Diva e Dóris invadem hospital em que Isabel está internada para fazer algo monstruoso. Veja as fotos

Após fica presa num incêndio, Isabel é salva por Eduardo e levada para um hospital. Diva e Dóris descobrem o paradeiro da arquiteta e planejam sequestrar a mulher de Norberto.

As irmãs Paranhos se disfarçam de enfermeiras e procuram pela arquiteta no hospital.

Elas até chegam a entrar no quarto em que Isabel está, mas como não a veem (ela estava no banheiro), acreditam ser o quarto errado. Elas continuam a procurar no hospital

No entanto, para a infelicidade das gêmeas, a enfermeira-chefe encontra Diva e Dóris, e as irmãs fogem antes que a funcionária possa chamar a segurança

Tentando fugir, Diva e Dóris invadem uma sala de cirurgia, enquanto a enfermeira-chefe e os seguranças perseguem as irmãs

Como dá para perceber, as irmãs Paranhos só se metem em enrascadas, não é mesmo?

Elas farão de tudo para derrubar Isabel e Norberto, de quem agora são inimigas declaradas

Até onde vai a maldade das duas?

E até onde será que vai a sorte de Isabel, que tem conseguido escapar dos planos de Diva e Dóris?

Portanto, anote aí na sua agenda: esta cena está prevista para ir ao ar nesta quarta-feira (29)!! A novela Balacobaco vai ao ar, de segunda a sexta, na tela da Rede Record, sempre às 10h15 da noite

Fotos: Michel Angelo/Rede Record

Renato Maurício Prado se despede com uma triste informação para os torcedores do Vasco da Gama ! Boas férias , Renato ! O TV TOTAL se honra em publicar suas colunas ! Aguardamos seu retorno .

A amiga (e grande repórter) Marluci Martins antecipa, em primeira mão, a escalação do “Vascão 2013”: “Carlos Germano; Ricardo Gomes, Mauro Galvão e Gaúcho; Estátua do Romário, (?), (?) e Pedrinho Vicençote; Roberto Dinamite e Sorato. Restam duas vagas”. Cruel, Marluci, cruel…

Férias

Feliz Natal e um grande Ano Novo para todos! Volto quando começar o Campeonato Carioca

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 18 de dezembro de 2012

Renato Maurício Prado analisa o que foi decisivo para o Corinthians derrotar o Chelsea por 1 a 0

A espetacular atuação do goleiro Cássio e o pouco trabalho que teve Peter Cech, do outro lado, leva muita gente a atribuir a conquista do Corinthians à sorte. Injustiça. Pode-se atribuir ao destino uma bola que caprichosamente bate na trave, após vencer o arqueiro. Quando esse faz a defesa, o mérito é dele, ou o demérito do atacante. Dois exemplos: no chute de Moses, de curva, Cássio foi um monstro ao desviar com a ponta dos dedos. Já na bola que sobrou para Fernando Torres, cara a cara, embora o goleiro tenha se atirado aos seus pés, houve mais incompetência do atacante que brilho do defensor. Em suma, as defesas de Cássio foram méritos corintianos. Sorte, se quisermos ver assim, o Corinthians teve quando o Barcelona foi eliminado da Liga dos Campeões. Mas isso já é outra história. Palmas para o merecido campeão mundial. Uma equipe sem estrelas (apenas Cássio e Paulinho devem jogar na seleção brasileira) mas com uma aplicação tática e um espírito de luta impressionantes!

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 18 de dezembro de 2012

Renato Maurício Prado analisa as atitudes de Flamengo e Corinthians entre 2007 e 2012

A grande conquista do Corinthians leva a uma reflexão sobre como foi construída a estrada que começa no rebaixamento, em 2007, e chega ao título Mundial, cinco anos depois. Ponto chave dessa escalada é a contratação de Ronaldo, no fim de 2008, após o Timão ter voltado à Série A, como campeão da B. A chegada do Fenômeno, que treinava sem entusiasmo no Flamengo, foi um marco.
A partir dali, o corintiano recuperou a autoestima, o clube passou a faturar barbaridades com contratos de marketing apoiados na imagem de Ronaldo e os títulos reapareceram.

Já em 2009, o Corinthians venceu o Paulista e a Copa do Brasil. Em 2011, é verdade, pagou o mico de ser eliminado pelo Tolima, na pré-Libertadores, mas ganhou o Brasileiro, classificando-se novamente para a principal competição sul-americana, que enfim conquistou em 2012, bem como o mundial interclubes. Uma sequência espetacular.

Relembro o caminho porque em 2009, ano em que Ronaldo começou a ajudar o Coringão a pavimentar sua trilha até à glória, Adriano caiu do céu para o Flamengo que, graças a ele e a um incrível canto de cisne de Petkovic, acabou faturando o seu sexto título brasileiro.

No embalo dessa conquista, assim como os corintianos, os rubro-negros também conseguiram ótimos contratos de patrocínio na camisa e viviam em lua de mel com o novo fornecedor de material esportivo. Por que os paulistas conseguiram seguir na trajetória de sucesso e os cariocas não?

Atribuir todo o sucesso seguinte a Ronaldo e todo peso do fracasso a Adriano é simplificar a questão. Até porque, em 2010, o desempenho do Fenômeno entrou em declínio e o título brasileiro de 2011 já aconteceu sem ele. Enquanto isso, depois que Adriano se foi, chegou à Gávea, ninguém menos que Ronaldinho Gaúcho! Onde, então, o Flamengo se desviou do caminho do sucesso enquanto o Corinthians conseguia se manter nele?

Um bom indício da diferença do comportamento entre os dois clubes pode ser percebida no número de técnicos que cada um teve no mesmo período. O Timão, três: Mano Menezes, que ganhou o Paulista e a Copa do Brasil de 2009 e saiu para a seleção brasileira no meio do ano seguinte, Adílson Batista (que durou pouquíssimo) e Tite, que assumiu e apesar da desclassificação diante do Tolima, foi mantido e, na sequência, se tornou campeão brasileiro, da Libertadores e Mundial. Já no Mengão foram cinco treinadores! Andrade, Rogério Lourenço, Silas, Vanderlei, Joel e Dorival. Em resumo: seis a três. Goleada de incompetência do Fla…

O panorama se repete quando são comparados os desmandos administrativos rubro-negros (com uma direção de futebol frouxa e perdida o tempo todo e um marketing incapaz de obter um patrocínio master, em três anos) e a eficiência do alvinegro paulista em buscar parceiros (até no poder, leia-se, o presidente Lula).

Deu pra entender porque um gigante despencou e o outro disparou, ganhando títulos e, de quebra, um estádio novinho em folha? Serão os empresários da vitoriosa chapa azul capazes de reverter tal quadro? É o que a imensa “nação rubro-negra”…

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 18 de dezembro de 2012

“CQC” consegue mesma média de audiência que “Pânico”

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20121218122035.jpg

Divulgação/Band

 

O “CQC” desta última segunda-feira (17) conseguiu uma boa média na audiência e, mais do que isso, após muito tempo empatou com o “Pânico na Band” nos números do Ibope.
Ambos os programas, o “Pânico” no domingo e o “CQC” nesta segunda, conseguiram 5 pontos de média. Isso só mostra como a disputa entre os dois humorísticos mudaram após um ano.
No início de 2012, com a chegada do “Pânico” na Band, todos esperavam que o humorístico de Emílio Surita conseguisse segurar os altos índices de audiência alcançados nos programas iniciais.
Mas a trupe do “Pânico” não conseguiu tal feito, sendo, ainda assim, responsável por um dos maiores faturamentos da Band. O “CQC” também passou por uma crise de audiência neste ano, mas seu faturamento segue sendo muito alto.
natelinha

“Rei Davi” ganha mais um prêmio internacional

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20121218113453.jpg

Rei Davi foi vencedora de um prêmio na Argentina – Divulgação/Record

 

“Rei Davi”, que a Record exibiu neste ano, continua ganhando prêmios e destaque no cenário internacional. A série venceu o prêmio de melhor série internacional no Festival y Mercado de TV Internacional de Buenos Aires, Argentina.
A produção, que tem direção de Edson Spinello e já conseguiu outros prêmios internacionais, venceu a Globo em algumas outras produções e concorreu com trabalhos dos Estados Unidos, México, Espanha e Argentina.
Atualmente “Rei Davi” é exibida no horário nobre da Record, em reprise, e bate de frente com a novela das 21h da Globo. Apesar disso, consegue boa audiência e agrada o departamento comercial da Record, sendo por várias vezes o programa mais visto do dia.
natelinha

Joaquim Lopes forma par romântico com Marisa Orth em “Sangue Bom”

  • Divulgação/Rede Globo

    Depois de se destacar em “Morde & Assopra”, em 2011, Joaquim Lopes volta à TV em “Sangue Bom”, a nova novela das sete, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari.

    No folhetim, Joaquim será par romântico de Marisa Orth. A novela terá a direção de Dennis Carvalho.

    O PLANETA TV!