Patrícia Poeta copia a Chiquinha do Chaves

 Ao tentar falar de maneira descontraída no Jornal Nacional, Patrícia Poeta, aquela que ainda não achou o caminho da apresentação, falou sobre a violência no México e usou a palavra violentissississíma, palavra usada por Chiquinha, do Chaves.
Já que Patrícia Poeta não sabe quem imitar no padrão Fátima Bernardes, acabou por achar o caminho imitando Chiquinha.
Se não é boa apresentadora ao menos é engraçada.

Escrito por James Akel às 09h27

Após saída de Bruno Motta, “Jornal da Record News” fará rodízio de humoristas

 

https://i2.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120517184611.jpg

 

 

No final de abril, o humorista Bruno Motta deixou o “Jornal da Record News”, onde participava desde o ano passado com esquetes de humor, satirizando destaques da semana ou assuntos do cotidiano.

Segundo consta, a ideia inicial da emissora era não renovar os contratos dos colunistas que não fazem parte do grupo Record, e por isso Bruno Motta saiu.
 
Porém, com exceção do comediante, todos os outros comentaristas do noticiário acabaram renovando com a Record News, entre eles Beth Goulart, Daniel Castro, Nirlando Beirão, Ricardo Kotscho e Rubens Ewald Filho.
 
De acordo com a coluna Outro Canal, no lugar de Bruno Motta haverá um rodízio de comediantes no telejornal, que completa um ano no próximo dia 23.
Na Telinha

Bernardo Falcone, de “Rebelde”, fala sobre sua nova fase musical

O ator Bernardo Falcone, que interpreta o personagem Téo na versão brasileira de “Rebelde”, na Record, irá se lançar na carreira musical.
 
Com o apoio do DJ Felipe Guerra e de Oliver di Castro, Falcone começa a sua nova fase na música apostando no estilo eletrônico.
 
Em conversa com o NaTelinha, Bernardo falou se pretende ter o mesmo sucesso da TV no rádio: “Uma coisa pode ajudar a outra, inclusive. Além disso, levo muita fé nesse projeto, acredito que é algo inovador e bastante moderno. Me considero um artista multiplataforma, tenho um contato com a internet muito profundo. E hoje em dia, apesar da grande importância do rádio para um cantor, a internet é uma excelente maneira de difundir a minha música”.
 
Ele revelou ao portal que atualmente está viciado nas músicas de Beth Ditto, e que ficaria bem feliz se pudesse fazer uma música com a própria Beth ou até mesmo com a cantora sueca Robyn.
 
Ainda sobre a música eletrônica, Bernardo falou que este mundo não é novo para ele já que sempre frequentou diversas boates no Rio de Janeiro e em São Paulo durante a sua adolescência.
 
“Foi nessa época que aconteceu o boom das raves e festas eletrônicas. Eu fui a todas! Sou um amante da música eletrônica”, afirmou o artista.
 
Bernardo lançará o seu disco através do selo Oliver Music e pretende alcançar não somente o púbico teen, mas também acredita que pessoas de todas as idades possam gostar do seu som.
 
“O público jovem é fantástico. É ele que na grande maioria vai aos shows, curte o artista, compra revista, etc. Mas não quero restringir nada. Quero que as pessoas sintam vontade de abrir o iTunes, clicar na iTunes Store e comprar a minha música, independente de idade, classe social, sexo, sexualidade. Todos tem ouvidos e eles que quero atingir”.
 
O ator e agora cantor finalizou a conversa falando que ele tem um alterego chamado Beni, e vai ser ele que estará no palco, mostrando a essência de Bernardo Falcone.
 
“Eu tenho também meu alterego, se chama Beni. Que é, na verdade, um apelido que ganhei dos meus pais na infância. Veio junto do nome e sempre foi a minha identidade. Quando cresci e comecei a trabalhar como ator, adotei Bernardo para ser levado mais a sério”, contou. “Mas a minha energia artística e pulsante se chama Beni, que em francês significa ‘abençoado’”, finalizou.
Na Telinha

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120519150607.jpg

Desempenho da Tela de Sucessos de ontem

https://i2.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120519130433.jpg

 exibição de “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” na “Tela de Sucessos” desta última sexta-feira (18) rendeu ao SBT altos índices de audiência.

A sessão fechou com média de 9 pontos e picos de 11, um dos melhores resultados de todo o ano. Com este desempenho, “Harry Potter” teve audiência superior a soma da Record e a Band, que tiveram 5 e 3 pontos respectivamente.

Durante alguns minutos, a “Tela de Sucessos” chegou à liderança no Ibope. Ainda assim, na faixa geral, a Globo se saiu melhor, porém com uma pequena vantagem. A média da emissora carioca foi de 12 pontos.

Esses índices são prévios e são baseados na preferência de um grupo de telespectadores da Grande São Paulo. Dados consolidados podem variar para mais ou para menos .

NA TELINHA

O responsável pela derrota inaceitável da Record

 A Record fatura 2 bilhões e tanto de dinheiro ao ano, recebendo 480 milhões da Igreja e, ainda assim, dá prejuízo.
A Record, num ato absurdo, perdeu todos seus registros de marca.
A Record, a cada dia que faz algo, acaba entregando ibope para o adversário.
Ainda se fosse um adversário de porte, com direção competente, mas não, é o SBT, com Silvio comandando.
A Record é comandada por Honorilton Gonçalves.
Neste cenário, mesmo sendo sócio da Record, Honorilton não tem mais o que fazer no comando da Record.
Da mesma maneira que os fãs do SBT fizeram campanha para volta do Chaves, os fãs da Record deveriam fazer a campanha Fora Honorilton Já.
Se a campanha das diretas já pegou, e contra uma ditadura militar, esta de tirar o Honorilton da Record é mais fácil.

Escrito por James Akel 

Xuxa proíbe Rede Record de exibir fotos da revista Playboy

 
  • A apresentadora Xuxa Meneghel foi à justiça contra a Rede Record, que exibiu fotos antigas dela na revista Playboy. As imagens foram exibidas dentro do “Programa do Gugu”.

    Ela venceu o primeiro round de uma ação cível que move contra a emissora paulista e o apresentador Gugu Liberato.

    Por meio de liminar, a Record está proibida de voltar a exibir qualquer imagem dela, Xuxa, sob pena de multa de R$ 1 milhão por cada exposição. Ainda falta a Justiça definir o valor da multa ao apresentador Gugu, mas estima-se que possa chegar a R$ 2 milhões. A informação foi publicada neste sábado na coluna “Radar”, da revista Veja.