Gilberto Barros “ameaça” a audiência de Raul Gil do SBT

Com picos de 3 pontos, “Sábado Total” ameaça a terceira posição do SBT.

Foto: Reprodução/RedeTV!

Gilberto Barros e sua equipe teve motivos para comemorar na tarde deste sábado, 06/04. O programa “Sábado Total”, exibido das 14h às 17h45, conquistou bons índices de audiência e, por quinze minutos não consecutivos, empatou com o Programa Raul Gil, do SBT.

Na média geral, a atração de entretenimento da RedeTV! marcou 2 pontos, com picos de 3. Durante a sua exibição, a Globo liderou com 13 pontos; e a Record e SBT registrar 4 pontos cada.

Um dos destaques do programa foi uma entrevista com o cantor Hudson, preso por porte de armas.

O Planeta TV

Dilma não teve “nordestinidade” para defender permanência da sede do Dnocs no Ceará, diz tucano

 

 

O deputado Fernando Hugo (PSDB) defendeu, durante pronunciamento na manhã desta sexta-feira (5), a permanência da sede do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs) em Fortaleza. A possível transferência do órgão foi apresentada como um dos pontos do projeto de ampliar a atuação dele para todo o Brasil, e não mais apenas o Nordeste, proposto pelo Ministério da Integração Nacional.

O tucano defendeu a permanência do órgão no Ceará, lembrando que ele já foi a maior estrutura de combate à seca na região Nordeste. Em seu discurso, o parlamentar também criticou a presidente Dilma Rousseff, por não ter abordado o tema durante sua visita a Fortaleza, na última terça-feira (2). Na avaliação dele, a presidente não teve “nordestinidade” de dizer que o Dnocs não sairia da Capital cearense para Brasília.

 

Diário do Nordeste – Política – 07 de abril de 2013

Aliados defendem Cid Gomes de acusações

 

Por Miguel Martins

Os deputados da Assembleia Legislativa se solidarizaram com o governador Cid Gomes, ontem, após o seu pronunciamento e criticaram a ação do deputado federal Eudes Xavier (PT). Os petistas da Casa, representados pela liderança partidária de Rachel Marques, reafirmaram o compromisso de aliança com o Governo do Estado e disseram que as falas de seu correligionário não representam o sentimento da maioria da legenda.

As falas de Dedé Teixeira (PT) foram de repúdio contra o posicionamento de Eudes Xavier. Para ele, nenhum partido está mais constrangido do que o PT. “O Eudes não procurou nenhuma instância do PT e nós por unanimidade reafirmamos o apoio de participar ativamente de um Governo que consideramos importante”, afirmou.

O tucano Fernando Hugo, por sua vez, chamou de “sacanagem” o pronunciamento do deputado Eudes Xavier e pediu que o governador processasse o petista e pedisse a cassação do mandato do parlamentar por ter dado início a um “precedente sério”. Como o nome da ex-prefeita Luizianne Lins foi citado, o deputado Osmar Baquit afirmou que ela teve, sim, participação no esquema de grampo nos e-mails de Cid Gomes e solicitou que ela seja investigada.

Já o pessebista Wellington Landim afirmou que Cid Gomes estava dando um exemplo ao prestar esclarecimentos sobre o assunto e que isso deveria ser seguido pelos demais políticos. Segundo ele, o chefe do Poder Executivo do Ceará foi “bode expiatório de uma quadrilha inconformada”.

“Tudo pode acontecer dentro da política, principalmente com pessoas sem boa vontade de fazer política clara. Já tinha visto pistoleiro de aluguel e barriga de aluguel, mas caneta de aluguel? Saiu nota de forma absurda e eu vivi essa angústia, dentro de casa”, lembrou Daniel Oliveira (PMDB), afirmando que seu padrinho político, o senador Eunício Oliveira (PMDB), também teve seu nome vinculado na imprensa a interesses políticos.

Já o petista Antônio Carlos, da mesma corrente da ex-prefeita e presidente do PT no Estado, Luizianne Lins, falou que nem Luizianne nem Eudes Xavier espionaram qualquer pessoa. Segundo ele, o fato de o governador ir à Casa fazer sua defesa não tira o direito de aquele que o denunciou encaminhar a denúncia para os órgãos competentes. “Quem denuncia tem o ônus de levar as provas. Se o governador está dizendo que não tem nada a ver com isso… Se alguém tiver feito espionagem que seja pago por isso”, disse.

O deputado Sergio Aguiar (PSB) se disse decepcionado com a situação e afirmou nunca ter visto um “ato tão baixo como esse aqui relatado. Ser acusado de uma ação tão descabida como essa é desonra para todo e qualquer político”. Para o líder do Governo, José Sarto (PSB), a ex-prefeita Luizianne Lins foi conivente com a informação que lhe foi repassada, no caso a que envolve a ex-secretária Luiza Perdigão. “Esta Casa está aqui para ouvir todos os lados e não para lhe bajular, mas conseguir a verdade, doa a quem doer”, disparou o parlamentar.

Em resposta ao discurso de seus aliados, o governador do Estado do Ceará, Cid Gomes, afirmou que quer que tudo seja investigado e se ele, realmente, for o culpado, irá renunciar o seu mandato sem esperar impeachment. Do contrário, espera que seja divulgado e punido quem inventou as histórias. “O lugar da política tem que ter o limite da dignidade e da honra. Eu jamais seria capaz de um gesto como esse, não é nosso estilo. Os verdadeiros culpados serão conhecidos”, disparou.

Viagem de Dilma satânica deixou muitos deputados cearenses insatisfeitos

 

Por Miguel Martins

As ações anunciadas pela presidente Dilma Rousseff na última terça-feira em visita ao Ceará não agradaram os deputados da Assembleia Legislativa. Na quinta-feira, alguns parlamentares repercutiram a visita da petista e afirmaram que parte dos repasses prometidos por ela para o Nordeste, da ordem de R$ 9 bilhões, já estavam assegurados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Quem puxou o coro das críticas foi o líder do PSB na Casa, Wellington Landim, que disse não ter “nada de novo” no pacote de medidas anunciadas para amenizar os efeitos da seca na região. A distribuição de máquinas retroescavadeiras aos prefeitos de municípios do Ceará e de maquinário pesado para outras obras já constavam no PAC, conforme informou. Ao invés de prorrogar a dívida dos pequenos agricultores em dez anos, o parlamentar defendeu que estas fossem dispensadas, visto que os trabalhadores rurais perderam toda sua produção.

“Quantas vezes os grandes ruralistas neste País tiveram suas dívidas perdoadas? E nós estamos vivenciando a pior seca dos últimos 50 anos”, afirmou. De acordo com ele, o médio agricultor foi quem mais perdeu com a estiagem e merecia uma maior atenção por parte do Governo Federal. “O médio agricultor, que tinha 20 cabeças de gado, agora tem cinco. Vendeu 50 cabeças a preço de banana e o que restou não se sabe se sobrevive até o final do ano”, afirmou, defendendo a necessidade de empréstimos para recuperar a economia rural.

Para o Ceará recuperar sua economia, precisaria de R$ 4,5 bilhões, segundo estudos da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec). O deputado lembrou que o Ceará solicitou da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) 456 toneladas de milho, o que daria aproximadamente 38 toneladas por mês. Mas somente18 mil toneladas foram liberadas.

Wellington Landim lamentou não ter ouvido de Dilma Rousseff que a Transposição do Rio São Francisco era a prioridade do Governo Federal. “Nada foi falado. E os prefeitos recebem uma máquina e ficam calados achando a melhor coisa do mundo. Sinceramente, eu fico em uma decepção”, criticou.

“A presidente veio aqui e pariu um rato”, disse o tucano João Jaime, afirmando que nada foi distribuído por ela, visto que todas as ações prometidas já estavam inseridas no PAC. “Ela deveria ter anunciado uma máquina perfuratriz para cada município do Estado. A prorrogação dos empréstimos era necessidade não só dos agricultores e do banco. Efetivamente, eu não vi nada. 30% do aumento de carro-pipa? Eles precisam é do incremento de cinco vezes desse total”, reclamou João Jaime (PSDB), afirmando ter ficado “estarrecido” com a satisfação de alguns prefeitos que se sentiram contemplados com as ações da presidente Dilma.

O tucano Fernando Hugo disse que Dilma Rousseff só veio “fazer festa” no Estado e não deixou nenhum repórter fazer pergunta sobre a Transposição do Rio São Francisco. “Ela prometeu mundos e fundos que já estavam na cota para o Nordeste. Foi uma visita Rei Momo, carnavalesca”, criticou. Roberto Mesquita também chegou a afirmar que não se sentiu contemplado com a visita da presidente Dilma Rousseff para tratar da seca e afirmou que ela veio enganada para Fortaleza. “Para o nordestino, nada ela disse sobre o que mais interessa”, apontou.

 

Diário do Nordeste – Política – 07 de abril de 2013

Para deputado, Dilma deve manter Dnocs no Ceará

 

Por Miguel Martins

Os deputados da Assembleia Legislativa estão preocupados com a possível transferência da sede do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) de Fortaleza para Brasília e cobram da presidente Dilma Rousseff uma explicação sobre os boatos que surgiram, que estão preocupando, principalmente, servidores da instituição.

O tucano Fernando Hugo, em pronunciamento na Casa, questionou quais seriam os benefícios de se tirar o órgão do centro do semiárido, para encaminhá-lo para o Distrito Federal, visto que segundo ele, a burocracia será uma constante.

Para minimizar a tensão que recaiu sobre os parlamentares, o líder do PSB na Casa, Wellington Landim, afirmou que em entrevista para um rádio local, a presidente Dilma Rousseff disse ser totalmente contra a saída da sede do Dnocs do Município de Fortaleza e no que depender dela, a unidade permanecerá na Capital cearense.

A sugestão de mudança do local da sede do Dnocs foi apresentada pelo Ministério da Integração Nacional, que tem como ministro, o pessebista Fernando Bezerra Coelho, ligado ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

“Por que a presidente Dilma quando chegou aqui não disse que a história de transferir o Dnocs para Brasília não procede?”, questionou Fernando Hugo, em pronunciamento na Assembleia Legislativa na última sexta-feira.  Ele defendeu que o centro do semiárido fica no Nordeste, portanto,  o órgão deveria permanecer com sua sede em  Fortaleza. “Se tirar daqui é uma maldade do Governo Federal, que tem sido centralizar de políticas eleitoreiras”, criticou.

O deputado fez um histórico do equipamento e lembrou de obras como Castanhão e Orós, além de ferrovias, portos e outras ações visando a conservação do bem-estar estrutural da região.  O parlamentar afirmou também que todos os parlamentares deverão “lutar” para manter o Dnocs e tentar tranquilizar a população cearense.
O petista Dedé Teixeira afirmou que nos bastidores da vinda da presidente Dilma à Fortaleza, chegou-se a comentar que a presidente desconsiderou essa possibilidade.

“Essa loucura de setores do Governo pode até ter sido pensada de forma sorrateira por eles, mas a presidente jamais tiraria do Nordeste um equipamento como o Dnocs”, disse o petista, afirmando que a unidade precisa, na verdade, é ser reestruturada. “Com certeza ela não cometeria uma loucura dessas, contra o Ceará e contra essa instituição”.

Roberto Mesquita (PV), compartilhando com os pensamentos de seu colega tucano, disse que, além de o Nordeste dever muito ao Dnocs, a presidente Dilma deve “muito” ao Nordeste. “O ministro da integração disse que existe essa iniciativa, sim. Mas é preciso mobilizar a todos para impedir que isso aconteça”. O deputado Neto Nunes afirmou que, existe, sim uma movimentação no Ministério da Integração Nacional para transferir o órgão . “Há um movimento para fazer o Dnocs perder sua força, até extingui-lo. Precisamos fazer coro para que isso não aconteça”.

 

Diário do Nordeste – Política – 07 de abril de 2013

Gestores públicos pagaram R$ 3 milhões em multas

 

Em 2012, aproximadamente R$ 3 milhões retornaram aos cofres dos municípios cearenses decorrentes de multas e débitos imputados pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Ceará (TCM) a gestores públicos. O valor é considerado pequeno diante do montante que é cobrado anualmente, mas técnicos do TCM garantem que esse número vem crescendo ao longo dos anos. No ano passado, por exemplo, o Tribunal determinou o pagamento de R$ 89 milhões por infrações ou danos ao erário.

De acordo com Fernando Diogo, secretário geral do TCM, a infração mais comum cometida pelos gestores dos municípios que leva a essas punições é a ausência de licitação em situações que ela é obrigatória. Também entram nessa lista contratações de servidores públicos de forma irregular, falta de prestação de contas, não execução de obras conforme o prazo, dentre outros.

Caso o débito não seja quitado, o Tribunal de Contas entra em contato com o atual prefeito do município para que ele inscreva na Dívida Ativa Municipal. O Ministério Público e as câmaras municipais também são acionados pelo TCM para que possam acompanhar o andamento dos casos, explica Fernando Diogo. “Os promotores fazem a fiscalização até para verificar se não está havendo um corpo mole dos gestores para esperar o prazo de cobrança da dívida prescrever”, expõe.

Só em 2012, o TCM encaminhou 1.280 ofícios a promotores de Justiça do Estado para monitorar essas dívidas. O número é o menor dos últimos cinco anos. Em 2009, por exemplo, foram repassados 2.215 desses documentos. O prazo de prescrição para iniciar a cobrança das dívidas é de cinco anos.

Caso o chefe do Executivo municipal não tome as devidas providências de inscrever na Dívida Ativa Municipal, ele corre o risco de ter as contas desaprovadas pelo Tribunal. Segundo o secretário geral do TCM, Fernando Diogo, essa medida tem aumentado a responsabilidade dos prefeitos com as solicitações do TCM. No ano passado, R$ 8,5 milhões referentes a débitos e multas foram inscritos na Dívida Ativa.

Já no tocante ao descumprimento da determinação do Tribunal, em 2008, as multas e débitos que não haviam sido inscritos da Dívida Ativa pelos prefeitos chegavam a R$ 10 milhões, decrescendo ao longo dos anos. Em 2012, esse valor foi de apenas R$ 1,7 milhão, quase seis vezes menor. “Teve uma queda das multas e débitos não incluídos na Dívida Ativa, porque o Tribunal passou a desaprovar contas de gestão caso o prefeito seja solicitado para encaminhar débito para Dívida Ativa e não fizer”, explica o secretário geral do TCM.

Técnicos do TCM argumentam que o valor de multas e débitos comprovadamente quitados vem crescendo ao longo dos anos. Entretanto, esse aumento ainda é bastante discreto. Em 2008, ele chegou a R$ 2,7 milhões, evoluindo para R$ 2,6 milhões nos dois anos seguintes. Em 2011, foram quitados R$ 2,9 milhões, com um pequeno acréscimo em 2012.

Diário do Nordeste – Cidades – 07/04/2013