Equipes de Gugu e Geraldo Luís brigam por anão Marquinhos

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/56712ee29964ddff109e5816378c9c6e.jpg

Anão Marquinhos vira alvo de disputa entre equipes do “Programa do Gugu” e “Balanço Geral” – Divulgação/Record

O sucesso da exploração do anão Marquinhos, assistente de palco do “Balanço Geral”, está causando desavenças nos bastidores da Record.

Há três semanas, o “Programa do Gugu” presenteou o anão no “Sonhar mais um Sonho”, com uma casa totalmente nova e adaptada para as necessidades dele e de sua esposa. O quadro, dividido em duas edições, garantiu índices históricos à atração, que vinha atravessando sua pior crise desde que estreou, em 2009.

No domingo passado (31), sem a participação de Marquinhos, o Ibope de Gugu caiu e a direção logo tratou de elaborar uma nova atração na qual ele pudesse ser inserido. A produção do “Programa do Gugu” agora quer dar um carro ao anão.

Os problemas entre as produções do “Programa do Gugu” e “Balanço Geral” começaram quando se descobriu que a equipe do jornalístico já tinha a ideia em andamento. Homero Salles, diretor de Gugu, entrou em contato com a direção do “Balanço” e pediu permissão para trazer a ideia para o seu programa.

O embate foi parar na alta cúpula da Record, já que o “Balanço Geral” pertence ao núcleo de jornalismo e o “Programa do Gugu” ao entretenimento. Mesmo levando em conta à originalidade da ideia do “Balanço Geral”, deu-se preferência para o “Programa do Gugu”, que é exibido em rede nacional e possui necessidades maiores de audiência e faturamento.

Geraldo Luís, insatisfeito com os rumos do anão, não participará do quadro de Gugu Liberato.

Com informações do jornal “Folha de S.Paulo”.

NaTelinha

“Balacobaco” em baixa; “Cine Maior” tem recorde negativo no Ibope

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/0c4bd71e20ce218a13e19e1a74a6fa86.jpg
Roger Gobeth é o Danilo em “Balacobaco”: personagem lança livro e é assassinado por Arnaud
Depois de um período em alta e com índices mais expressivos no Ibope, a Record voltou a ter problemas de audiência entre 22h e 01h.
Na noite desta quinta-feira (04), por exemplo, “Balacobaco” alcançou apenas 6 pontos de média. A novela de Gisele Joras perdeu parte do fôlego acumulado no início do ano, quando chegava com frequência à casa dos 8 pontos de média.
Nem mesmo o suspense relacionado ao lançamento do livro de Danilo (Roger Gobeth) alavancou a trama. O ex-viciado reuniu seus amigos, imprensa e leitores em uma livraria para uma sessão de autógrafos. Arnaud (André di Mauro) acompanhou tudo de longe enquanto se preparava para atirar no executivo, atendendo às ordens de Norberto (Bruno Ferrari).
Logo em seguida, o recém lançado “Cine Maior” também teve índices aquém do esperado. Com “O Diário de Bridget Jones”, o canal amargou 3 pontos de média. Esse é o pior número da sessão e um dos mais baixos registros de uma atração no horário nobre considerando todo o ano de 2013.
NaTelinha

James Akel transcreve poema postado em seu FACEBOOK

 

 

ANUNCIARAM E GARANTIRAM QUE A GLOBO IA SE ACABAR
MUITA GENTE, MAS MUITA GENTE MESMO, COMEÇOU A VIBRAR
E ATÉ MUITOS DISSERAM QUE ELA NÃO É DE NADA
QUE TUDO O QUE ELA FAZ É UMA PATAQUADA

ACREDITEI NESSA CONVERSA MOLE
DE QUE A GLOBO IA SE ACABAR
E FUI TRATANDO DE MUDAR O CANAL
DE VER JOÃO KLEBER, DATENA, GUGU, SÔNIA ABRÃO E COISA E TAL
E SEM DEMORA,FUI VENDO PORTIOLLI, CQC, NELSON RUBENS E CRISTINA ROCHA
ASSISTI COISA QUE NÃO DEVIA
ACABEI VENDO MUITA PORCARIA
O CAMELÔ E O PASTOR ACHANDO QUE NA GLOBO DARIAM UM SHOW
MAS ACABARAM NUM VERDADEIRO CHORORÔ
E A TAL DA GLOBO NÃO SE ACABOU

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h20

Presidente Uruguaio cria incidente diplomático com presidente da Argentina

Uruguay

Argentina 1

 

Mujica provoca mal-estar com Argentina

Sem saber que fala estava sendo transmitida, presidente do Uruguai chama Cristina de ‘velha’ e Kirchner de ‘caolho’

Chanceler argentino convocou embaixador uruguaio em Buenos Aires para que ele desse explicações sobre caso
SYLVIA COLOMBODE BUENOS AIRES

“Esta velha é pior que o caolho” (“esta vieja es peor que el tuerto”), disse o presidente uruguaio José “Pepe” Mujica sobre Cristina Kirchner -“caolho” seria seu antecessor e marido, Néstor, que era estrábico-, sem perceber que suas palavras estavam sendo transmitidas ao vivo pela página na web da Presidência da República.

O chanceler argentino, Héctor Timerman, convocou o embaixador do Uruguai para que ele explicasse o comentário, que provocou “profundo mal-estar”, segundo nota entregue ao diplomata uruguaio pelo Ministério das Relações Exteriores.

O assunto ganhou grande repercussão na Argentina, tomando espaço das enchentes nos noticiários, e até mesmo virando “trending topic” (#EstaViejaEsPeorQueElTuerto) no Twitter.

Mujica estava em reunião com o prefeito da cidade de Florida, Carlos Enciso, e conversava sobre as dificuldades das relações do Uruguai com a Argentina.

Nos últimos meses, o governo uruguaio vem lançando críticas ao argentino por causa das travas comerciais, que prejudicam a economia do Uruguai.

Na conversa, Mujica ainda disse que, “para conseguir algo” com a Argentina, era necessário dialogar antes com o Brasil. “O caolho era mais político, esta senhora é mais teimosa.”

No documento entregue pela chancelaria argentina ao Uruguai, também se lê: “A República Argentina reforça que é inaceitável que comentários que ofendem a memória de uma pessoa falecida, que não pode replicar nem defender-se, tenham sido realizados por alguém a quem o dr. Kirchner considerava seu amigo”.

A carta diz ainda que Cristina Kirchner não se manifestará sobre as declarações de Mujica e que as relações históricas entre os dois países não deveriam ser afetadas pelo episódio.

ANTECEDENTE

O caso fez os argentinos lembrarem-se do ex-presidente uruguaio colorado Jorge Batlle, que, em 2002, também sem perceber que estava no ar, disse que os vizinhos “são um bando de ladrões, do primeiro ao último”.

As declarações de Batlle foram ao ar em uma gravação realizada pela agência Bloomberg.

O episódio rendeu, naquela oportunidade, um problema diplomático para os dois países, e Batlle acabou vindo pessoalmente à Argentina para desculpar-se com o então presidente Eduardo Duhalde, que o recebeu formalmente na residência de Olivos.

Mujica reagiu ontem mesmo à polêmica. “Não vou andar pelo mundo explicando nada, que inventem as bobagens que queiram”, disse o presidente uruguaio.

 Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h18

Mercadante poderá concorrer ao cargo de Governador do Estado de São Paulo em 2014

 

 

Mercadante ganha força como opção no PT

Lula e Dilma veem ministro da Educação como melhor nome para disputa em São Paulo, mas acham cedo para definição

Pesquisas de opinião vão orientar escolha do candidato do partido, que só deverá ser feita no segundo semestre
NATUZA NERYDE BRASÍLIA

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, tem hoje a preferência da cúpula petista para ser o candidato do PT ao governo de São Paulo nas eleições do ano que vem.

A presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, conversaram sobre o cenário no principal colégio eleitoral do país anteontem, numa reunião em São Paulo.

Apesar da preferência, ambos concluíram que não é hora de lançar um candidato para enfrentar o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que será candidato à reeleição.

Petistas que ouviram relatos da reunião disseram à Folha que também participaram do encontro o próprio Mercadante, o presidente do PT, Rui Falcão, e o ex-ministro Antonio Palocci, afastado do governo Dilma em 2011.

Dilma encontra Lula pelo menos uma vez por mês para discutir política. Ela viajou a São Paulo sem agenda oficial.

Em conversas reservadas, Lula tem dito que Mercadante será o candidato do PT se quiser. Em 2010, ele abriu mão de uma eleição considerada certa para o Senado para concorrer ao governo estadual e perdeu para Alckmin.

Na época, Mercadante aceitou candidatar-se para que o partido tivesse condições de garantir um palanque para a campanha de Dilma em São Paulo. Agora, seria a vez do ministro de escolher.

Ontem, após participar de congresso da Associação Paulista de Municípios, Mercadante disse que é cedo para definições. “Não é uma decisão só minha”, afirmou. “Agora, a melhor coisa que eu tenho a fazer é cuidar do MEC e evitar debater eleição.”

Contra Mercadante, pesa o histórico de derrotas. Ele também foi candidato a governador em 2006, quando um dos coordenadores de sua campanha foi flagrado com dinheiro de origem ilícita que seria usado para comprar um dossiê contra seu adversário, José Serra (PSDB), que venceu a eleição daquele ano.

A amigos Mercadante diz que enfrenta um dilema: deixar o governo para disputar uma eleição que considera difícil, mas não impossível, ou continuar no ministério, num momento em que goza da confiança da presidente e é cotado para uma promoção.

A ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, pode deixar o cargo no ano que vem para candidatar-se ao governo do Paraná. Mercadante é apontado hoje no governo como seu mais provável sucessor.

Aliados de Mercadante afirmam que a pasta poderia ser um trampolim para um salto mais ousado, em que ele repetiria a trajetória percorrida por Dilma e se candidataria à Presidência em 2018.

A escolha do candidato do PT ao governo de São Paulo só deverá ser sacramentada no segundo semestre. O partido vai encomendar pesquisas para orientar a decisão.

Petistas dizem que, se Mercadante não quiser concorrer, o nome mais forte seria o do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele tem a simpatia de Lula, mas sua área é muito mal avaliada pela população nas pesquisas.
Colaborou PAULO GAMA, enviado a Santos

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h17 no dia 05 de abril de 2013

Maksoud Plaza anuncia reforma em área de eventos

 

O Maksoud Plaza Hotel comunica que uma parte de sua área de eventos – o Espaço 150, que engloba três salas, Mato Grosso, Distrito Federal e Espírito Santo (todas as salas levam nomes dos Estados)- entrou em ampla reforma, que deverá estar concluída até agosto deste ano. O Espaço 150 soma 462 m² do Piso B do Pavilhão de eventos que, ao todo, apresenta cinco mil m² de espaços multifuncionais, além do Teatro, de 420 lugares.

Todo o Pavilhão de Eventos conta com infraestrutura completa de montagem, equipamentos, comunicação, alimentação, além de hospedagem. Sua maior característica é a adaptabilidade para todos os tipos de eventos, sejam banquetes, congressos, simpósios, convenções, seminários, palestras, lançamentos de produtos, treinamentos, reuniões, casamentos, festas ou aniversários, entre outros. Uma equipe especialmente treinada, área independente de serviços e cozinha com equipamentos de última geração tornam eventos de qualquer porte realizados ali altamente atrativos. “Entradas independentes, conforto, rapidez nos serviços e ampla possibilidade de abrigar eventos em paralelo são o nosso grande diferencial,além é claro da localização a uma quadra da Avenida Paulista”, afirma Henry Maksoud Neto, diretor do hotel.

O Maksoud Plaza é um dos hotéis nacionais – cinco estrelas, de acordo com a nova classificação do Ministério do Turismo – mais conhecidos tanto aqui quanto no mundo inteiro, justamente pela beleza de sua arquitetura, excelente localização e possibilidades completas de atendimento.

Maksoud Plaza – www.maksoud.com.br e www.maksoud.com
(também pode ser acessado por smartphone)
Toll Free nacional, para reservas, 0800.13. 44. 11
Tel. 55 (11) 3145 8000
Endereço: Al. Campinas, 150, CEP 01404-900, São Paulo, SP, Brasil
e-mail: 
maksoud@maksoud.com.br
Estacionamento e acessibilidade total

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 04h24 no dia 05 de abril de 2013

James Akel comenta futuras mudanças na grade matutina da REDE TV!

A RedeTV está divulgando que o primeiro programa de João Kleber no horário da manhã será dia 8.
E o horário das 9h30 às 11h30.
O roteiro divulgado é muito parecido com o do Balanço Geral da TV Record com Geraldo Luiz.
Mas aí aconteceu que o programa de debate esportivo que iria entrar às 11h30 até 12h00, com Silvio Luiz, Luiz Ceará e Juarez Soares, e que teria apenas 30 minutos, foi adiado sabe-se lá pra quando, sob justificativa de que o cenário não estaria pronto.
Peraí, minha gente.
Um programa de debate com estes três gênios do jornalismo esportivo não pode ter nada de diferente.
Bastam três cadeiras e três microfones e o show existe.
Mas, sabe-se lá.
Eu já tinha escrito que é um desperdício colocar tanto talento em apenas 30 minutos.
Vai que eles resolvem esticar o programa do João Kleber até às 12h pra ver no que dá e dão depois um horário mais adequado ao debate com Silvio Luiz.
Depende muito do ibope da primeira semana do show ao vivo da RedeTV bem em cima de Fátima Bernardes na outra emissora
.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 04h13