o Naútico paga, em parte, o preço da gangorra que carrega em sua história recente. Desde que o Brasileirão começou a ser disputado em pontos corridos, o Timbu passou quatro anos na Série B, mais três na Série A, outros dois na B e agora vai para o segundo seguido na A. Na temporada passada, quando esta pesquisa foi feita pela primeira vez, o clube pernambucano foi o mais indicado à queda.

E sobreviveu. Justamente por isso, ser novamente colocado entre os rebaixados irrita os profissionais do Náutico.

– Prefiro não comentar. Não sei qual base o jogador tem para dizer isso. Pela campanha do ano passado, não é. O Náutico foi o clube que teve melhor campanha jogando em casa. Nos meus tempos de jogador, se eu tivesse uma pesquisa dessas, não responderia essa pergunta. Futebol é muito imprevisível, e o Campeonato Brasileiro é disputado em oito meses. Fica difícil dar uma resposta para uma pergunta como essa – disse o técnico Silas.

Martinez, capitão do Náutico, também não gostou. Quando soube do resultado, lamentou: “Pô, de novo?”.

– Quem tem boca, fala o que quer. A gente respeita. Cada um tem uma opinião, e mais uma vez vamos brigar para fazer uma boa campanha. A gente tem que respeitar, mas isso não muda em nada o nosso foco. Não mexe com a gente. Não acredito que isso interfira em nada. Nem dificulta e nem facilita. É um campeonato difícil, e nós vamos trabalhar primeiro para se afastar da zona de rebaixamento e depois para fazer uma campanha melhor do que a do ano passado.

martinez náutico (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Martinez, capitão do Náutico, outra vez citado como ameaçado (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Quem tem boca, fala o que quer”
Martinez, capitão do Náutico

Na pesquisa feita ano passado, o único clube apontado pelos jogadores como provável rebaixado que efetivamente caiu foi o Atlético-GO. A Portuguesa, a exemplo do Náutico, foi uma das sobreviventes. Agora, está novamente no grupo da descrença. O técnico da Lusa, Edson Pimenta, diz que já falou com os jogadores sobre o descrédito do time – como forma de motivá-los.

– No ano passado, foi a mesma situação. A Portuguesa era dada como uma das quatro rebaixadas, e ao longo do campeonato foi mostrando a competência, a competitividade, e acabou encantando muita gente. (…) Já passei para os jogadores que a Portuguesa, virtualmente, é uma das rebaixadas, o que nos tira uma responsabilidade, poque se cair, está no contexto. Vamos ter que provar para todo mundo que o contexto está errado. (…) Uma coisa é a teoria. Outra coisa é a prática. Vamos provar na prática que a teoria está errada, que a Portuguesa não vai cair – avisou o técnico da Lusa, Edson Pimenta.

Vamos provar na prática que a teoria está errada, que a Portuguesa não vai cair”
Edson Pimenta, técnico da Portuguesa

Outro presente na lista é o Bahia, que ficou na fronteira com a zona de queda no ano passado e agora tenta se livrar de enorme crise, sublinhada pelo impacto de duas goleadas para o maior rival, o Vitória.

– É uma opinião. Já vi muitas opiniões sobre times que vão ser campeões ou rebaixados. Temos confiança no trabalho que estamos fazendo – afirmou o presidente do Bahia, Marcelo Magalhães Filho.

Desconfiança com o Vasco

Paulo Autuori treino Vasco (Foto: Marcelo Sadio / Site do Vasco)
Autuori entende desconfiança sobre o Vasco
(Foto: Marcelo Sadio / Site do Vasco)

O Vasco foi o sexto mais votado como candidato à queda. Dos 343 jogadores, 96 colocaram o clube de São Januário como provável rebaixado. Dos clubes de maior torcida do Brasil, é aquele que mais lida com descrença – resultado do rendimento fraco no início do ano, da crise financeira e do recente desmanche no elenco.

Com Paulo Autuori no comando, o time cruz-maltino tenta provar que a descrença é exagerada. O treinador, porém, se mostra compreensível com as dúvidas.

– Esse descrédito é perfeitamente normal. Pelo histórico recente, não há motivo para que pensem o contrário. Mas enquanto isso, nós vamos trabalhando. Então, é uma questão de escolha nossa: vamos reagir a isso nos lamentando ou trabalhando para mudar essa situação?

Todos os clubes foram votados ao menos uma vez no quesito rebaixamento. Dois cariocas foram os menos citados: o Fluminense, apenas uma vez, e o Botafogo, duas. Santos (três votos), Grêmio (três), Cruzeiro (cinco) e Corinthians (cinco) também foram pouco lembrados.

Coreia do Sul apresenta novos helicópteros militares

Aeronaves, chamadas de Surion, têm maior autonomia.
Exército espera ter 200 deles em operação até 2020.

Coreia do Sul apresentou oficialmente nesta quarta-feira (22) novos helicópteros militares produzidos no país. As aeronaves, chamadas de Surion, são equipadas com controles de voo automáticos, que aumentam a autonomia do piloto e permitem que ele se preocupe mais com os arredores do que com o voo propriamente dito.

Os helicópteros foram apresentados à imprensa em uma cerimônia na segunda-feira (20), mas as imagens só foram divulgadas nesta quarta. Na apresentação, os helicópteros, primeiros a serem produzidos pelo Exército sul-coreano, fizeram disparos de fogo.

A Coreia do Sul espera ter 200 helicópteros do tipo em operação até 2020.

Novos helicópteros sul-coreanos fazem disparos durante apresentação nesta segunda (20) (Foto: Ahn Young-joon/AP)
Novos helicópteros sul-coreanos fazem disparos durante apresentação nesta segunda (20) (Foto: Ahn Young-joon/AP)
Helicópteros são os primeiros produzidos pelo Exército da Coreia do Sul (Foto: Ahn Young-joon/AP)
Helicópteros são os primeiros produzidos pelo Exército da Coreia do Sul (Foto: Ahn Young-joon/AP)
Exército espera ter 200 helicópteros Surion em operação até 2020 (Foto: Lee Jae-Won/Reuters)
Exército espera ter 200 helicópteros Surion em operação até 2020 (Foto: Lee Jae-Won/Reuters)
Exército sul-coreano faz apresentação com novo helicóptero (Foto: Ahn Young-joon/AP)
Exército sul-coreano faz apresentação com novo helicóptero (Foto: Ahn Young-joon/AP)
G1

Ceará tem chuvas de até 70 mm nas últimas 24h

Não choveu na região sul do Estado

Choveu em 34 dos 184 municípios cearenses nas últimas 24h, segundo a Fundação Cearense de Metereologia e Recurso Hídricos (Funceme). A região norte do Estado foi a mais beneficiada pelas precipitações, chegando a  registrar índice pluviométrico de 70 mm em Ibiapina, a 360 km de Fortaleza.

Registro corresponde ao perído entre 7h da última terça-feira (21) e 7h desta quarta-feira (22). FOTO: Natinho Rodrigues.

Na Capital, o volume de chuvas foi de 15,2 mm. Já nos municípios da Região Metropolitana de Fortaleza, houve chuvas em Maranguape (11,2 mm), Eusébio (11 mm) e Pacatuba (6 mm). Nas regiões centrais e ao sul do Ceará, não foram registrados pela Funceme nenhuma precipitação, até às 09h58 desta quarta-feira.

No interior do Estado os índices pluviométricos alcançaram 46 mm, em Massapê, e 42 mm, em Barroquinha. Chuvas moderadas também aconteceram em Granja (25 mm), Frecheirinha (22 mm) e São Gonçalo do Amarante (21 mm).

Previsão para as próximas 24h

De acordo com a Funceme, as chuvas são provocadas por nebulosidade associada ao transporte de umidade ocasionado pelo ventos de nordeste. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), principal sistema causador de precipitações durante a quadra chuvosa,permanece afastada do Estado, padrão observado nos últimos dias, segundo o órgão.

A previsão para as próxima 24h é de chuvas no centro-norte do Estado. Nas demais regiões, céu parcialmente nublado a claro.

 

 

Diário do Nordeste-Regional-22 de maio de 2013