Dona Xepa e Ângela Leal concorrem a dois prêmios na Coreia do Sul

A novela “Dona Xepa” e sua protagonista, Ângela Leal foram indicadas como “Melhor Serial Drama” e “Melhor Atriz”, no Seoul International Drama Awards…

… A cerimônia que anunciará os vencedores acontecerá no dia 4 de setembro.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Revelação da Record, Gustavo Reiz, de “Dona Xepa”, renova contrato

Revelação da Record, Gustavo Reiz, de "Dona Xepa", renova contrato

Considerado uma das revelações da dramaturgia da RecordGustavo Reiz, responsável pelaadaptação de Dona Xepa”, acaba de renovarseu contrato. As informações são da colunaControle Remoto.

autor, que está na emissora desde 2007, quando colaborou com Ana Maria Moretzsohn em “Luz do Sol“, prorrogou seu vínculo por mais cinco anos.

Gustavo vem seguindo por uma trajetória crescente na Record. Seu trabalho à frente de “Sansão e Dalila” e a parceria com Marcílio Moraes em “Fora de Controle” são bastante prestigiadas.

Além disso, o bom desempenho de “Dona Xepa”, que elevou os números de “Balacobaco” e de “Máscaras” – e que teve média-geral superior à de “Pecado Mortal“, mesmo com um orçamento cerca de 60% inferior à média destas, contribuíram para sua consagração junto à alta cúpula da emissora.

Neste novo contrato, Gustavo Reiz inicia trabalhando na segunda temporada de “Milagres de Jesus” ao lado de Renato Modesto e é forte candidato a emplacar uma novela com temática relacionada à escravidão.

NaTelinha

Gustavo Reiz está com boa fama na Rede Record depois do remake de Dona Xepa

 

A Record ainda não definiu o próximo trabalho de Gustavo Reiz.
O autor, no entanto, ganhou pontos importantes na emissora com a adaptação de “Dona Xepa”.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Nilson Xavier comenta Dona Xepa

Thaís Fersoza, Ângela Leal e Arthur Aguiar em “Dona Xepa” (Foto: Divulgação/TV Record)

Pode-se afirmar que “Dona Xepa” – a novela da Record que terminou nesta terça, 24/09 – cumpriu seu papel de ser uma produção despretensiosa. De tão despretensiosa, não gerou buzz (repercutiu pouco) e só não passou batida porque era uma produção bem acabada e não teve maiores tropeços. O maior buzz foi negativo: em junho, Maurício Mattar (do elenco da novela) pagou um mico ao vivo no “Programa da Tarde” ao perguntar para a plateia se alguém assistia à “Dona Xepa“: o ator ficou no vácuo.

Nem o “mistério da mulher da fronha rosa” e o reality “A Fazenda” (que era exibido na sequência) conseguiram atrair público para “Dona Xepa”, que manteve a média final de sua antecessora no horário: 7 pontos no Ibope da Grande São Paulo – ainda longe dos dois dígitos sonhados pela emissora de Edir Macedo.

A média final das últimas novelas da faixa das 22h30 da Record:

- “Ribeirão do Tempo” (2010-2011): 11;
– “Vida em Jogo” (2011-2012): 12;
– “Máscaras” (2012): 6;
– “Balacobaco” (2012-2013): 7;
– “Dona Xepa” (2013): 7.

Dona Xepa” foi um adaptação de Gustavo Reiz (de “Sansão e Dalila”) a partir da famosa peça teatral de Pedro Bloch, que já havia rendido uma versão para o cinema (filme de Darcy Evangelista, de 1959, com Alda Garrido no papel-título) e duas versões na Globo: a novela “Dona Xepa”, adaptada por Gilberto Braga, em 1977, com Yara Côrtes; e a novela “Lua Cheia de Amor”, escrita por Ricardo Linhares,Ana Maria Moretzsohn e Maria Carmem Barbosa, em 1991, com Marília Pêra.

Interpretar uma personagem como Dona Xepa sem cair na caricatura não é tarefa fácil. A própria Yara Côrtes (a mais icônica das Xepas da TV) foi criticada por isso. EÂngela Leal, a intérprete da vez, resvalou no exagero com sua Xepa – ainda que tenha tido ótimas e algumas emocionantes cenas.

O grande destaque da novela ficou por conta de Thaís Fersoza, que viveu a vilã Rosália, a filha carreirista de Xepa. Um trabalho maduro e levado com muita segurança. Thais é atriz experiente já, e fez bonito. Por outro lado, os trejeitos afetados da perua Meg Pantaleão de Luiza Tomé e o seu bordão requentado “adoooooro!” cansaram – o resultado final ficou tão over quanto o aplique de franja que a personagem usava, um adereço equivocado e desnecessário.

Uma novela simples, ainda bem que “Dona Xepa” foi curta (quatro meses no ar): a história não tinha mais o que render mesmo. Se “Balacobaco” parecia uma “novela das sete apresentada às 22h30”, “Dona Xepa” mais pareceu uma novela das seis às 22h30. E nem é crítica. É apenas uma observação.

Arthur Aguiar diz: “Eu devo muito a tudo o que aprendi na Record”

http://natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/4444d24c4f826473090aa685c0cdb585.jpg

Divulgação

 

Durante o evento de lançamento do Camarote Brahma em Salvador na tarde do último sábado (21), a reportagem do Na Telinha encontrou o ator Arthur Aguiar, ex-“Rebelde” e que agora é contratado da Globo, e conversou com ele.

Arthur contou sobre a experiência de gravar “Em Família”, a próxima novela das 21h da emissora carioca, e última de Manoel Carlos no horário: “Tem sido ótimo, estou gravando ainda, apesar de fazer só a primeira fase, tô gravando ainda. É uma experiência incrível, trabalhar com o Jayme, com o texto do Maneco, uma equipe muito boa. Eu devo muito a tudo que eu conquistei na Record, tudo que eu aprendi lá e agora, eu estou vivendo uma outra fase e estou super feliz”.

De fato, Arthur é bem grato a oportunidade que a emissora de Edir Macedo lhe proporcionou: “Aprendi tudo, cara. Tudo que eu sei hoje, porque ainda tenho que aprender muito, foi graças à essa experiência na Record, esses anos de ‘Rebelde’, em ‘Dona Xepa’, o especial de final de ano que eu fiz também. Eu tô levando tudo, toda experiência para mim, é valida. E eu estou aberto a aprender mais, com outros diretores, com outra equipe, com outros atores, outra casa, tudo, né?”.

Já sobre a sua carreira musical, que agora será gerenciada pela cantora Claudia Leitte, Arthur se mostra entusiasmado e disse que já no primeiro semestre de 2014 algo será lançado para os seus fãs.

“Tô lançando minha carreira solo ano que vem, já estamos trabalhando. Como saiu recentemente, a Claudinha vai ser a minha empresária, ela que está gerenciando toda essa parte musical, e no início do ano, primeiro semestre, vamos lançar tudo já, estamos ensaiando e vai vir muita coisa boa”, concluiu Arthur.

“Em Família” estreia no dia 3 de fevereiro, sucedendo “Amor à Vida”, e terá Arthur como uma das estrelas de sua primeira fase.

 

NaTelinha

“Balacobaco” e “Dona Xepa” ganham prêmio internacional

As novelas da Record fazem sucesso no mercado internacional.

A Record recebeu três prêmios internacionais no FYMTI, Festival Y Mercado de TV – Ficción Internacional, realizado na última semana em Buenos Aires, na Argentina.

A novela Dona Xepa, com texto de Gustavo Reiz e direção de Ivan Zettel, recebeu prêmio de “Melhor Telenovela de 2013″ e “Melhor Tema Musical 2013″.

Balacobaco, novela de Gisele Joras com direção de Edson Spinello, foi premiada como “Melhor Ficção/Comédia 2013″.

A premiação é organizada pelo FYMTI, que é um evento dedicado à indústria do entretenimento, formado por três partes: a feira (compra e venda de conteúdo), fórum (mesa redonda e workshops) e o festival, que premia os melhores da TV.

Na Argentina Dona Xepa ganhou o nome de La Pichinchona e Balacobaco recebeu o título de Los Tranposos.

O Planeta TV

“Pecado Mortal” tem média superior às antecessoras; entenda

 

http://natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/c1105ca9c31f15ee4f6c62da918055e3.jpg

Simone Spoladore é a promotora Patrícia em “Pecado Mortal” – Divulgação/Record

Ainda que tenha índices aquém aos esperados pela Record, “Pecado Mortal” vem conseguindo cumprir parte de seus objetivos.
Mesmo que não tenha levado a emissora paulista de volta aos dois dígitos de audiência, o folhetim tem índices superiores às antecessoras “Dona Xepa” e “Balacobaco” no mesmo horário.
Segundo o jornalista José Armando Vanucci, os números da trama de Carlos Lombardi são 13% superiores aos de “Dona Xepa” e 23% mais expressivos que os de “Balacobaco” – que começou na mesma época em que “Avenida Brasil” entrava em suas semanas finais.
Também foi notado o crescimento da Record no Rio de Janeiro e no PNT, que abrange o Painel Nacional da Televisão.
NaTelinha