“Flor do Caribe”: “Eu sou uma pessoa versátil”, diz o ator Rafael Almeida

https://i2.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20130225173300.jpg

Rafael Almeida cantou na festa de lançamento de “Flor do Caribe” – Foto: TV Globo / Bob Paulino
O jeito tímido de Rafael Almeida encantou o público logo na sua primeira novela, em 2006, quando estreou no folhetim da Globo “Páginas da Vida”, interpretando o doce e quieto pianista Luciano.
A aceitação do público foi imediata e em pouco tempo o ator, de olhos claros e cabelos encaracolados, entrou para o casting dos galãs da emissora. Agora, Rafael se prepara para viver seu novo personagem em “Flor do Caribe”, próxima trama das seis, que estreia no dia 11 de março.
Durante festa de lançamento do folhetim, que aconteceu no último sábado (23) em SP, a repórter Carla Soltanovitch, do NaTelinha, conversou com o ator.
Confira a entrevista: 
 
NaTelinha: A sua profissão é ser ator?
 
Rafael Almeida: Eu sou uma pessoa versátil. Além de ser ator da Rede Globo, tenho uma empresa de entretenimento chamada RA3, portanto sou empresário, também toco e canto, dessa forma sou  músico. Tenho várias vertentes, se por acaso alguma não der certo sempre terei opções.
NaTelinha: E qual a sua prioridade hoje?
 
RA: Estou conseguindo conciliar tudo numa boa. Em março estarei lançando meu primeiro CD, que terá a participação da Maria Gadu e está muito bacana. O trabalho é um estilo pop com uma influência muito forte de MPB. Inclusive na trilha sonora da novela “Flor do Caribe” tem uma música minha chamada “Valsa do Adeus”. Adoro instrumentos musicais, tenho até um piano ao lado da minha cama. Também toco gaita, violão, contrabaixo…
NaTelinha: Na novela “Flor do Caribe” você também irá cantar?
 
RA: Nossa, que felicidade, meu personagem irá cantar muito, além de fazer trabalhos voluntários em uma ONG e praticar windsurf. O problema é que não tenho a menor vocação para esse esporte, e é bem provável que eu acabe precisando de um dublê.
NaTelinha: Você tem algum ídolo no meio artístico?
 
RA: Claro, o Fábio Júnior. Ele é uma excelente referência, um artista completo. Um dos maiores cantores da nossa música e também um grande ator. Fico impressionado com os trabalhos dele. Antigamente seus personagens nas novelas da Globo faziam um sucesso enorme. E suas músicas até hoje emocionam. Outro exemplo é o Seu Jorge, além de ser um cantor excepcional está indo agora fazer um filme em Hollywood. Eu não vejo limitação para a arte.
NaTelinha: Você tem alguma meta especial na sua vida?
 
RA: Tenho, ser pai. Um dos meus principais objetivos é esse. Eu adoro crianças… e família é o maior patrimônio que um homem pode conquistar, quem me ensinou isso foi meu pai e eu trago sempre comigo. Estou apaixonado pela minha sobrinha Maísa, filha da minha irmã Mara (cantora Tânia Mara, casada com o diretor da Globo Jaime Monjardim). Até já fiz uma música para ela.
NaTelinha: E já existe alguma mulher com quem você queira dividir tudo isso?
 
RA: Ainda não. Estou solteiro, tenho 23 anos, e acredito que nada nessa vida aconteça fora do tempo de Deus. É ele quem decide o momento certo para as coisas acontecerem. Eu sou católico, muito religioso e tenho fé nas coisas, por isso faço a minha parte e deixo o resto ir acontecendo com calma.

Olhar TV: Oscar 2013 e uma noite onde todos tiveram chances de brilhar

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20130225222554.jpg

“Argo” ganha o Oscar como melhor filme – Fotos: Divulgação
Anunciada a 85ª edição do Oscar, parei para refletir sobre os candidatos e, embora a lista comprovasse o contrário, em momento algum acreditei que esta seria uma daquelas edições em que nos deparamos com overdoses de prêmios para determinada produção.
Tivemos produções belíssimas e com atuações maravilhosas. Pela primeira vez na história do Oscar, uma atriz de apenas nove anos concorreu ao prêmio de melhor atriz. Quvenzhane Wallis, de “Indomável Sonhadora”, pequena, graciosa e com nome difícil de ser pronunciado, competiu de igual para igual com a mais velha da lista, Emmanuelle Riva, de 86 anos, que atuou em “Amour”.
No entanto, venceu Jennifer Lawrence, de “O Lado Bom da Vida”. Esta, se não bastasse ser a favorita nas pesquisas, acabou sendo responsável pelo mico da noite, ao cair momentos antes de receber o prêmio. Coitada! Dificilmente alguém irá se lembrar do título que ela levou, mas do tombo…

Anne Hathaway é a melhor atriz-coadjuvante por “Os Miseráveis
Se você ainda não havia se encantado por Anne Hathaway, que sofreu bastante em “O Diabo Veste Prada” e “Sexo & Outras Drogas”, agora não teve escapatória. Após provar que pode cantar e atuar ao mesmo tempo, a queridinha da nova geração hollywoodiana faturou a estatueta de melhor atriz-coadjuvante por seu trabalho em “Os Miseráveis”. E alguém ainda duvidava que o prêmio seria dela?
Os homens também não fizeram feio. Para ator-coadjuvante tínhamos os veteranos Robert De Niro (“O Lado Bom da Vida”) e Tommy Lee Jones (“Lincoln”), mas quem se deu bem mesmo foi o austríaco Christoph Waltz (“Django Livre”) que repetiu o feito de 2010, comprovando que seria uma noite de muitas surpresas.
Ator tinha que ser ele: Daniel Day-Lewis, o britânico que deu vida a Lincoln, no filme homônimo, e que ficou mais parecido com ele do que, talvez, o próprio ex-presidente. Se é que isso é possível!
Pegadinhas da Academia   
             
Alguém aí, além de mim, percebeu que a Academia pregou algumas peças durante a noite do Oscar? A 85ª cerimônia homenageou os musicais, em especial “Chicago”, filme que há exatos dez anos faturava o prêmio de melhor do ano, calando a boca de quem não leva fé em produções do gênero para faturar a estatueta.
Levando em consideração que tínhamos “Os Miseráveis”, que além de se tratar de um clássico do gênero, era um dos candidatos para levar o principal prêmio da noite com maior chance de faturá-lo, a homenagem aos musicais poderia ser vista como uma dica do que viria pela frente.

Michelle Obama anuncia o prêmio de melhor filme
A segunda pegadinha eles deixaram para o grande final: Michelle Obama anunciando o grande vencedor da noite. Peraí! Quando, durante toda a nossa vida, vimos a primeira-dama dos EUA em uma cerimônia do Oscar, mesmo que em vídeo conferência, entregar um prêmio?
Não sei você, mas naquela hora pensei que as apostas estavam certas: a Academia iria eleger Lincoln como o melhor filme de 2012, mas me enganei, em partes, pois venceu aquele que imaginei ser o único capaz de tirar a estatueta dourada das mãos de “Os Miseráveis”.
É isso mesmo! “Argo”, do talentoso Bem Affleck, correu pelas beiradas e acabou se tornando o grande nome da noite. E Michelle? Ah, acredito que ela não tenha ficado tão desapontada assim. Afinal, Hollywood não presenteou um ex-presidente e sua luta pelos negros, mas “o sistema adotado pelo país do Tio San” não chegou a ser desvalorizado. Se é que vocês me entendem.
Palmas para eles     
Ang Lee e sua maravilhosa adaptação para “As Aventuras de Pi” foram os nomes da noite, levando quatro das oito indicações: melhor direção, roteiro adaptado, fotografia e efeitos especiais.
Não sei se os fãs de Quentim Tarantino se frustraram, mas não tinha como o diretor competir com Ang Lee. A ele, restou o prêmio de roteiro original por “Django Livre”, que assim como a maioria dos seus trabalhos, salvo “Bastardos Inglórios”, não é muito “a cara da Academia”.

“As Aventuras de Pi” levou quatro estatuetas
A diva Adele levou mesmo a estatueta na categoria cnção original com a música “Skyfall”, que embalou a mais recente aventura de “007”. Aliás, acredito que a apresentação da cantora arrepiou o auditório tanto quanto os telespectadores.
Por fim, tivemos “Valente” como melhor filme de animação; Anna Karenina com figurino, “Os Miseráveis” com melhor maquiagem e um empate: “A Hora Mais Escura” e “007 – Operação Skyfall” dividindo o prêmio de melhor som. É, definitivamente essa edição do Oscar deu o que falar.
Tatiana Bruzzi é colunista do NaTelinha e editora dos blogs:
 
 

Confira a lista de vencedores do prêmio “Framboesa de Ouro 2013”

Amanhecer – Parte 2″ é o principal vencedor

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20130224214753.jpg

A fundação do “Framboesa de Ouro” divulgou neste domingo (24) – mesmo dia do “Oscar 2013” – os vencedores da premiação que escolhe os piores filmes do ano.

Parte final da Saga Crepúsculo, “Amanhecer – Parte 2” foi a grande vencedora da noite, ganhando em sete categorias das onze indicadas, inclindo o prêmio de pior filme.

Outro destaque foi a vitória de Adam Sandler como pior ator por seu trabalho em “Este é o Meu Garoto”. Este foi o terceiro Framboesa de Ouro ganho por Sandler na categoria, sendo o segundo seguido.

Confira a lista completa de vencedores:

Pior Filme

“A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
“Battleship – Batalha dos Mares”
“The Oogieloves in Big Balloon Adventure”
“Este é o Meu Garoto”
“As Mil Palavras”

Pior Diretor

Bill Condon por “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
Peter Berg por “Battleship – Batalha dos Mares”
Sean Anders por “O Filhinho do Papai”
Tyler Perry por “Good Deeds” e “Madea’s Witness Protection”
John Putch por “Atlas Shrugged: Part II”

Pior Atriz

Kristen Stewart por “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2” e “Branca de Neve e o Caçador”
Tyler Perry por “Madea’s Witness Protection”
Katherine Heigl por “Como Agarrar meu Ex-Namorado”
Milla Jovovich por “Resident Evil: Retribuição”
Barbra Streisand por “The Guilt Trip”

Pior Ator

Adam Sandler por “Este é o Meu Garoto”
Nicolas Cage por “Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança” e “O Pacto”
Eddie Murphy por “As Mil Palavras”
Robert Pattinson por “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
Tyler Perry por “A Sombra do Inimigo” e “Good Deeds”

Pior Atriz Coadjuvante

Rihanna por “Battleship – A Batalha dos Mares”
Jessica Biel por “Playing for Keeps” e “O Vingador do Futuro”
Brooklyn Decker por “Battleship – A Batalha dos Mares” e “O Que Esperar Quando Você Está Esperando”
Ashley Greene por “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
Jennifer Lopez por “O Que Esperar Quando Você Está Esperando”

Pior Ator Coadjuvante

Taylor Lautner por “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
David Hasselhoff por “Piranha 2”
Liam Neeson por “Battleship – A Batalha dos Mares” e “Fúria de Titãs 2”
Nick Swardson por “Este é o Meu Garoto”
Vanilla Ice por Este é o Meu Garoto

Pior Elenco

“A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
“Battleship – A Batalha dos Mares”
“The Oogieloves in the Big Balloon Adventure”
“Este é o Meu Garoto”
“Madea’s Witness Protection”

Pior Roteiro

“Este é o Meu Garoto”
“Atlas Shrugged: Part II”
“Battleship – A Batalha dos Mares”
“As Mil Palavras”
“A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”

Pior Refilmagem, Cópia ou Sequência

“A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
“Motoqueiro Fantasma – Espírito de Vingança”
“Piranha 2”
“Amanhecer Violento”
“Madea’s Witness Protection”

Pior Dupla

Mackenzie Foy e Taylor Lautner em “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
Qualquer dupla de “Jersey Shore” em “Os Três Patetas”
Robert Pattinson e Kristen Stewart em “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2”
Tyler Perry e seu disfarce em “Madea’s Witness Protection”
Adam Sandler e Andy Samberg, Leighton Meester ou Susan Sarandon em “Este é o Meu Garoto”

natelinha

John Stamos irá estrelar a série “I Am Victor”

O ator John Stamos, que é mais conhecido por ter sido um dos protagonistas da comédia “Três é Demais”, irá estrelar a nova série “I Am Victor”.

Segundo o site TV Line, a atração conta a história de Victor Port, um poderoso advogado de divórcios que possui uma visão única sobre os relacionamentos.

Criada por Katie Jacobs (“House”) e Mark Goffman (“White Collar”), a trama será produzida pela emissora NBC e deverá estrear no final deste ano.

natelinha

Analisando o novo Carrossel Animado

Foi ao ar nesta segunda (25) o novo “Carrossel Animado” com os palhaços Patati Patatá, e o que se viu foi um bom produto infantil, que havia sido extinto até então. Chamou a atenção a estreia de novos episódios do “Chaves em Desenho Animado” com grande potencial de audiência, que acabou sendo jogado para as manhãs, sem qualquer divulgação.

 

Converse com o colunista. Envie um e-mail para thiagoforato@natelinha.com.br ou fale pelo Twitter: @Forato_

Comentando a estreia do Desafio Musical

Nem mesmo a estreia (ou reestreia) do “Desafio Musical” fez o “Programa do Gugu” decolar. A reedição do já consagrado “Qual é a Música” comandado por Silvio Santos por anos a fio amargou o terceiro lugar com 6 pontos. O SBT ficou com 7, enquanto a Globo teve 13.
O que se viu foi até economia de gastos (ou investimentos). O cenário era o mesmo do “Programa do Gugu”, e atrás do apresentador, tínhamos apenas um DJ, enquanto na versão de Silvio Santos, uma banda ao vivo, trio de cantores e dupla de dubladores. Realmente, não tem como comparar as versões.
Converse com o colunista. Envie um e-mail para thiagoforato@natelinha.com.br ou fale pelo Twitter: @Forato_