“Criança Esperança” dá início à fase de prestação de contas na campanha publicitária deste ano

Gabriel Braga Nunes estrela o primeiro filme desta fase, no Projeto Pacificarte, na Mangueira. Foto: Divulgação TV Globo/ Raphael Dias
  • A próxima fase da campanha publicitária do ‘Criança Esperança’ 2012 tem como missão prestar contas das doações feitas ao programa em 2011. Para isso, três projetos que têm o apoio do programa foram escolhidos: o ‘Pacificarte’, no Rio de Janeiro; o ‘Vi a Rua’, no Maranhão; e o ‘Muay Thai Especial’, no Mato Grosso do Sul. Os artistas Gabriel Braga Nunes, Ana Furtado e Luigi Barichelli visitaram cada um deles, respectivamente, e estrelam essa fase da campanha, criada pela agência DM9 Rio em parceria com a Central Globo de Comunicação. “Em 2012, o Criança Esperança apoia 114 projetos sociais, com um investimento total de 19,2 milhões de reais, beneficiando diretamente mais de 30 mil crianças e adolescentes. Nesta etapa, queremos mostrar aos nossos telespectadores como a sua doação foi importante e está sendo bem empregada”, explica Luis Erlanger, diretor da Central Globo de Comunicação.

    A fase de prestação de contas conta com três filmes, de 30 segundos cada. O primeiro mostra as crianças se divertindo nas atividades do Projeto Pacificarte. É quando ouvimos a voz do ator Gabriel Braga Nunes, dizendo: “Uma chance. Um sorriso. Um futuro. A esperança ilumina mais do que você imagina. O Projeto Pacificarte é movido pelas suas doações ao Criança Esperança. E a esperança é o que nos move”. Interagindo com as crianças, o ator levanta o boneco símbolo do Criança Esperança, iluminado. Os próximos filmes, com a apresentadora Ana Furtado e com o ator Luigi Barichelli, entram no ar nas próximas semanas.

    Lançado em 1986, o programa Criança Esperança estimula a sociedade a discutir sobre a situação das crianças e jovens brasileiros. Até hoje, mais de 232 milhões de reais em doações foram investidos no Brasil em mais de 5 mil projetos sociais. Tais contribuições garantiram os direitos de mais de 4 milhões de crianças e adolescentes, ajudaram a reduzir a mortalidade e o trabalho infantil, a combater a exploração sexual de meninos e meninas e a preparar jovens de baixa renda para o mercado de trabalho.

    Em 2012, o Criança Esperança destinou um investimento total de 19,2 milhões de reais, sendo 10,8 milhões para 114 projetos sociais espalhados por todas as regiões do país. Os programas apoiados beneficiam mais de 30 mil crianças e adolescentes e envolvem diversas áreas no campo dos direitos de crianças e jovens: educação, saúde, cultura, esporte, inclusão digital, etc. Quinze projetos receberam um repasse de até 50 mil; 42 foram contemplados com verba entre 50 e 100 mil reais; e outros 57 projetos, com valores acima de 100 mil reais.

    A distribuição do repasse de verba contemplou 24 estados do Brasil: no Nordeste, nove estados receberam 5,3 milhões de reais; os quatro estados do Sudeste foram contemplados com 2,8 milhões; 1,4 milhão foi destinado para os quatro estados do Centro Oeste; a região Sul ficou com 843 mil; e quatro estados da região Norte 516 mil reais.

    Os quatro Espaços Criança Esperança receberam 6,4 milhões de reais. Localizados no Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais, os espaços são centros de atenção em tempo integral que oferecem atividades complementares à escola, como atividades esportivas, educacionais e culturais e têm à disposição teatros, centros multimídia, bibliotecas, piscinas e quadras poliesportivas. Respeitando e ouvindo a comunidade local, contribuem para promover a educação, a cultura, a inclusão e o desenvolvimento social no Brasil. São integralmente mantidos com recursos do Criança Esperança.

    A Pastoral da Criança é outra grande parceira do Criança Esperança por sua abrangência, escala e efetividade. Este ano a ONG recebeu 2 milhões de reais para distribuir por seus projetos que estão espalhados em mais de 5 mil municípios.

    O Criança Esperança é um programa da Rede Globo em parceria com a UNESCO. Todo o dinheiro arrecadado pelo programa é depositado diretamente na conta da UNESCO que, desde 2004, é responsável pela seleção, acompanhamento técnico e financeiro dos projetos apoiados .

“Ídolos” reúne 11 mil candidatos em Porto Alegre

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120710172834.jpg

Neste último final de semana, o “Ídolos” realizou uma audição em Porto Alegre, no ginásio Gigantinho. 

O apresentador Marcos Mion conversou com os candidatos na fila, ouviu suas histórias e curiosidades. Ao todo, 11 mil jovens se inscreveram para a audição na capital gaúcha. Os jurados Fafá de Belém, Supla e Marco Camargo avaliaram alguns candidatos.
 
O reality show começou a fase das audições desta temporada em Salvador, com mais de 18 mil inscritos, e depois seguiu para Goiânia, onde concentrou mais de 11 mil inscritos. No Rio de Janeiro foram cerca de 25 mil pessoas. 
 
Com Porto Alegre, o programa já soma 65 mil inscrições. Esse número parcial é maior do que o total de inscrições realizadas na temporada do ano passado, que teve 49 mil.
 
O programa encerra a fase das audições em São Paulo, no próximo sábado (14). Jovens entre 15 e 30 anos podem participar e o prêmio será de R$ 500 mil.
 
A nova temporada do “Ídolos” estreia no segundo semestre, na Record.
 
NA TELINHA

Rebelde esboça reação no Rio de Janeiro

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120710154957.jpg

Depois de chegar aos mais baixos índices desde sua estreia, oscilando na casa dos 4 pontos, “Rebelde” vem esboçando uma reação no Rio de Janeiro.

Nesta última segunda-feira (09), a novela de Margareth Boury teve média de 7 pontos. Já o SBT, que transmitiu “Carrossel” e alguns minutos do “Programa do Ratinho”, teve 9 pontos neste mesmo horário. Esta foi a menor diferença entre as duas emissoras desde que as duas novelas passaram a competir.

Esses índices são consolidados e são baseados na preferência de um grupo de telespectadores do Rio e da Baixada Fluminense.
 

NA TELINHA

Audiência do filme Titanic em 2012 na Record

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120710164529.jpg

A exibição de “Titanic” na tarde desta segunda-feira (09 de julho de 2012) na Record garantiu altos índices de audiência.

O filme registrou média de 10,5 pontos, desbancou “Maria do Bairro”, que amargou a terceira colocação na média com 6 pontos, e ainda se aproximou da Globo. 

Em determinados momentos contra “Malhação”, o placar apontava 15 pontos para a Globo ante 11 para a Record. Já contra “Cheias de Charme”, em um determinado instante, o Ibope chegou a apontar 14 pontos para o filme contra 25 da novela.

Em tempo:

“Titanic” ainda impulsionou o “Jornal da Record”. O noticiário marcou média de 8 pontos, uma das mais altas dos últimos três meses. Já “Rebelde”, por sua vez, não sentiu os efeitos dos bons números do filme. O folhetim teve apenas 5 pontos de média.

Esses índices são consolidados e baseados na preferência de um grupo de telespectadores da Grande São Paulo.

NA TELINHA

O Texto abaixo é de Arthur Vivaqua

O MENDIGO E O ENGRAVATADO

“A falta de Amor é a maior de todas as pobrezas.”
Madre Teresa
 
Conta-se a história de um mendigo que morava na calçada de um Restaurante.
Diariamente, ele se colocava à porta, implorando por um prato de comida, mas o Dono do Restaurante, um homem bigodudo e mal humorado, sempre o repelia, dizendo:
– Caia fora! Aqui só come quem paga!
E assim, o mendigo comia das latas de lixo, incapaz de comprar algo digno com as poucas moedas que recebia.
Certo dia, a porta do Restaurante se abriu e o mendigo se dirigiu ao balcão.
Indignado com tamanha ousadia, o Dono avançou em direção ao mendigo, preparando-se para expulsá-lo:
– Quem te mandou entrar, moleque? – Gritou – Aqui só come quem paga, eu já falei!
Para sua surpresa, porém, uma voz vinda de trás do mendigo respondeu:
– Pois este senhor está comigo e eu, como o senhor bem sabe, pago.
As palavras eram de um grande executivo que almoçava diariamente no Restaurante, sempre pedindo os mais caros pratos do cardápio.
Pálido, o dono do Restaurante curvou-se e, tentando soar o mais gentil possível, gaguejou:
– Po-pois não, senhor. Eu prepararei uma mesa e…
– Não se incomode. – Interrompeu-o o executivo com frieza – O ambiente aqui não é digno do meu convidado. Embrulhe nossa comida para viagem, por favor.
E assim, o mendigo pediu o que queria e recebeu a embalagem de comida das mãos de seu algoz.
Felizes, o esfarrapado e o engravatado almoçaram na calçada.
 
 
 ***
“Assistencialistas“.
Este é o apelido que os “donos de Restaurante” dão aos “executivos”.
Atrás dos balcões do Comodismo, torcem o nariz para a calçada.
Não alimentam “mendigos” (claro que não!) mas insistem em criticar quem o faz.
– Ele só fez isso para dar uma de bonzinho! – Deve ter dito o dono do Restaurante assim que o executivo saiu pela porta.
Teria sido por isso? Estaria o executivo tentando impressionar alguém?
Ora, que seja! O mendigo estava se alimentando!
 Não é isso que importa?
Não para os hipócritas.
Estes não movem uma palha, mas não aprovam a forma com a qual os outros estão movendo os montes.
Trancam portas, torcendo para que os que as abrem se deem mal.
Formam um Grupo maldoso, crítico da Bondade.
Por mais alto, porém, que o Mal grite, nosso consolo é saber que o Bem não se cala.
E é por isso que Gugu, Luciano Huck, Celso Portiolli e suas respectivas Produções merecem aplausos.
Não conheço suas intenções (estas deixo com Deus) mas vejo suas atitudes.
Casas reformadas.
Carros consertados.
Vidas reconstruídas.
Mendigos entrando onde jamais lhes seria permitido adentrar!
– Puro Assistencialismo! – Insiste, em comunicado oficial, o Sindicato dos Egoístas.
Por favor, não troque a Emoção pela Intelectualidade.
Claro que a TV visa lucro.
Obviamente o dinheiro gasto nos Quadros é recuperado (com sobras) nos Patrocínios.
Certamente tais Quadros existem porque geram Ibope.
Mas nenhum desses fatores anula o que é feito.
Não me preocupo com o que o executivo ganha, pois estou ocupado demais vendo a felicidade estampada no rosto do mendigo…
***
Aplausos aos que fazem. E aos que vaiam, que tal então fazer algo?
Se cada crítico contribuísse com R$1,00 não precisaríamos da TV.
Se cada um doasse um prato de comida as calçadas estariam vazias.
Se olhássemos pela janela perceberíamos quão belas são nossas casas.
“Você faz isso, Arthur?”
Não, confesso. Por isso admiro quem faz.
***
Há quem diga que não se deve “dar peixes”, mas “ensinar a pescar”.
Concordo.
Mas é preciso lembrar que a pescaria pode ser árdua.
E todos nós precisamos de ajuda enquanto os peixes não vem.
***
Na calçada da vida, há mendigos e engravatados.
Mas todos seremos iguais enquanto nela estivermos sentados…

Escrito por James Akel

Record notifica Band e James Akel comenta

O desejo da Record em notificar a produção de Adriane Galisteu por sobrevoar a fazenda de Itu onde o programa da Rede Record é feito, beira o estranho.
Galisteu atuou apenas em reportagem, igual um fotógrafo que persegue personalidades.
E o espaço aéreo, ao que se saiba, não pode privilegiar um show de tv.
Seria mais adequado a Rede Record desconsiderar Galisteu.
Cuidem do show e do ibope para que o show seja bom.
A atitude de Galisteu ajuda a divulgar o show.

Escrito por James Akel