O ano em que a Globo deixou de transmitir o Carnaval carioca e se arrependeu amargamente

Tony Ramos na novela “Champagne” (Foto: TV Globo)

Foi em 1984. Era a inauguração do Sambódromo da Marquês de Sapucaí. A Globo – não se sabe bem por qual motivo – quebrou uma tradição de nove anos e decidiu não transmitir os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro. Problemas internos, falta de interesse pelo Sambódromo (desmentida por Boni em seu “Livro do Boni”) e até questões políticas foram cogitadas.

A também carioca TV Manchete – que completava um ano de vida em 1984 – saiu à frente e exibiu os desfiles da Sapucaí. Com direção de Maurício Sherman, e comentários de Paulo Stein e Fernando Pamplona, as transmissões daquele Carnaval pela emissora de Adolpho Bloch chegaram ao primeiro lugar no Ibope, alcançando uma média de 70% na audiência.

Foi a primeira vez, em onze anos de existência, que o “Fantástico” (seguido do então inédito filme “Bonnie e Clyde, uma Rajada de Balas”) – no domingo – perdia no Ibope. Na segunda e terça-feira foi a vez da novela das oito levar bomba. Era “Champagne”, de Cassiano Gabus Mendes, com direção geral de Wolf Maya.

Por uma estratégia equivocada, a Globo havia convocado Cassiano – tradicional autor de comédias das sete horas – para escrever uma novela no horário nobre. Em 1983, a emissora estava em déficit de novelistas das oito, já que Janete Clair, sua principal escritora, estava adoentada (ela faleceu em novembro daquele ano). A solução foi “subir” um autor das sete – Cassiano, que apresentou um trabalho morno. “Champagne” até tinha um bom elenco (encabeçado por Tony Ramos, Antônio Fagundes e Irene Ravache), mas a história era fraca demais para uma trama das oito horas.

O Carnaval de 1984, pela Manchete, venceu a Globo no Ibope. Como poucas vezes visto na história da TV, a Vênus Platinada perdeu para uma concorrente no horário nobre – a Manchete seria novamente uma pedra em seu sapato em 1990, com a novela “Pantanal”. Cassiano Gabus Mendes retornou para o horário que o consagrou: depois de “Champagne” escreveu sucessos como “Ti-ti-ti“, “Brega e Chique” e “Que Rei Sou Eu?“. Ele voltou a escrever uma novela para as oito da noite em 1990, “Meu Bem Meu Mal“, dessa vez com uma repercussão maior.

A Globo, por sua vez, nunca mais deixou de transmitir os desfiles das escolas de samba cariocas direto do sambódromo da Marques de Sapucaí.

Nilson Xavier – Universo On Line

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.