“Estou preparada”, diz Drica Moraes sobre papel fixo em “Guerra dos Sexos”

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120917174638.jpg

Drica Moraes está de volta ao elenco fixo de uma novela após se curar da leucemia.

A atriz viverá uma italiana no remake de “Guerra dos Sexos”, que estreia em outubro na faixa das sete da Globo.
 
Para o papel, ela precisará usar uma peruca e enchimentos nos seios e no bumbum. “É pra ficar grandona, dar um peso na silhueta. Entro em cena toda montada, pareço um travesti da Mooca (bairro de SP onde se passará a trama)”, diz ela, que chegou a estranhar a caracterização: “É que venho de um momento… Fiquei hipermagra e hipercareca há dois anos. De repente, ganhei bunda, peito, cabelo, nossa! Parece um baú da felicidade!”.
 
Drica se referiu ao tratamento a qual foi submetida, incluindo várias sessões de quimioterapia e um transplante de medula óssea, feita em junho de 2010. De lá pra cá, ela fez algumas participações especiais na TV, mas somente agora voltará a participar de uma novela inteira – o que não acontecia desde 2005, com “Alma Gêmea”.
 
“Walcyr Carrasco havia me chamado para ’Morde & Assopra’ (2011), mas eu não tinha saúde para pegar um papel grande, com ritmo de trabalho intenso. Ainda não dava”, lembra a atriz, que agora pôde topar o papel em “Guerra dos Sexos”: “Um monte de boas coincidências se juntaram. Uma excelente personagem; a direção de Jorge Fernando, que é um irmão que tenho na TV; o texto da maior qualidade do Silvio de Abreu, com quem eu nunca tinha trabalhado. E agora estou mais forte para enfrentar o rojão de uma novela. Estou preparada”.
 
A superação de Drica Moraes não é a única no elenco da nova novela. Reynaldo Gianecchini, que será o motorista Nando, também precisou superar um câncer recentemente. Porém, nos bastidores ainda não houve troca de impressões entre os dois sobre a doença.
 
“A gente se encontrou rapidamente no estúdio, mas para trabalhar. Os sobreviventes vivem a vida, não ficam cutucando o passado. As coisas estão lá atrás, foram duras, mas estão superadas”, garante Drica, que ainda comparou seu visual com o de Giane: “Meu tipo de quimioterapia era bem mais agressivo, então meu cabelo voltou muito ralo, lambido, uma penugem. Acho até que ficaria mais legal se ficasse toinhoimnhoim como o dele, daria um volumezinho. Eu tinha cabelão, sinto saudade dele.”natelinha.
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.